Economia e Finanças

62 milhões de brasileiros estão negativados, aponta CNDL/SPC Brasil

A Análise de Inadimplência Nacional de Pessoas Físicas, realizadas pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), estima que quatro em cada dez brasileiros adultos (38,68%) estavam negativados em maio de 2022. São 62,37 milhões de consumidores pessoa física inadimplentes.

Em maio de 2022, o volume de consumidores com contas atrasadas cresceu 5,81% em relação ao mesmo período de 2021. Em relação a abril de 2022, o número aumentou em 0,80%. Na soma de todas as dívidas, cada consumidor negativado devia, em média, R$ 3.564,82 para 1,89 empresas credoras, em média. Porém, mais da metade das dívidas (50,32%) é de até R$ 1.000.

Tempo de atraso
O estufo mostra que cresceu o número de negativados com contas em atraso ‘entre 91 dias a 1 ano’ (44,73%), seguido de pessoas com débitos em aberto ‘de até 90 dias’ (10,43%). O atraso médio das contas dos brasileiros é de 2 anos, 2 meses e 24 dias.

Quando avaliado a faixa etária das pessoas inadimplentes, a pesquisa mostra que a maior parte tem entre 30 e 39 anos (24,04%), na sequência aparecem aqueles entre 40 e 49 anos (21,06%). A idade média de um devedor em atraso no Brasil é de 44 anos. Com relação ao sexo, mulheres representam 50,80% dos casos e homens, 49,20%.

Setores
Em maio de 2022, destacou‐se a evolução das dívidas com o setor de bancos (20,16%) e água e luz (7,01%). Em outra direção, tiveram uma leve queda as dívidas com o setor credor de comunicação (‐10,11%) e comércio (‐4,70%).

Em termos de participação, a maior parte das dívidas das pessoas físicas negativadas é com os bancos (58,48%), comércio (13,69%), água e luz (11,12%) e comunicação (9,37%).

Compartilhe:
Relacionadas
Economia e Finanças

Negociações com condições diferenciadas são prorrogadas até 31 de outubro

Agora pessoa jurídica pode obter até 65% de desconto e prazo em até 120 prestações. Compartilhe:
Economia e Finanças

Linha de crédito do Pronampe já está disponível para os pequenos negócios

A partir de agora, é necessário compartilhar informações sobre o faturamento da empresa, por meio do Portal do Centro Virtual de Atendimento (Portal e-CAC). Compartilhe:
Economia e Finanças

FGV: confiança do comércio sobe 4,6 pontos em junho

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 4,6 pontos em junho e alcançou 97,9 pontos. É o maior nível desde agosto do ano passado, quando o índice ficou em 100,9 pontos. Em médias móveis trimestrais, o Icom avançou 3,7 pontos, o que representa o quarto resultado positivo em sequência. Os dados foram divulgados hoje (29) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.