Pesquisas

Brasileiros vão usar 13° para presentes e para fazer economia

Pesquisa da CNDL/Offer Wise mostra que 30% dos entrevistados vão utilizar os recursos para economizar ou investir. 54% pretendem fazer algum “bico” para poder comprar mais presentes

Mesmo com o cenário de pandemia, retração econômica e redefinição das relações de trabalho, o 13º salário dos brasileiros terá entre os principais destinos a compra de presentes de fim de ano e gastos com as comemorações de Natal e Ano Novo.

De acordo com pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, em parceria com a Offer Wise Pesquisas, 32% dos trabalhadores pretendem utilizar o 13º salário para comprar presentes de Natal e 21% gastar nas comemorações de Natal e Ano Novo. Enquanto 30% pretendem economizar e 21% pagar contas básicas da casa.

O presidente da CNDL, José César da Costa, destaca que mesmo em um cenário de insegurança econômica, os setores de comércio e serviço sempre esperam que parte dos recursos do benefício se revertam em compras.

“Tradicionalmente o brasileiro utiliza parte do seu 13º para as compras dos presentes de Natal e para as comemorações das festas de final de ano. Mesmo em um momento atípico, como da pandemia, que acarretou desemprego e insegurança, boa parte dos brasileiros deverão priorizar as compras em dezembro, o que trará uma importante movimentação para a economia do país”, afirma Costa.

54% dos consumidores pretendem fazer ‘bicos’ para comprar mais presentes.
A pesquisa da CNDL também mostra que 54% dos entrevistados pretendem fazer bicos ou outras atividades para garantir um dinheiro extra neste fim de ano e, assim, garantir as compras de presentes.

Segundo o presidente da CNDL, o varejista deve se preparar para negociar e oferecer boas condições de pagamentos e descontos, ao mesmo tempo que o consumidor deve se programar para se organizar e não comprometer suas finanças.

“O consumidor deve definir um teto de gastos, priorizar as lembrancinhas e fazer muita pesquisa para evitar endividamentos e garantir que faça um bom negócio. O orçamento do início do ano normalmente já é apertado por causa dos pagamentos de impostos como IPTU e IPVA, por exemplo”, explica José César da Costa.

Para Merula Borges, especialista em finanças da CNDL, a utilização do 13º salário para compra de presentes deve ser feita com cautela, para evitar endividamentos e não sobrecarregar o orçamento.

“O cenário de incertezas deve servir de alerta para o consumidor, já que a crise gerada pela pandemia deverá acompanhar os brasileiros no próximo ano. O ideal é fugir de parcelamentos longos para não sobrecarregar as contas de início de ano. A dica é pesquisar preços e negociar descontos a vista”, destaca Merula Borges.

Relacionadas
Pesquisas

Dia dos Pais: 101,8 milhões de brasileiros devem ir às compras

Data deve movimentar mais de R$ 24 bi na economia. 78% pretendem pagar o presente à vista, principalmente no PIX (29%). 31% dos que pretendem presentear estão com contas atrasadas
Pesquisas

Inadimplência cresce e atinge 62,73 milhões de brasileiros

Número de inadimplentes do Brasil teve crescimento de 6,54% em comparação a junho de 2021. Média das dívidas é de R$ 3.583,21
Pesquisas

Como fazer a sua loja de bairro crescer?

O levantamento mostra que 77% dos consumidores de todas as capitais do país fazem a maior parte das suas compras perto das suas casas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.