Economia e Finanças

Consumo nos lares brasileiros se mantém positivo no acumulado de 2021

ABRAS anuncia alta de 3,13% no ano; consumo recua em setembro

O Consumo das Famílias Brasileiras se manteve positivo em 3,13% no acumulado do ano segundo levantamento da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS). O anúncio, feito na manhã desta sexta-feira (12) apontou, porém, queda de 0,49% em setembro na comparação com agosto. Na relação com setembro de 2020, também houve recuo de 1,13%.

De acordo com a associação, o resultado de setembro reflete a inflação, que acumula em 12 meses alta de 10,25%, a taxa do câmbio que encarece insumos para produção e para criação de animais, além de fatores climáticos sazonais.

Para a ABRAS, as medidas socioeconômicas por meio de programas sociais de transferência de renda e de manutenção do emprego adotadas pelo governo federal favoreceram o resultado positivo até setembro.

Apesar do registro de baixa no consumo de agosto para setembro, o setor se mantém otimista. “A aproximação do fim do ano traz possibilidades vantajosas para os consumidores, em função de importantes temporadas de vendas, como a Black Friday e o Natal”, disse Marcio Milan, vice-presidente da ABRAS, que ressaltou ainda o compromisso do setor supermercadista em negociar com fornecedores melhores condições para o consumidor. ‘Essa é a hora de pesquisar, ficar atento às ofertas, promoções e programas de fidelização que ofereçam descontos ainda maiores, ou seja, agora é a hora de praticar os 2 ‘ps’: pesquisar e pechinchar.” disse Milan.

Cesta Abrasmercado
Em setembro, a Cesta Abrasmercado registrou alta de 1,37% em relação a agosto. No comparativo com setembro do ano passado, o crescimento foi de 18,84%. O conjunto de itens atingiu o valor de R$ 684,99. A cesta é composta por 35 produtos de largo consumo nos supermercados e inclui alimentos (inclusive cerveja e refrigerante), higiene & beleza e limpeza doméstica.

Café torrado e moído, açúcar e o biscoito cream cracker registram as maiores altas no acumulado do ano com aumento de 33,85%, 30,33% e 24,54%, respectivamente. Margarina cremosa (23,45%), ovo (22,53%) e frango congelado (21,26%) também figuram na lista dos produtos que mais subiram no ano. As maiores quedas foram registradas nos preços da batata (-28,87%), cebola (-19,67%) e arroz (-14,52%).

Na divisão por regiões, o Sudeste do país reportou o maior avanço na Cesta Abrasmercado na variação entre agosto e setembro deste ano com alta de 2,0 um9%. Em seguida, vieram as regiões do Centro-Oeste (2,05%), o Norte (1,76%) e o Sul (0,96%). O Nordeste apresentou queda na cesta, com recuo de 0,07%.

Fonte: ABRAS

Relacionadas
Economia e Finanças

Confiança do empresário do comércio sobe 0,8% em novembro

Indicador atinge 131,9 pontos e é o maior patamar desde 2011.
Economia e Finanças

Gasolina volta a subir nas bombas, diz Ticket Log

Após quatro meses de quedas consecutivas, todas as regiões registram aumento no preço do litro do combustível.
Economia e Finanças

Precificação correta de promoções

Uma das formas de usar o preço em benefício do negócio é fazendo promoções. Isso é um meio de girar um ou mais itens do estoque que estejam parados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.