Tendências e Inovação

Empresas que adotam ferramentas de gestão reduzem custos em até 80%

Agilidade, eficiência e organização são pontos que mostram melhorias com o uso de softwares de processos

A integração dos sistemas utilizados pelas empresas se torna cada vez mais necessária para que o gerenciamento de atividades seja feito de forma prática, além de reduzir custos, mapear processos, estruturar e padronizar dados, armazenar informações, entre outras ações que permeiam o gerenciamento dos varejistas nos negócios.

Tanto os pequenos quanto os grandes varejistas buscam cada vez mais zerar o índice de perdas, com sistemas eficientes, ou seja, um sistema que promova a gestão desde o faturamento até o balanço contábil, de compras a fluxo de caixa, de apuração de impostos a administração de pessoal, de inventário de estoque a contas a receber, do ponto dos funcionários ao controle do maquinário da fábrica.

A Bluesoft, referência no desenvolvimento de soluções de tecnologia para o setor varejista, criou o Planejamento dos Recursos da Empresa (ERP), um sistema de gestão empresarial que ajuda no controle total de informações, integrando e gerenciando dados, recursos e processos para que as companhias tenham maior assertividade na tomada de decisão e sucesso nos negócios.

O ERP Bluesoft é na nuvem, então, para sua operação, é necessário apenas internet. “Com o nosso sistema, ele só precisa estar on-line. Isso gera uma economia de cerca de 80% para o varejista, que tem a vantagem de acessar informações a qualquer momento, inclusive, na palma da mão”, explica André Faria, CEO da empresa.

Resultados

Antes de adotar um software de gestão, a rede Barbosa Supermercados tinha apenas duas lojas em São Paulo. Hoje, são mais de 30 estabelecimentos, entre eles, na capital paulista, Tatuí, Osasco, Jandira, Rio Claro e Sorocaba. “Conseguimos visualizar on-line e na palma da mão a situação da empresa, como as vendas, o desempenho das lojas, os produtos mais vendidos etc. Ter essa liberdade dá uma boa vantagem competitiva para qualquer negócio”, conta Hélio Pereira, gerente de Tecnologia da Informação da rede.

De modo semelhante, a rede Da Praça Supermercados passou por melhorias e apostou na adoção do software ERP para crescer e estruturar. Na época, a marca contava com apenas 18 lojas e o maior desafio era a integração das áreas. Atualmente, são 30 lojas na cidade de São Paulo, Atibaia e Bragança Paulista, com mais de 1.600 empregos diretos.

“Foi por conta do ERP que pudemos crescer e expandir de forma segura e firme. A informação em tempo real e a integração das áreas foram fundamentais para que pudéssemos tomar uma decisão muito mais assertiva, por exemplo. Como toda a solução é feita na nuvem, temos à disposição informações cruciais na palma da mão. Se não fosse isso, além da falta de conectividade, teríamos um custo médio excedente de R$ 200 mil só de compra de infraestrutura”, explica Arandir Ferreira, responsável pela área de tecnologia da informação.

É possível perceber que a modernização de processos internos, como o uso de softwares de gestão, vai deixar de ser uma opção para se tornar uma necessidade. Pequenas, médias e grandes empresas precisam investir sempre em tecnologia para manter uma linha de crescimento satisfatória nos negócios.

Uma estratégia fundamental para os varejistas é adotar algumas soluções que hoje se tornaram básicas, como a integração de loja física com on-line (e-commerce) e melhoria na experiência do consumidor e nas operações, de forma geral. A tecnologia, somada a formatos já praticados no comércio, pode entregar serviços e soluções para os clientes, fidelizando-os às marcas e resultando em melhoria.

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

Os segredos para ser um líder de sucesso

Para entender as habilidades que um líder precisa para realizar uma boa gestão, a Revista Varejo S.A. conversou com Caio Cunha. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Três aplicações eficientes e modernas que podem melhorar a competitividade do varejo

A tecnologia é capaz de tornar o modelo de varejo mais competitivo e lucrativo, além de garantir que os negócios se atualizem e não sejam excluídos do mercado por falta de inovação. Não à toa, sua aplicação em torno da automação de processos em busca de mais eficiência foi batizada como Quarta Revolução Industrial. E, após tantos avanços, ainda há o que ela pode contribuir para melhorar a competitividade das empresas que compõem o ecossistema do consumo e, também, o setor como um todo. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Brasileiros querem comprar mais do comércio local

Levantamento da Plataforma Gente, da Globo, aponta que 71% dos consumidores brasileiros pretendem comprar mais de negócios locais porque querem que eles permaneçam abertos. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.