Economia e Finanças

Crédito é tema estratégico para os pequenos negócios

O tema do crédito tem sido um dos mais importantes na agenda das micro e pequenas empresas brasileiras, em especial a partir da eclosão da Covid-19, em 2020. Com a queda no faturamento nos primeiros dois anos da pandemia e com a perda de vendas gerada pela alta da inflação que se seguiu, muitos empresários se viram levados a buscar empréstimos para manter as operações.

Nesse contexto, as empresas encontraram uma situação bastante adversa no mercado, com juros que chegam a uma média anual de 33,8% (março/2022). Para enfrentar essa realidade e melhorar as condições de acesso das MPE a empréstimos tão necessários para investimentos indispensáveis ao aumento da produtividade e competitividade, destacamos três grandes planos de financiamento: Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe) e o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI Peac).

Levantamento feito pelo Sebrae identificou que em 2022 foram disponibilizados R$ 50 bilhões em aval para a atuação do Pronampe. Em menos de um mês, foram contratados R$ 19,2 bilhões em 209 mil operações, que beneficiaram quase 208 mil micro e pequenas empresas. A taxa de juros do Programa ficou em aproximadamente 19,75% ao ano.

Já o Fampe ofertou, em 2022, um montante de R$ 24 bi em aval para crédito. Cerca de 41,9 mil empresas contrataram aproximadamente R$ 3,4 bilhões em 57,5 mil operações, com uma taxa média de juros de 22% ao ano.

O FGI Peac, por sua vez, ofertou R$ 22 bilhões em aval para empréstimos, com uma taxa de juros de 23,1% ao ano. O levantamento feito pelo Sebrae mostrou que, em 2020, na primeira fase do programa, foram contratados R$ 92,1 bi em 135,7 mil operações que beneficiaram 114,4 mil empresas, sendo 83 mil de pequeno porte. A segunda fase do programa começou no último dia 22 e já liberou mais de R$ 1 bilhão em créditos.

Crédito Assistido
O presidente do Sebrae, Carlos Melles, lembra da importância do programa coordenado pela instituição, que oferece orientação aos donos de pequenos negócios desde o momento da tomada do empréstimo até sua liquidação. “O programa Crédito Assistido busca contribuir para fortalecer a saúde financeira das empresas e o desenvolvimento dos negócios. Já atendemos mais de 70 mil empreendedores. Somente entre os meses de janeiro e julho desse ano, cerca de 16 mil empresas foram acompanhadas por especialistas do Sebrae, que oferecem informações, diagnósticos, ferramentas digitais, conteúdos, capacitações e consultorias com o objetivo de reduzir os riscos de inadimplência e ampliar a sustentabilidade financeira dos negócios”, comenta Melles.

Fonte: Agência Sebrae

Relacionadas
Economia e Finanças

Copom reduz juros básicos da economia para 12,75% ao ano

O comportamento dos preços fez o Banco Central (BC) cortar os juros pela segunda vez no semestre. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa Selic, juros básicos da economia, em 0,5 ponto percentual, para 12,75% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.
Economia e Finanças

Campanha pelo parcelado sem juros ganha mais adesão

A Abad, Abrasel, Afrac, Anamaco e CNDL se uniram em defesa da modalidade de pagamento.
Economia e Finanças

Ignorados pelos bancos, 4 em cada 10 pequenos negócios usam o cartão de crédito para financiar a empresa

Modalidade com juros estratosféricos é utilizada atualmente por cerca de 40% do segmento, ante 7% que apontam empréstimos nos bancos privados e 4% nos públicos como formas de financiamento