Integra CNDLSem Categoria

Dia Livre de Impostos terá descontos de até 70% para chamar atenção sobre a alta carga tributária

Impostossauro e dado com os percentuais de imposto dos produtos chamaram a atenção dos consumidores para a alta carga tributária brasileira Crédito: Giordana Grigol/CDL Caxias

Desde 1º de janeiro até este mês o brasileiro trabalhou apenas para pagar impostos. Para chamar a atenção sobre a alta carga tributária, que causa aberrações como no caso de perfumes, em que é de 70% do valor do produto, de eletrônicos (43%) ou mesmo de roupas (31%), a CDL Jovem Caxias promove pelo 5º ano seguido o Dia Livre de Impostos (DLI), nesta quinta-feira (25).

Neste ano, a expectativa é que 350 empreendimentos caxienses participem da campanha, comercializando seus produtos e serviços sem repassar o valor dos encargos aos clientes. A ação ocorre de forma simultânea em todo o país sob a coordenação da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL).

Novidade em 2023, ações do Dia Livre de Impostos iniciaram com uma semana de antecedência nas ruas centrais de Caxias do Sul
Crédito: Giordana Grigol/CDL Caxias

O diretor da CDL Jovem de Caxias do Sul, Gabriel Comerlato, reforça que neste ano foram apresentadas novidades no DLI, com ações de protesto e conscientização pelas ruas centrais, na Praça Dante Alighieri e no Shopping Villagio Caxias com uma semana de antecedência. Segundo ele, a iniciativa ocorreu como forma de atender ao pedido dos próprios lojistas para chamar ainda mais atenção sobre a tributação abusiva no país.

“Nosso convite é para que as pessoas se juntem a nós nesta campanha e ainda possam aproveitar os produtos com desconto referente aos impostos. É um absurdo que tenhamos que trabalhar em média 153 dias no ano para arcar com tributos. É um sistema tributário perverso, que tira o poder de compra dos consumidores, limita os investimentos por parte dos empresários e até mesmo dificulta a contratação de funcionários. Nosso objetivo é chamar atenção para esse que é um dos problemas que freia o desenvolvimento da nossa cidade, do Estado e do país”, defende.

Comerlato explica que o desconto referente ao encargo é apenas para o consumidor, para demonstrar a ele o percentual de imposto sob o produto ou serviço. O diretor acrescenta que não é necessário que o empresário coloque à venda todos os itens com desconto, porém é obrigatório dar a redução proporcional do valor do respectivo tributo em nível nacional.

Além da ação nas ruas, durante este mês, os perfis oficiais da CDL Jovem Caxias nas redes sociais também estão divulgando conteúdos que abordam o tamanho da “mordida” da carga tributária no Brasil, com posts e vídeos de cunho informativo.

Lojistas ainda podem aderir ao DLI
Os varejistas interessados em participar da iniciativa ainda podem cadastrar seus estabelecimentos e os itens que serão vendidos com desconto até a véspera da data (24). A inscrição é gratuita e deve ser feita, exclusivamente, através do site www.dialivredeimpostos.org.br. Para aderir, não é preciso ser associado a CDL Caxias ou a qualquer outra entidade, e podem estar localizados tanto na área central, como em bairros, shoppings e centros comerciais da cidade.

As empresas terão direito a um kit da campanha, que inclui cartaz para a vitrine, folder, balões e tags de desconto, e que deverá ser retirado na sede da CDL Caxias. Para os lojistas de shoppings, os estabelecimentos também serão contemplados com adesivos de vitrine.

Dia Livre de Impostos no calendário desde 2003 no país
O Dia Livre de Impostos foi criado em 2003 e ocorre em todo o país, em mais de 1,2 mil cidades. Em 2022, a data contou com a participação de 26 estados e o Distrito Federal e a colaboração de mais de 40 mil varejistas. Para este ano a expectativa é que mais de 50 mil estabelecimentos de todo o Brasil participem, movimentando R$ 3,6 bilhões em negócios.

Conforme a CNDL, os setores de comércio e serviço representam 70% do produto interno bruto e 76% dos estabelecimentos comerciais do país. Também são responsáveis por 56% de todos os postos de trabalho do Brasil. Já em Caxias do Sul, segundo levantamento da CDL, os mesmos segmentos somavam, em março, 76% das empresas registradas na cidade, sendo 50,4% voltadas aos serviços e 25,6% ao comércio. Os setores também empregam 51,5% da população, sendo que o comércio representa 17,2% desta fatia.

  • PRODUTO/SERVIÇO E A CARGA TRIBUTÁRIA MÉDIA NO BRASIL*
  • Academia 27%
  • Bebida Alcoólica / Cigarros 43%
  • Bebidas sem álcool 26%
  • Bijuterias 34%
  • Bolsas e Malas 40%
  • Brinquedos 34%
  • Cama, mesa e banho 28%
  • Celulares 40%
  • Chocolate 34%
  • Cinema 30%
  • Eletrodomésticos 34%
  • Eletrônicos 43%
  • Estacionamento 16%
  • Higiene Pessoal 46%
  • Joias / Relógios 30%
  • Livros 15%
  • Maquiagem 58%
  • Óculos 34%
  • Outros Serviços 16%
  • Papelaria 32%
  • Perfumaria 70%
  • Remédios 31%
  • Restaurantes 32%
  • Salão de beleza 26%
  • Sapatos 31%
  • Utensílios para o lar 37%
  • Vestuário 31%

*Fonte do dados: Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)

Relacionadas
Integra CNDL

Shine Experience chega à capital federal para inspirar as empreendedoras

O evento que começou em Palmas (TO) reuniu empreendedoras do Distrito Federal; as participantes puderam assistir à palestra com Janete Vaz, uma das fundadoras do laboratório Sabin.
Integra CNDL

Câmara Setorial da Mulher da CDL-CL se reúne com prefeito de Conselheiro Lafaiete

A Câmara Setorial da Mulher da CDL Lafaiete se reuniu, na última quarta-feira (27), com o prefeito de Conselheiro Lafaiete, Mário Marcus para apresentação institucional da CDL Mulher e levar demandas referentes ao serviço das creches municipais. Na ocasião, foi entregue também ao prefeito a cartilha “Mulheres que Constroem o Varejo – Precursoras da Mudança”, um projeto da CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e realizado pela CDL Lafaiete para levantar o perfil da mulher empreendedora do município com o intuito de identificar o porte, segmento, desafios e possíveis dificuldades do setor.
Integra CNDL

Comércio, Indústria e o desenvolvimento do Sudeste

Audiência pública discute o papel dos setores para a recuperação econômica da região. Presidente da CNDL aponta políticas públicas regionais como saída para a estagnação.