Pesquisa

40% dos brasileiros compram pelas redes sociais, aponta CNDL/SPC Brasil

Usadas de forma estratégica, as redes sociais podem se tornar o canal mais importante entre empresa e cliente. Confira 8 dicas para o seu negócio engajar a clientela e vender nas redes sociais.

O uso de aplicativos e de redes sociais pelos consumidores para a realização de suas compras têm crescido significativamente nos últimos anos. É o que aponta pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Sebrae, divulgada hoje (19).

Só nos últimos 12 meses anteriores à pesquisa, 79% dos internautas fizeram alguma compra usando aplicativos de lojas e 40% dos entrevistados disseram ter adquirido produtos e serviços pelas redes sociais.

“O consumidor quer ter acesso a canais de compra que permitam escolher o que for mais conveniente. Isso significa que o varejo precisa continuar desenvolvendo experiências que atraiam os consumidores e promovam o engajamento, ou seja, é fundamental reduzir cada vez mais a distância entre o varejo físico e comércio online, além de direcionar esforços para oferecer uma excelente experiência de compra ao consumidor”, afirma o presidente da CNDL, José César da Costa.

Baixe a pesquisa Consumo Online – Aplicativos e Redes Sociais completa!

Para os entrevistados, a praticidade e agilidade (54%) é o que mais estimula a comprar via app. Já as compras por redes sociais devem-se a rapidez e praticidade (42%); conseguir interagir e tirar dúvidas com o vendedor (42%, principalmente entre as mulheres e com aumento de 14 pontos percentuais em relação à 2019); encontrar os melhores preços e ofertas do mercado (39%); e ser atraído pela publicidade (36%).

A pesquisa também mostra que comidas e bebidas por delivery foram os itens mais adquiridos pelos via aplicativos de loja (65%) e pelas redes sociais (47%). Já os produtos de moda e vestuário (40%) ficaram em segundo lugar no ranking das social medias, seguidos por cosméticos, perfumes e produtos para o cabelo (36%).

“A chegada da pandemia também desencadeou uma necessidade rápida de resposta no comércio eletrônico. Não basta mais ter apenas uma loja física e uma loja virtual. O novo cliente digital – e aqui estamos falando das mais diversas classes e faixas etárias – busca uma experiência mais humana, descomplicada, e também criativa”, explica Ricardo Martins, consultor de Transformação Digital na Pon Digital Consulting.

Como vender pelas redes sociais
Os perfis das marcas nas redes sociais não se restringem mais à vitrine de produtos. Atualmente, o foco é criar proximidade com o cliente, buscando a sua identificação com a marca e fidelização, por meio de conteúdos leves e informativos (pesquisas, curiosidades) e backstage de serviços (fotos e vídeos da equipe trabalhando, embalando encomendas, preparando os produtos, processo de entrega, entre outras atividades).

“Temos nossa loja física na capital paulista e o e-commerce, que é conectado à nossa loja no Instagram. No perfil da empresa, focamos em construir de fato uma comunidade, trazendo conteúdos úteis para quem nos segue e estabelecendo conversas”, conta Marina Zaiantchick, CMO da TAG2U, empresa especializada em decoração sustentável através da compra e venda de produtos usados.

As publicações nem sempre têm as vendas como objetivo direto. Muitas vezes, podem ser uma maneira de criar autoridade no seu mercado de atuação. Assim, quando for comprar, certamente o público lembrará de você.

“Nossa conexão com o cliente via redes sociais está em franco crescimento, refletindo nas vendas. Humanizamos mais ainda nosso atendimento, trazendo o cliente para mais perto. Também valorizamos muito as conversas criadas em nossas redes sociais, pois a partir delas temos um termômetro sobre como podemos ir adaptando as estratégias e melhorar a experiência dos nossos clientes”, revela Silvia Barboza, diretora da empresa paulista de calçados flats La Femme.

Usadas de forma estratégica, as redes sociais podem se tornar o canal mais importante entre a empresa e os clientes. Por isso, a equipe da Varejo SA preparou 8 dicas para o seu negócio engajar a clientela e vender nas redes sociais. Confira:

1 – Escolha as redes sociais em que os clientes estão
Assim como cada rede social tem um propósito, as redes sociais têm públicos diferentes. Se você espera focar em jovens, provavelmente vai encontrá-los mais facilmente no TikTok. Caso o público seja mais adulto, pode ser mais fácil se conectar com eles pelo Facebook. Não se esqueça de sempre manter atualizadas as informações do seu perfil, como links do seu negócio, endereços da loja física, contato de WhatssApp, e-mail etc.

2 – Crie conteúdos de qualidade
Produza conteúdos de qualidade e com constância. Para isso, conheça bem as necessidades da sua persona e busque publicar posts com soluções para os problemas dela. Por exemplo, se você vende roupas online, pode dar dicas de moda.

3 – Tenha uma programação mensal de postagens
Planeje-se! Crie um calendário editorial de postagens para manter a periodicidade, com temas e datas de publicações. Use fotos, textos, gifs e vídeos para mostrar seus produtos de maneira completa e compartilhar também outras informações que sejam relevantes. Aposte ainda em ferramentas como os Stories – usuários de redes sociais adoram instantaneidade e ver “atrás das câmeras” – e crie parcerias com digital influencers, que ajudam a marca chegar mais longe. O importante é evitar o “copia e cola” de postagens nas diferentes redes sociais, mesmo que seja sobre o mesmo assunto. Adapte os conteúdos para cada canal.

4 – Tenha uma identidade visual
Todo o material publicado deve estar alinhado à identidade visual da sua empresa e marca. Isso ajudará o cliente a identificar rapidamente quem está fazendo a postagem. Uma identidade visual bem definida é importante para fortalecer sua marca.

5 – Crie engajamento
Se a ideia é criar um relacionamento com o público para vender mais, é preciso também dar atenção aos clientes e buscar criar um vínculo de admiração e carinho. Para isso, é preciso encontrar uma linguagem que seja próxima do público-alvo e que fale de maneira leve.

Além disso, é importante mostrar interesse em conhecer as preferências dos seguidores e as formas de ajudá-los. Desta forma, estimule e mantenha conversas com os seus seguidores, responda comentários, tire dúvidas e fique atento ao inbox. Nunca deixe os consumidores no vácuo, mostre-se disponível!

Não deixe de usar recursos como caixas de perguntas e publicações para dar voz aos seus seguidores e transformá-los em clientes.

6 – Tenha uma equipe de comunicação
As responsabilidades e tarefas diárias de um negócio são inúmeras, por isso, tenha uma equipe de comunicação responsável por gerenciar os perfis da sua empresa, ou pelo menos, uma pessoa dedicada às redes sociais. Ter um perfil no TikTok ou Instagram, por exemplo, sem postar conteúdo ou responder mensagens, será contraproducente.

7 – Invista em anúncios nas redes sociais
Nas redes sociais, também é possível pagar para anunciar seus produtos e serviços. Os anúncios são uma oportunidade de alcançar novos seguidores ou mesmo de reforçar sua marca para quem já te segue. A vantagem é que as ferramentas permitem explorar a segmentação de público, direcionando bem as campanhas e melhorando os resultados.

8 – Analise as métricas
As métricas são os indicadores que mostrarão se está no caminho certo. Por isso, sempre analise os resultados de seu trabalho nas redes, para identificar o que funciona melhor com o seu público.

Compartilhe:
Relacionadas
Pesquisa

51% das MPEs relatam piora na economia nos últimos 6 meses

Pesquisa CNDL/SPC Brasil aponta que, apesar de estarem otimistas com os próximos meses, 64% dos empreendedores não pretendem realizar investimentos no negócio Compartilhe:
Pesquisa

Brasileiros aprovam a regulamentação da atividade de lobby

A atuação do setor do comércio e serviços no Congresso Nacional é vista como uma das mais importantes no país. Compartilhe:
Pesquisa

Conheça os meios de pagamento mais usados pelos brasileiros

O PIX é o segundo meio de pagamento mais utilizado no Brasil, aponta CNDL/SPC Brasil; rapidez e praticidade são os principais motivos apontados. Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.