22 fev, 2024
0 ° C

O poder dos influencers na decisão dos consumidores

O Brasil conta com meio milhão de influenciadores. Cada um tem pelo menos 10 mil seguidores nas redes sociais. Em 2022, o investimento em influencers deve chegar a US$ 16,4 bilhões.

A internet facilitou a interatividade entre fornecedor, influenciador e consumidor. E esta não foi a única transformação: a forma como as pessoas se relacionam com as empresas (marcas) também mudou, passando a ser intermediada pelos influenciadores digitais. Esses perfis têm o poder de influir diretamente no poder de compra de outras pessoas, divulgando marcas, recomendando produtos e criando tendências que podem ajudar as empresas.

Nesta quarta-feira (14/9), o tema foi discutido no Latam Retail Show 2022. O painel foi guiado por Célio Martinez, CEO da Mercado & Consumo, plataforma de conteúdos da Gouvêa Ecosystem. Ele comenta que “os influenciadores fazem parte de mais um canal de ativação de marketing que de 5 anos para cá aumentou drasticamente, a ponto de as empresas separarem uma parte do budget para este investimento”.

O Brasil conta com meio milhão de influenciadores. Cada um tem pelo menos 10 mil seguidores nas redes sociais. Em 2022, o investimento em influencers deve chegar a US$ 16,4 bilhões.

A comunicação, o marketing e o relacionamento são fundamentais para qualquer negócio, porém mais do que construir marca e reputação, o influenciador produz e veicula, de forma assertiva, o conteúdo, além de combinar formato, público e canal. “Não pode existir uma única forma correta de produzir conteúdo, e sim uma forma assertiva de veiculá-lo, por isso o nosso crescimento é recorrente”, avalia Karolina Chokyu mais conhecida como Karol Babadeira, diretora de Marketing da Royal Supermercado.

O poder de influência dessas pessoas e perfis vai além: uma pesquisa apresentada pela Marjorie Teixeira, diretora sênior de Comunicação e ESG para a América Latina da P&G, mostra que o engajamento com vídeo tem alcance 3x mais que uma conversa pelo chat e que uma simples postagem. “A pesquisa mostra que 64% das pessoas já pesquisaram uma marca ou um produto por meio de influencers,” comentou.

Diante desse contexto, o Storytelling ganha força no mercado, inclusive, esta é uma ferramenta que toda boa empresa deve utilizar. O storytelling é uma abordagem que fortalece a identidade e a história do lugar, do negócio e da pessoa. Isaac Azar, sócio-fundador da Paris 6, contou como a empresa usa a técnica: “no caso do Paris 6, (os conteúdos) são inspirados em Paris do século passado. Então, quando você entra em uma unidade vai se sentir de alguma forma exportado no tempo, para a Paris do século passado, que foi uma das capitais mundiais da cultura. Grandes nomes da cultura passaram por lá ou moraram, e os nossos pratos são inspirados nessas celebridades”.