Tendências e Inovação

Inovação: varejistas apostam em aluguel de produtos

Magalu lança serviço para aluguel de eletrodomésticos e outros produtos

Com o VaiVolta Magalu, os clientes poderão testar equipamentos, como furadeiras, antes de comprá-los

A Magalu acaba de iniciar, em São Paulo, os testes do Vaivolta, serviço de assinatura que permite aos usuários alugar itens do cotidiano, como eletrodomésticos, ferramentas, frigobares, micro-ondas, purificadores de água, furadeiras e até caixas de som e videogames para festas e outros eventos. Ainda em fase beta, a iniciativa será realizada em uma parceria com a Housi, plataforma de assinatura de moradia, e permitirá que os clientes façam aluguéis pontuais, chamado de “locação spot”, ou contínuos, com cobrança mensal.

“Terá acesso a itens de alta qualidade de forma temporária, sempre que precisar, sem se preocupar com o espaço para guardar o produto e ainda contribuir com a economia circular” explica o CEO da Housi, Alexandre Frankel.

Com o funcionamento similar ao serviço de assinatura de moradia, a ideia do Magalu Vaivolta é atender a quem pretende utilizar um aparelho temporariamente e àqueles que querem testar os produtos antes de adquiri-los. Na modalidade “locação spot”, os clientes poderão alugar produtos para uso em 7, 15 ou 30 dias.

Os usuários da Housi nas unidades de Bela Cintra e Paulista serão os primeiros a ter acesso ao serviço. Por estar em fase de testes, o Vaivolta não está presente nas plataformas Magalu, como o site e o SuperApp, atendendo apenas por meio do site oficial do projeto.

Após se cadastrar, o usuário deve navegar pela lista de produtos e escolher o dispositivo desedo. Em seguida, fazer o agendamento com a data e hora da retirada, e o pagamento com o cartão de crédito. Na devolução, o produto deve ser reembalado e, em outra data agendada, a equipe do Vaivolta buscará o pacote no endereço cadastrado. O serviço também permite o cancelamento ou mudanças nas datas.

Como adicionar produtos de aluguel ao seu negócio
O aluguel ou assinatura de produtos é uma tendência no mercado, haja vista as várias empresas que surgiram neste ramo e tiveram sucesso, nos últimos anos, como a própria Uber. Nos Estados Unidos, o Dollar Shave Club (DSC) apostou no modelo de assinatura para a venda de lâminas de barbear. Hoje, a DSC tem mais de 3,2 milhões de clientes.

A familiaridade dos consumidores com as marcas, a facilidade alugar e devolver itens com segurança e a variedade de estoque colocam os varejistas em posição de vantagem quando o assunto é aluguel ou assinatura de produtos e serviços.

Segundo a Betalabs, empresa especializada em tecnologia para e-commerce e clubes de assinatura, a partir de sua base de dados, houve um crescimento de 19% nos clubes de assinatura em todo o país em 2021. Apenas ao longo desse ano, mais de 2 mil novos clubes foram criados no Brasil — hoje, são mais de 6 mil serviços em funcionamento no país.

“A pandemia trouxe uma mudança definitiva no comportamento do consumidor. Ele aderiu mais à compra de forma recorrente e por assinatura, impulsionando o faturamento das empresas e facilitando a entrada de novas organizações nesse segmento”, explica Luan Gabellini, sócio-diretor da Betalabs.

Luan Gabellini: “A pandemia trouxe uma mudança definitiva no comportamento do consumidor, que aderiu mais à compra de forma recorrente e por assinatura”

Por outro lado, os clientes de aluguel de produtos não estão apenas pegando uma caixa da prateleira – física ou virtual – e indo embora. Eles estão se envolvendo em relacionamentos contínuos que podem durar meses ou até anos. Isso significa que, em vez de vender o maior número possível de unidades, os varejistas precisam fornecer excelente atendimento ao cliente, educando-o sobre os produtos, orientando-o na tomada de decisão, fornecendo suporte contínuo e reparos, devoluções ou até mesmo atualizações em tempo hábil. Tudo isso é fundamental para construir longevidade e confiança e cria fluxos de receita recorrentes para os varejistas.

Modelos de aluguel de produtos
As opções mais comuns de serviços de aluguel são:

  • Transacional: aluguel e devolução simples. Nesta opção, é possível alugar itens não vendidos ou devolvidos, com um maior retorno sobre o investimento do estoque de aluguel resultante do número de transações para um único produto. Os clientes reservam e pagam o equipamento por um período de aluguel pré-definido e devolvem o equipamento no final do prazo. O aluguel dos produtos pode ser de hora em hora, diário ou semanal.
  • Relacionamento: assinaturas de produtos com níveis de acesso. Este modelo busca desenvolver uma base de clientes fiéis. Embora lucrativo no longo prazo, esse modelo exige um investimento maior em estoque duplicado para satisfazer os assinantes que têm uma expectativa maior do relacionamento. Um varejista que considere esse modelo deve orçar um custo mais alto para adquirir assinantes, mas pode esperar lucro a longo prazo.

Como viabilizar o serviço de aluguel
A palavra de ordem aqui é tecnologia! É preciso escolher a tecnologia certa para lidar com as complexidades das transações, que deve desde identificar a disponibilidade do produto no estoque até processar a cobrança. Confira o que será necessário para criar o serviço de aluguel de produtos:

Gerenciamento de estoque intuitivo
Certifique-se de que seu software de aluguel ofereça suporte a várias maneiras de adicionar produtos ao seu estoque. Adicionar milhares de produtos deve ser tão simples quanto adicionar apenas um. O sistema deve também permitir adicionar itens individualmente ou em massa a partir do seu sistema de gerenciamento de estoque atual.

Reservas online
Facilitar a localização, agendamento e aluguel de funcionários e clientes é fundamental para o negócio dar certo. Escolha um sistema que inclui uma loja virtual integrada e compatível com dispositivos móveis, onde os clientes podem ver a variedade e disponibilidade de seu estoque de aluguel e encontrar e reservar facilmente produtos complementares em tempo real.

Os clientes de aluguel de produtos não estão apenas pegando uma caixa da prateleira e indo embora, eles estão se envolvendo em relacionamentos contínuos que podem durar meses ou até anos

Opções de preços dinâmicos
O aluguel, por definição, inclui um elemento de preço baseado no tempo: o seu retorno é maior quanto mais tempo o item alugado estiver com um cliente. Os sistemas de gerenciamento de aluguel devem, portanto, permitir que os produtos sejam precificados em um período inicial de aluguel (por exemplo, R$ 10/dia) e um nível por tempo “extra” (por exemplo, R$ 10 para o primeiro dia e R$ 6 a cada dia adicional).

CRM e pacote de comunicação
Assegure-se de que o sistema escolhido inclua “ferramentas” de comunicação para manter a equipe e os clientes informados sobre o aluguel: duração da locação, prazo para devolução e a confirmação de que o item foi devolvido no prazo. O sistema deve ser capaz de disparar alertas por e-mail, mensagens para apps de comunicação instantânea e SMS.

Cuidados essenciais

  • Catálogo com imagens claras: apresente seu catálogo com imagens claras facilitando a navegação do visitante. Desta forma, os visitantes terão uma ideia precisa de como são os produtos.
  • Navegação intuitiva: torne seus itens fáceis de encontrar, melhorando a experiência de aluguel. Com um catálogo bem-organizado, os visitantes encontrarão o que precisam mais rapidamente e sua taxa de conversão (o número de visitantes que compram) disparará.
  • Ofereça pacotes e sugira produtos: a maioria de seus clientes pode não ter ideia de quais equipamentos eles precisam para o evento. Você pode ajudá-los oferecendo o pacote certo para cada ocasião. Com isso, os clientes terão a certeza de obter o equipamento certo e você terá mais lucro.
  • Processo de reserva fácil e claro: mantenha as condições e os preços claros desde o início, evitando qualquer confusão com seus clientes.
  • Registre e monitore os dados de seus clientes: para atender melhor dos seus clientes, primeiro você precisa saber quem eles são. Uma boa iniciativa é permitir que criem uma conta no sistema, facilitando a coleta de dados básicos (nome, endereço, telefone e e-mail) e onde é possível armazenar um histórico dos aluguéis e permitir que os consumidores apontem os produtos desejados em futuras locações.

Com informações do CanalTech.

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

Os segredos para ser um líder de sucesso

Para entender as habilidades que um líder precisa para realizar uma boa gestão, a Revista Varejo S.A. conversou com Caio Cunha. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Três aplicações eficientes e modernas que podem melhorar a competitividade do varejo

A tecnologia é capaz de tornar o modelo de varejo mais competitivo e lucrativo, além de garantir que os negócios se atualizem e não sejam excluídos do mercado por falta de inovação. Não à toa, sua aplicação em torno da automação de processos em busca de mais eficiência foi batizada como Quarta Revolução Industrial. E, após tantos avanços, ainda há o que ela pode contribuir para melhorar a competitividade das empresas que compõem o ecossistema do consumo e, também, o setor como um todo. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Brasileiros querem comprar mais do comércio local

Levantamento da Plataforma Gente, da Globo, aponta que 71% dos consumidores brasileiros pretendem comprar mais de negócios locais porque querem que eles permaneçam abertos. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.