22 fev, 2024
0 ° C

Maturidade empresarial é essencial na atualidade

As empresas de tecnologia estão desempenhando um papel cada vez mais importante na economia da América Latina, e o potencial de crescimento em comparação com outras regiões é gigantesco.

A América Latina, em especial o Brasil, tem a combinação perfeita para disrupção, com uma penetração digital crescente, um mercado gigante com uma população mal atendida e problemas grandes, complexos e sistêmicos em basicamente todas as áreas estruturais, como saúde, educação, indústria e varejo. Sem falar na qualificação dos empreendedores.

“Vemos fundadoras e fundadores cada vez bem preparados, muitos que vem inclusive de experiências prévias bem-sucedidas e estão na sua segunda ou terceira jornada”, analisa a diretora-geral da Endeavor Brasil, Camilla Junqueira.

Além disso, as empresas de tecnologia estão desempenhando um papel cada vez mais importante na economia da América Latina, e o potencial de crescimento em comparação com outras regiões é gigantesco.

“O valor de mercado das empresas de tecnologia brasileiras, como porcentagem do PIB, saiu de 2,8% em 2020, para 4,5% em 2021. Mesmo assim, ainda há muito espaço para crescer, se compararmos com mercados mais maduros”, diz a diretora-geral da Endeavor Brasil.

Nos EUA, esse mesmo dado saltou de 48,2% para 69,8% entre 2020 e 2021; e na China, de 25,4% para 30,2%.

“Enquanto houver problemas, haverá espaço para empreendedores, e haverá investidores dispostos a apostar neles”, ressalta Camilla.

O CEO do Distrito, Gustavo Gierun, não acredita em uma ruptura no mercado. Depois de um ano com um volume espetacular de investimentos, a fase é de ajuste, por prazo indeterminado, decorrente das condições de mercado. Segundo ele, o mercado de tecnologia no Brasil tem um potencial brutal, em qualquer setor ou indústria, e continuará crescendo por, pelo menos, uma década. Ciclos econômicos são parte da jornada. Quando existe uma restrição de capital, todos buscam eliminar ineficiência e favorecem o crescimento sustentável. A velocidade de leitura das condições do mercado e de adaptação podem fazer empresas se beneficiarem ou quebrarem.

“Não acredito que exista uma bolha ou uma crise específica no mercado de tecnologia, mas sim um período de ajuste diante das condições macroeconômicas. Historicamente, grandes empresas de tecnologia foram criadas em ciclos de aperto econômico. O crivo será maior, mas bons empreendedores ainda terão muitas oportunidades”, diz Gustavo Gierun.

Fonte: Diário do Comércio