Sem Categoria

Duas histórias de incentivo às compras locais fizeram sucesso graças ao apoio das CDLs

Sem Categoria

Duas histórias de incentivo às compras locais fizeram sucesso graças ao apoio das CDLs

Duas histórias de incentivo às compras locais fizeram sucesso graças ao apoio das CDLs

 

Poder feminino sobre rodas

 

anaemaria-5

Com apenas 18 anos, Ana Carolina Tabaris tornou-se empresária. O pai comprou um negócio na cidade de Itabirito, Minas Gerais, a 50 quilômetros da capital, Belo Horizonte, e passou para ela e a irmã, Maria Cristina, um ano mais nova. Não se tratava de uma boutique ou um restaurante, mas uma loja relacionada a carros, com o nome do antigo proprietário: Autopeças e Acessórios Fernando.

“Claro que sofremos resistência, ouvimos comentários”, relembra, hoje com 40 anos. “Mas não nos abatemos, seguimos em frente”, comemora a varejista, que decidiu não mudar o nome do antigo proprietário, por uma questão de “tradição, nome estabelecido”, mas acabou se arrependendo disso no longo prazo.

O importante é que, desde que assumiram, as irmãs colocaram o negócio adiante, suplantaram a crise e criaram inovação. “Hoje em dia, toda mulher tem carro, é independente, por que uma loja de autopeças não pode ser um ambiente convidativo também para elas?”. Esse se tornou um dos trunfos do seu empreendimento: ser um ambiente mais amigável para o público feminino. Mas não apenas isso.

Com a recessão no Brasil nos últimos anos, houve queda de venda de veículos novos. As pessoas ou ficaram com seu carro antigo ou compraram usados, o que turbinou o setor de autopeças. Na loja de Ana, houve aumento de 5% nas vendas.

Como presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itabirito, ela também foi uma das incentivadoras da campanha “Aqui se faz, aqui se compra” (no estado de Minas Gerais), estimulando o comércio local na cidade dominada pela presença da mineradora Vale do Rio Doce e pela fábrica da Coca Cola.

“Aqui, quase 10% da população trabalha no comércio (quatro mil de 50 mil habitantes). Quando você compra em Itabirito e não na capital ou outro estado, você fatalmente está dando emprego para seus amigos, seus familiares próximos, alimentando a cadeia produtiva. Esse discurso é eficiente aqui”, conclui.

 

Pontos de Virada

* Presença feminina em negócio tradicionalmente dominado por homens.

* Cursos de qualificação na CDL.

* Aproveitamento da queda nas aquisições de carros novos para vender peças para usados.

* Estímulo de vendas locais, fortalecendo a cadeia produtiva da cidade.

* Atendimento personalizado.

 * Salto: desde que assumiram o negócio, as irmãs triplicaram o faturamento, compraram sede própria e dobraram o tamanho da sede original.

frase em destaque: “Por que uma loja de autopeças tem de ser um ambiente masculino? Hoje, toda mulher tem seu carro e quer cuidar bem dele, fazer a manutenção e chegar a uma loja dessas e ser bem atendida, inclusive por outras mulheres.” Ana Carolina Tabaris

 

 

Box 2

Compre local

Assim como a mineira Ana Carolina, a natalense Lucianna Araújo tem nos motores seu ganha-pão: ela é dona da Potiguar Honda, concessionária na capital do Rio Grande Norte, que também tem loja no interior do estado. “Eu nunca senti esse preconceito, talvez porque frequente esse ambiente desde os 16 anos. Mas, sim, há reuniões de donos de concessionárias com 30 pessoas e só eu de mulher!”, comenta, entre uma risada.

Ela é diretora local da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e também estimula o consumo no seu estado, por meio da campanha “Compre do RN”, da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL). “Nosso estado é carente de recursos e isso tem de ser estimulado. É algo que tem de acontecer em duas vias; por exemplo, eu poderia comprar equipamentos de informática de fora, pois às vezes são mais baratos, mas consigo negociar com empresário daqui, bater o preço da internet”, explica ela, hoje com 38 anos e dividindo a propriedade da Potiguar Honda com os irmãos.

“Por outro lado, alguns equipamentos que vendo, como luvas e capacetes, têm, muitas vezes, preços e variedades mais atraentes fora do estado, como em São Paulo, por exemplo. Daí eu faço um negócio específico, cliente por cliente, baixando preços, ganhando menos, para não perder a venda e fortalecer a economia local”, elucida.

 

Lucianna, que vende veículos novos, teve perdas com a crise financeira do Brasil dos últimos anos, mas não se abateu: mudou estratégias e se modernizou. “Foram dois pontos importantes: recursos humanos e tecnologia, integrados”, explica. “Passamos a investir nos vendedores de maior produtividade, com capacitação e estímulos específicos, e, assim, reduzimos pessoal”, revela. “Outra coisa: ativamos fortemente o on-line, o WhatsApp. Muitas vendas são feitas quase 100% nesses meios. A pessoa só vai até a loja para finalizar o negócio mesmo”, conclui.

 

Pontos de Virada 

* Foco nos melhores vendedores.

* Aumento do uso da tecnologia.

* Compra e vende localmente, mesmo que isso exija negociações mais “apertadas”.

* Negócio familiar, começando aos 16 anos.

* Participação ativa na CDL.

 

* Salto: durante a crise, conseguiu manter crescimento de dois dígitos por ano, exceção de 2015/16, porém com retomada em 2017.

 

frase em destaque: “Comprar e vender localmente exige um esforço extra. Sentar à mesa, negociar, baixar preço e se conscientizar de que, no longo prazo, todos ganham moviment

Compartilhe:
Relacionadas
Sem Categoria

Hoje é o Dia Internacional da Proteção de Dados

*Cristiane Manzueto e Rodrigo Leal Embora privacidade e proteção de dados estejam, atualmente, no centro das atenções por conta do avanço das… Compartilhe:
Sem Categoria

Hauly e José César discutem a Reforma Tributária

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) promoverá, nesta quarta-feira (2), às 16h, uma conversa entre o consultor tributário e economista, Luiz… Compartilhe:
Sem Categoria

Inova Varejo realiza live sobre fidelização de clientes

Projeto recebe Guilherme Vasconcelos, CEO da Cliente Fiel, startup que cria aplicativos de delivery com foco em fidelização de clientes Com o… Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.