Fatos e Dados

Conhecimento da nota de crédito avança e atinge 76% de consumidores, aponta ANBC

Na comparação com maio do ano passado, índice saltou 14 pontos percentuais

Os brasileiros começaram 2022 mais bem informados em relação às suas finanças pessoais. É o que constata a terceira edição da Sondagem Educação Financeira e Nota de Crédito, realizada pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC). De acordo com os dados, oito de cada dez consumidores afirmaram saber o que é nota de crédito no começo deste ano – em maio de 2021, no primeiro levantamento da série, o índice era de seis a cada dez.

Questionados sobre a própria nota de crédito, 74% dos respondentes afirmaram conhecer sua pontuação, um avanço expressivo de 30 pontos percentuais em relação à primeira edição da pesquisa, quando o índice ficou em 44%.

Outro dado relevante da pesquisa é que, entre aqueles que sabem a própria nota de crédito, 96% tomaram conhecimento por iniciativa própria, o que demonstra o grau de importância que os participantes da pesquisa dão ao tema.

“Além de permitir melhor avaliação de risco para quem concede crédito, a nota de crédito constitui um incentivo à construção de um bom histórico de pagamentos, empoderando e beneficiando consumidores que podem buscar melhores condições de crédito. Por esse motivo, é tão importante a familiarização com o conceito, o entendimento de como a nota de crédito pode ser uma aliada na busca por crédito em melhores condições e o conhecimento sobre onde buscar suas informações”, analisa Elias Sfeir, presidente da ANBC.

“Os resultados da terceira edição da sondagem demonstram que os esforços do setor de birôs de crédito e de outros agentes com relação à educação financeira têm chegado até a ponta, ou seja, no dia a dia de consumidores e empresas. O Cadastro Positivo, implantado há pouco mais de dois anos, é outro instrumento importante no aumento da consciência financeira do brasileiro”, completa Sfeir.

A pesquisa revelou também o elevado percentual de consumidores que declararam buscar informações sobre a organização das contas: nove em cada dez afirmaram se informar sobre o controle financeiro e quase a mesma proporção dos entrevistados disse ter o hábito de controlar o orçamento.

Na avaliação do presidente da ANBC, tão importante quanto ter acesso às informações financeiras é colocá-las em prática, e a pesquisa é um recurso fundamental para orientar toda a cadeia do crédito na criação de campanhas e programas de educação financeira, indicando, inclusive, os grupos mais vulneráveis.

Metodologia: a Sondagem quantitativa Educação Financeira e Nota de crédito foi realizada por meio de questionário online, entre 26 de janeiro e 4 de fevereiro de 2022. A amostra foi de 1.615 respondentes e, para a leitura dos dados gerais, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro 2,3 pontos percentuais, para mais ou para menos. A sondagem será repetida trimestralmente, de modo a avaliar a evolução dos indicadores.

Fonte: Agência DINO

Compartilhe:
Relacionadas
Fatos e Dados

Universidade Ancar Ivanhoe abre inscrições para cursos gratuitos voltados para varejo

A UAI conta com uma experiência 100% digital de fácil acesso, além de conteúdos interativos desenvolvidos por especialistas do ramo. Compartilhe:
Fatos e Dados

Serviços estão 5,4% acima do nível pré-pandemia, mostra IBGE

A queda de 0,2% no volume de serviços prestados no País em fevereiro ante janeiro fez o setor de serviços funcionar em patamar 5,4% superior ao de fevereiro de 2020, antes do agravamento da crise sanitária no País. Em janeiro, os serviços estavam 5,6% acima do pré-covid. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Compartilhe:
Fatos e Dados

Três a cada cinco brasileiros temem o vazamento de dados em compras on-line

De acordo com levantamento realizado pela PSafe, empresa de segurança digital da América Latina, e divulgado no portal da CNN, três a cada cinco brasileiros têm medo de ter os seus dados vazados ao realizarem compras na internet. Das pessoas consultadas (mais de 8.600), 59% apontaram o vazamento de dados como sendo um medo real nessas transações. Além disso, também foi mencionado como alarmante o roubo de dados bancários (52%) – os respondentes podiam escolher mais de uma opção. Na sequência, estão como principais preocupações ter o cartão clonado (48%) e o não recebimento de produtos (48%). Apenas 4,5% relataram não ter nenhum tipo de receio. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.