Tendências e Inovação

Mulheres no comando

Prêmio em São Paulo estimula lideranças femininas no setor intensivo em tecnologia

Fazer com que pessoas que perderam a capacidade de falar possam acessar a própria voz e recuperar a identidade. Essa é a proposta de uma solução tecnológica desenvolvida pela Soul Vox, uma das seis startups lideradas por mulheres vencedoras da edição 2017 do Prêmio Mulheres Tech em Sampa.

O protótipo foi premiado pela inovação, uso da tecnologia e capacidade de oferecer esse serviço de saúde em escala. “Partimos de experiências profissionais e pessoais com pacientes e familiares que perderam a capacidade de falar. Pensamos em como melhorar a autoestima dessas pessoas, tivemos uma ideia e trabalhamos suas conexões”, conta Thais Romanelli, fisioterapeuta, em parceria com a fonoaudióloga Karina Pereira e a arquiteta Marina Vaz. Integra o grupo ainda o engenheiro Guilherme Vaz.

O protótipo foi essencial para que a artista plástica Ana Amália Barbosa recuperasse a capacidade de comunicar após um acidente vascular cerebral que, aos 46 anos, quase eliminou todos os movimentos do seu corpo.

A partir de uma solução tecnológica desenvolvida pela Soul Vox, ela passou a se comunicar usando as pálpebras dos olhos e o queixo em movimentos lentos que, por meio do protótipo, são transformados em comunicação com o uso de sua voz recuperada através de fitas VHS.

Ao apresentar essa solução e ser uma das vencedoras do prêmio Mulheres Tech em Sampa na edição deste ano, a Soul Vox passou a contar com apoio para estruturar a solução para que possa ganhar escala e auxiliar mais pessoas com problemas de perda da fala. A empresa também venceu, logo no início, duas premiações na área de saúde.

Quem é a Soulvox
Uma equipe multidisciplinar formada por arquitetos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, engenheiros de som e de computação e especialistas em tecnologia.

Público-alvo
Pessoas com limitações motoras na voz: pacientes de paralisia cerebral, câncer na cabeça ou pescoço, traumatismo craniano, pessoas que sofreram AVC ou que tem síndromes degenerativas, como o ELA.

A idealizadora do Mulheres Tech em Sampa e fundadora da Rede Mulher Empreendedora, Ana Fontes, conta que o prêmio foi criado em 2015 para incentivar mulheres a desenvolverem soluções de base tecnológica que possam ser replicáveis e ofertadas em grande escala.

A ideia do prêmio é fazer com as startups em particular e o mundo tecnológico como um todo não sejam vistos como área exclusivamente masculina, incentivando mulheres a idealizarem soluções intensivas em tecnologia.

“O universo das startups no Brasil e no mundo ainda é dominado por homens brancos e de classe média. A gente quer mudar isso e mostrar que existem muitas mulheres fazendo startups interessantes. E isso é crescente”, comentou Ana Fontes.

Juntamente com a Soul Vox, foram premiadas as startups “Beleza de Farmácia”, um aplicativo de smart choice que auxilia mulheres na compra de produtos de beleza; “Celebrar”, marketplace colaborativo de serviços para festas que conecta formandos a fornecedores de serviço; “Nahora.com”, plataforma de vendas relâmpago de passagens aéreas com até 50% de desconto; “Testr”, solução que facilita o acesso a testes de usabilidade; e “Vittude”, marketplace que conecta psicólogos e pacientes. Todas essa soluções foram desenvolvidas por mulheres.

As seis startups foram selecionadas em um grupo de 65 participantes e de 12 finalistas que apresentaram seus pitchs a uma banca de jurados formados por investidores e especialistas.

As experiências vencedoras passarão a receber, pelo período de seis meses, mentoria (consultoria em menor escala), acesso a espaços co-working, rodadas com os chamados investidores anjo e assessoria de imprensa para divulgação das ações e resultados.

“O prêmio é um reconhecimento que ajuda a criar uma rede de contatos e a abrir portas. A partir disso, a ideia é que essas startups ganhem visibilidade, apoio e iniciem um processo de aceleração para que ganhem escala”, diz Ana Fontes.

Ao fim de seis meses, a startup que apresentar o melhor desempenho receberá, para seus idealizadores, uma viagem à sede da Airbnb, no Vale do Silício (EUA).

O prêmio Mulheres Tech em Sampa é disputado em São Paulo e a intenção, conforme Ana Fontes, é ampliá-lo e torná-lo nacional. A meta é incentivar mais mulheres a desenvolverem negócios associados à tecnologia, que sejam convertidos em produtos e soluções e ofertados em escala.

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

APAS Show: IoT e soluções conectadas diminuem perdas e melhoram experiência do shoppper

Dar inteligência aos dispositivos é a proposta da Inwave para revolucionar o setor trazendo mais segurança e atuando diretamente na redução de perdas e melhora da experiência do consumidor Compartilhe:
Tendências e Inovação

Índice de competitividade: importância e desafios do frete

A velocidade de entrega é um benefício percebido pelos clientes e, por causa disso, deve ser explorada ao máximo para maximizar os resultados. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Indústrias relacionadas ao metaverso devem movimentar R$ 4 tri até 2024

Muito além do conceito, as indústrias que se formaram em torno do metaverso já movimentam números expressivos. De acordo com dados da Bloomberg Inteligence, segmentos como RV (Realidade Virtual) e de RA (Realidade Aumentada), games, cloud e outros, devem movimentar mais de R$ 4 trilhões até 2024. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.