Opinião

Atributos? Prefira os verdadeiros

Por Luciana Lima

02_reduzido

Era uma viagem às pressas, a trabalho, destas que mal dá tempo de arrumar as malas e colocar todos os itens necessários para a sobrevivência fora de casa. Para não perder o voo e, consequentemente, a pauta, enfia-se na mala tudo que vê pela frente e, quase sempre, tudo que não se precisa vai e tudo que se precisa fica.

Foi assim que desembarquei e logo tive que ir às compras em meio a um intervalo de agenda. O plano era adquirir tudo que havia “lembrado que tinha esquecido” durante duas horas e meia de voo: escova, batom, roupas íntimas e um casaco para a série de compromissos.

No intervalo, entre uma entrevista e outra, alcancei o táxi, que me levou direto ao shopping. Na primeira loja de roupas íntimas, meu primeiro choque cultural. A vitrine era a cara da luxúria. Vermelha, linda e, sobretudo, sexy! Pensei: é só a vitrine. Deve ter aqui algo mais básico.

Entrei e a vendedora, muito simpática, se aproximou. “Olá, posso ajudar?”. Respondi: “Sim, preciso de peças mais confortáveis, duas calcinhas e um sutiã, de preferência que não marque, em cor mais neutra, que não apareça por baixo de roupas de malha. Você tem?”. A resposta recebida foi intrigante: “Então, você quer peças sem atributos?”. Eu, sem entender muito bem a conclusão da vendedora, indaguei: “Sem atributos? Como assim?”.

Atributos, para mim, são características inerentes a uma determinada pessoa ou coisa, ou seja, algo que a qualifique. O sisudo dicionário confirma minha suspeita, conceituando os “atributos” como “particularidades, qualidades e características que são próprias de alguém ou algo”. Por norma, estão relacionados com aspectos positivos.

Mesmo assim, prossegui, sem deixar de lado minha curiosidade com os tais atributos que podem ser comprados em lojas de lingerie.

A vendedora voltou de sua pesquisa no estoque com uma série de calcinhas e sutiãs, que mais pareciam uma fusão de armadura com próteses, que atendiam aos tais atributos: apertavam a barriga e a cintura, enchiam com muita espuma as nádegas e peitos.

Diante de muita falta de disposição de vestir a armadura imposta às mulheres, decidi dispensar os tais atributos e sair da loja, me orgulhando dos meus verdadeiros atributos.

A propósito, o principal deles é um que não se compra em loja nenhuma: a sensação de estar de bem com meu próprio corpo. Isso é poder!

Compartilhe:
Relacionadas
Opinião

Será que perdemos a bússola?

O WhatsApp foi uma das soluções imediatas encontradas, que ajudou e ajuda ainda muitos “CNPJs” a se manterem vivos e respirando diante do ápice da doença no ano passado. Com a ferramenta institucionalizada como um dos principais canais, ou o principal canal, de comunicação com clientes, empresas viram seu diálogo com o consumidor parar bruscamente, tendo pouco a fazer para o momento. Compartilhe:
Opinião

Por que os dados são cada vez mais importantes no varejo físico?

inteligência extraída a partir dos insights gerados por essas informações abre novas oportunidades para as empresas – e fica inviável retornar ao cenário anterior baseado apenas no achismo e na experiência dos empresários. Compartilhe:
Opinião

Respostas para o comércio e serviços

Entre os dias 28 e 29 de setembro, Brasília vai abrigar o maior encontro do varejo do Brasil. Trata-se do V Fórum Nacional do Comércio, organizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. O encontro vai reunir formadores de opinião, empresários, dirigentes, políticos e especialistas para debater temas da economia, da gestão empresarial e das políticas que norteiam um segmento que congrega 500 mil empresas e movimenta R$ 340 bilhões. Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.