Tendências e Inovação

Para facilitar a entrega

Start-up Pegaki investe em pontos de retirada, dribla atrasos dos fretes tradicionais e desponta no mercado

A venda de produtos nos e-commerces está cada vez maior. A praticidade e a segurança oferecidas pelo comércio eletrônico brasileiro animam os consumidores. Prova disso é o faturamento de R$ 23,6 bilhões no primeiro semestre de 2018, que representa alta de 12,1% ante os R$ 21 bilhões registrados no mesmo período de 2017. Os dados são do relatório Webshoppers, produzido pela Ebit|Nielsen, que analisa dados do mercado on-line.     

De olho nesse segmento em expansão, a empresa Pegaki, criada em 2016, em Blumenau (SC), tem o objetivo de diminuir os problemas nas entregas e na logística reversa – pontos de retirada de produtos.

Como funciona  

O consumidor adquire um produto no comércio eletrônico e o retira no ponto da Pegaki mais próximo, nos chamados pick up points,que sãoestabelecimentos comerciais parceiros, como farmácia, mercadinho e pet shop. A escolha do ponto de retirada aparece na finalização da compra pela internet.

A rede de pontos de retirada da Pegaki disponibiliza a solução para o problema das entregas, sem investimento em infraestruturas caras, como lojas próprias. Dessa forma, a empresa proporciona economia compartilhada, com benefícios a todas as partes envolvidas –consumidores, comércio eletrônico, transportadoras e estabelecimentos que operam como pontos de retirada.

Para 2019, os sócios da start-up preveem três novidades: pontos de retirada exclusivos, inserção dos pontos de coleta, além da expansão do serviço de logística reversa, que acontece quando o cliente precisa devolver ou trocar o produto. De acordo seu CEO, João Cristofolini, o maior desafio desde a criação da empresa foi desenvolver algo novo e educar o mercado, situação que exige tempo e recursos financeiros. “Este ano será de inovação no modo de entrega dos produtos adquiridos nos e-commerces. Nosso objetivo é chegar a três mil pontos de retirada (cerca de 50% de agências dos Correios) – atualmente, a estatal conta com seis mil agências e mais de cem mil entregas –, além do lançamento de novos serviços, como pontos exclusivos, que vão atender unicamente a um determinado e-commerce, logística reversa e miniestoque”, explica. O empresário diz que, em 2018, a Pegaki entregou 30 mil produtos, o equivalente a R$ 3 milhões. Para 2019, a meta é ultrapassar 180 mil e chegar a R$ 18 milhões.

Empreendedores

start-up possui três sócios, todos com perfil empreendedor: João Cristofolini, diretor executivo (CEO), Ismael Costa, diretor de tecnologia (CTO), e Daniel Frantz, diretor de operações (COO). Eles observaram a popularidade do modelo de negócio no mercado europeu e trouxeram um serviço semelhante para o Brasil. Uma das principais atuações de Cristofolini foi a construção de uma rede de franquias com mais de 30 unidades pelo Brasil, além de ser autor de seis livros sobre negócios e fundar o ResumoCast, podcast de negócios mais acessado do iTunes no Brasil. Já Ismael Costa também é CTO e cofundador da ConnectMoves e profissional com experiência de dez anos em desenvolvimento de softwares e aplicativos. Por fim, Daniel Frantz foi COO e sócio da Amplio/Metta Trading por sete anos e fundou a Solesto, e-commerce com faturamento acima de R$ 3,5 milhões por ano.

O perfil empreendedor dos sócios da Pegaki e o potencial inovador do modelo de negócio têm despertado interesse dos investidores. A empresa foi acelerada pela Cotidiano Aceleradora, em uma primeira rodada de investimento de R$ 100 mil. Em 2017, recebeu um segundo aporte de R$ 360 mil, via EqSeed, plataforma que conecta start-ups a investidores. O valor foi levantado em apenas nove dias, sendo o case que obteve êxito de forma mais rápida na fintech (start-ups que trabalham para inovar e otimizar serviços do sistema financeiro) e um marco no mercado de equity crowdfunding brasileiro. Em 2018, a Pegaki captou, novamente pela plataforma, o valor de R$ 1,2 milhão.

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

APAS Show: IoT e soluções conectadas diminuem perdas e melhoram experiência do shoppper

Dar inteligência aos dispositivos é a proposta da Inwave para revolucionar o setor trazendo mais segurança e atuando diretamente na redução de perdas e melhora da experiência do consumidor Compartilhe:
Tendências e Inovação

Índice de competitividade: importância e desafios do frete

A velocidade de entrega é um benefício percebido pelos clientes e, por causa disso, deve ser explorada ao máximo para maximizar os resultados. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Indústrias relacionadas ao metaverso devem movimentar R$ 4 tri até 2024

Muito além do conceito, as indústrias que se formaram em torno do metaverso já movimentam números expressivos. De acordo com dados da Bloomberg Inteligence, segmentos como RV (Realidade Virtual) e de RA (Realidade Aumentada), games, cloud e outros, devem movimentar mais de R$ 4 trilhões até 2024. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.