24 jul, 2024
0 ° C

Indústrias de bens de consumo e varejo são as que mais investem em marketing conversacional

Marcas como Magalu, Elma Chips (PepsiCo), Lacta, OMO, Heinz, Bepantol e Sadia apostam no WhatsApp para campanhas de marketing

Shutterstock
marketing conversacional

A popularidade dos aplicativos de mensagens despertou o interesse de grandes anunciantes, que agora aproveitam canais como o WhatsApp também em suas campanhas de marketing conversacional. Isso se deve ao amplo alcance do app de conversas, presente no dia a dia de 99% dos brasileiros. Empresas dos setores de bens de consumo e varejo têm adotado o aplicativo em suas estratégias de mídia de diversas maneiras, que vão desde a criação de experiências inovadoras para promoções e eventos, até a qualificação de leads com o uso de inteligência artificial.

Inclusive, atualmente já existem negócios focados em serviços nessa área, como o smarters, empresa de inteligência em marketing conversacional especializada em criar agentes conversacionais (chatbots) para WhatsApp, Messenger e Instagram. “A demanda está crescendo: 80% dos nossos projetos ativos atualmente são de alguma empresa de bens de consumo ou de varejo, e, se formos pensar desde a fundação da nossa empresa, cerca de 45% dos clientes que fizeram ações conosco eram desses mercados”, explica o Co-CEO do smarters, Samir Ramos.

O executivo também ressalta a diversidade de ações possíveis ao colocar o WhatsApp como protagonista nas estratégias das marcas em todas as etapas da jornada do consumidor. “Já fizemos praticamente todo o tipo de projeto, incluindo campanhas de vídeos personalizados, promoções de vendas, parcerias de marketing Out-Of-Home (OOH), eventos e shows. O WhatsApp estreita relações entre a marca e o cliente. Por exemplo, um dos chatbots que criamos recentemente ajuda o usuário a buscar receitas com base em ingredientes, tipo de refeição, ocasião ou tempo de preparo”, comenta Ramos, ressaltando que, por essa expertise, a empresa ganhou em março o prêmio “CPG: Best-in-class Use Case Maker” no Partners Kickoff 2024 da Meta e o prêmio Bots Brasil Awards, nas categorias Comércio e Inovação.

Essa última premiação foi conquistada justamente através de um case pioneiro e inovador: o Magazine Luiza, um dos maiores varejistas do país, integrou o Direct Connect, catálogo de produtos nativo do WhatsApp, ao seu agente conversacional. O projeto, desenvolvido pelo smarters, consistiu em colocar todo o marketplace do Magalu à disposição dos clientes, via um catálogo sincronizado com o e-commerce da marca.

“A solução permitiu que todo o portfólio da empresa seja atualizado em tempo real, incluindo preços, estoque e informações sobre produtos. Também é possível incluir itens no carrinho direto no WhatsApp e, na sequência, ser direcionado para a finalização da compra”, explica o executivo, destacando que, com esse projeto, a empresa foi a primeira a usar o sistema de integração para o WhatsApp no Brasil.

De acordo com Ramos, o terreno para explorar ações envolvendo aplicativos de conversa é amplo e tende a crescer ainda mais: “O WhatsApp está se transformando em uma espécie de Sistema Operacional para aplicativos leves e altamente personalizados, tornando-se uma ferramenta poderosa não apenas pela flexibilidade de criação, mas também pela capacidade de customização e inteligência para atender demandas específicas em estratégias de marketing.”

A empresa, atualmente uma das principais fornecedoras desse tipo de serviço no Brasil, é, desde 2019, provedora oficial homologada pela Meta, chamada de Business Solution Provider (BSP), e foi a criadora da primeira plataforma de processamento de linguagem natural (NLP) em português do mundo, além da tecnologia exclusiva para mensuração e atribuição para WhatsApp, a plataforma Trail.