Tendências e Inovação

Por uma comunicação que oriente a tomada de decisão do consumidor

Com um enorme número de opções em cada categoria de produtos, como o consumidor pode distinguir quais são os mais sustentáveis?

Para isso, é preciso que ele tenha acesso a informações claras, confiáveis, relevantes e transparentes. E não se deve subestimar a importância desses adjetivos.

Informar os atributos de sustentabilidade de produtos garantindo essas qualidades é primordial para construir uma comunicação capaz de orientar a tomada de decisão do consumidor, sem risco de greenwashing. E este é um dos grandes desafios postos às empresas atualmente.

Embora o volume de informações sobre atributos de sustentabilidade dos produtos esteja aumentando, assim como sobre as ações de empresas para a redução dos impactos negativos causados em sua cadeia produtiva, nem sempre tais informações são corretamente compreendidas pelo consumidor, dada a maneira como são comunicadas no rótulo ou na embalagem do produto ou ainda no site ou nas redes sociais da marca.

Há evidências que mostram o quanto essa comunicação precisa avançar. A Pesquisa Akatu 2018 mostra que para 60% dos consumidores a maior barreira para a adoção de práticas sustentáveis é a necessidade de algum tipo de esforço. Dentro dele, o maior obstáculo é o custo do produto, o segundo é a falta de informação sobre os impactos ambientais e sociais e o terceiro é a indisponibilidade de produtos.

Esses obstáculos podem estar mostrando que os consumidores não vêem, na comunicação dos produtos, indicações claras e confiáveis de que os atributos de sustentabilidade de fato estão presentes.

No entanto, de acordo com a Pesquisa Vida Saudável e Sustentável 2020, o percentual de consumidores que estão dispostos a pagar mais por produtos que melhoram a sociedade e o meio ambiente cresceu de 54%, em 2019, para 63%, em 2020. Isso indica que o preço não é necessariamente uma barreira para a compra do produto mais sustentável, desde que identificados os atributos de sustentabilidade do mesmo.

Se não há identificação clara de que o produto responde por tal atributo, existe um problema de comunicação. Da mesma forma, os dois obstáculos, o da falta de informação sobre os impactos ambientais e sociais e o da indisponibilidade de produtos, mostram diretamente que os produtos mais sustentáveis são de difícil identificação pelo consumidor.

Assim, a comunicação inadequada atrapalha o consumidor em sua decisão de compra de um produto mais sustentável em detrimento de um menos sustentável.

Aliás, vale lembrar que o próprio termo “sustentabilidade” precisa ser melhor compreendido por boa parte dos consumidores brasileiros. Na Pesquisa Akatu 2018, 68% dos respondentes disseram já ter ouvido falar em sustentabilidade, mas, entre estes, 61% não souberam dizer o que é um produto sustentável.

Centrando nas qualidades essenciais da comunicação dos atributos de sustentabilidade de produtos, a primeira é a da clareza, que significa adotar uma linguagem cotidiana, de fácil compreensão, que informe a relação direta entre o atributo de sustentabilidade e o produto em si.

A segunda qualidade, da relevância, significa focar em atributos de sustentabilidade que representem de fato um benefício genuíno e diferenciado do produto em relação ao meio ambiente e à sociedade, para além do que é exigido por lei.

Já a confiabilidade significa fornecer informações e dados precisos, fundamentados, robustos e consistentes, com atributos preferencialmente atestados por uma certificação de auditoria por terceiros. Se autodeclarados, os atributos devem poder ser atestados por uma terceira parte independente e crível.

Quanto a ser transparente, trata-se de indicar caminhos para que o consumidor possa rastrear e saber mais sobre métodos e processos por trás das alegações feitas, se ele assim desejar.

E, finalmente, ainda é necessário considerar a acessibilidade, ou seja, garantir que as informações e os dados sobre os atributos do produto cheguem ao consumidor de forma visível no rótulo, na embalagem, no site ou em outro canal usado para comunicação.

Nos últimos anos, tenho me dedicado mais ao tema da comunicação dos atributos de sustentabilidade de produtos por entender que uma boa comunicação é capaz de estimular a prática do consumo consciente. Pelo descrito acima, avalio que há muito o que avançar. ​

Fonte: Folha de S. Paulo

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

Três aplicações eficientes e modernas que podem melhorar a competitividade do varejo

A tecnologia é capaz de tornar o modelo de varejo mais competitivo e lucrativo, além de garantir que os negócios se atualizem e não sejam excluídos do mercado por falta de inovação. Não à toa, sua aplicação em torno da automação de processos em busca de mais eficiência foi batizada como Quarta Revolução Industrial. E, após tantos avanços, ainda há o que ela pode contribuir para melhorar a competitividade das empresas que compõem o ecossistema do consumo e, também, o setor como um todo. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Brasileiros querem comprar mais do comércio local

Levantamento da Plataforma Gente, da Globo, aponta que 71% dos consumidores brasileiros pretendem comprar mais de negócios locais porque querem que eles permaneçam abertos. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Instagram é a plataforma digital que mais engaja

O acesso às redes sociais cresceu 31% em 2021 e os brasileiros contabilizaram mais 13,4 bilhões de ações nestes canais. Também foram contabilizados mais de 9,8 milhões de conteúdos produzidos, 19% acima da média de 2020. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.