Sem Categoria

A economia vai retomar

[sc name=”legenda-foto-nome” nome=”Manoel Carlos Junior” texto=”Pioneiro em Marketing de Experiência”]
[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/11/3-artigo-manoel.jpg” ]

Sua empresa vai saber aproveitar essa oportunidade?

Tornar a sua marca apaixonante, ou seja, a queridinha do consumidor. Quem não quer? A briga atual é grande mas, o momento é esse. A economia dá os primeiros sinais de uma retomada lenta do crescimento que pode oferecer inúmeras boas oportunidades num cenário de curto e médio prazo e, você e sua empresa, precisam se preparar já. Qual é a melhor forma? Conquistar o coração do consumidor para tentar se tornar desejada por eles.

A causa emocional de uma empresa – amor ou paixão pelo que faz e/ou entrega para o cliente – é um fator essencial para uma boa relação entre público e empresa. O respeito pela marca está diretamente ligado às boas emoções que ela proporciona.

Nessa mesma vertente, o respeito está diretamente ligado à manutenção da relação com o consumidor a cada contato, a cada experiência com a marca. Se essa relação falhar? A falha ocorrerá se a experiência com a marca não for boa. Ele vai se afastar e procurar uma nova marca com a qual se identificará. A cobrança é grande, mas é possível obter  sucesso.

Costumo sempre repassar os ensinamentos: “Olhe para o seu consumidor e descubra o que ele deseja” e “Enquanto seus concorrentes estão pensando de forma racional, siga a intuição. Pense e aja com o coração”. Algumas marcas estão aprendendo a agir assim.

Como exemplo do poder dessa  relação, podemos citar o caso dos Duocórnios, envolvendo a PepsiCo Brasil. Uma menina de nome Julianna mandou um desenho de dois seres mágicos com o nome “duocórnios” à Ruffles e em troca pediu a batata sabor costelinha, que vinha em edição limitada. A empresa respondeu por meio da RIOT, sua agência digital, recriando “duocórnios” e enviando um kit das Ruffles sabor costelinha. Mesmo com a edição não tendo voltado ao mercado por causa do pedido da consumidora Julianna, a empresa garantiu que ela se lembrasse positivamente da marca por toda a vida, com um gesto simples, mas de grande valor.

Esse exemplo mostra que nem sempre é possível satisfazer tudo o que o cliente quer, mas uma resposta com carinho pode transformar a situação de sem solução em uma relação de respeito entre cliente e marca. Temos que fazer com que as pessoas se mexam pela emoção.

São cada vez mais frequentes casos de empresas que mobilizam esforços para demonstrar apreço e atenção aos clientes. Um outro exemplo desse tipo de atitude foi o que ocorreu com a Ana, cliente da loja Schutz. Ela comprou um par de sapatos na loja e, após usar pela primeira vez, o deixou pela casa. Quando voltou do trabalho, um pé tinha sido devorado pelo seu inocente cachorrinho chamado “Tunico”. Ficou absolutamente decepcionada mas, diante da carinha do cachorro, achou que a alternativa mais adequada era fazer um post sobre o estrago e narrar a situação nas redes sociais.

O que ela não contava é que entre as dezenas de amigos que curtiram o post estava a  gerente da loja da qual ela é cliente. Naquele momento, entrou em ação uma gestora que sabe aproveitar uma boa oportunidade em demonstrar atenção e carinho pelo seu cliente: Daiana, a gerente, enviou no dia seguinte à casa da Ana, uma cartinha carinhosa acompanhada de brinquedinhos de morder para o Tunico, além de um voucher para reparar o calçado. “Uau!”, foi a expressão da Ana, que tão surpreendida positivamente pela atitude da gerente, postou essa segunda parte da história nas redes sociais. O post viralizou e rendeu milhares de compartilhamentos e centenas de milhares de curtidas.

São oportunidades como essa que as empresas precisam aproveitar para encantar seus clientes, criar lealdade e admiração pela sua marca e gerar poderosa publicidade espontânea. E em um momento de poucos recursos para investir e com empresas cada vez mais parecidas, essas atitudes se tornam essenciais.

Prepare-se, pois a economia, sobretudo o varejo, depois de um longo e tenebroso inverno, dá os primeiros sinais de uma retomada lenta. Este Natal, certamente, será o primeiro nos últimos quatro anos com viés de aumento da confiança do consumidor.

Saiba aproveitar as oportunidades que o dia a dia oferece.

Relacionadas
Sem Categoria

Teste de postagem site Varejo S.A

A grande maioria dos consumidores (78%) pretende pagar o presente à vista, principalmente no PIX (29%), dinheiro (25%), no cartão de débito…
Sem Categoria

Hoje é o Dia Internacional da Proteção de Dados

*Cristiane Manzueto e Rodrigo Leal Embora privacidade e proteção de dados estejam, atualmente, no centro das atenções por conta do avanço das…
Sem Categoria

Hauly e José César discutem a Reforma Tributária

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) promoverá, nesta quarta-feira (2), às 16h, uma conversa entre o consultor tributário e economista, Luiz…