15 abr, 2024
0 ° C

Presidentes do Sistema CNDL se encontram com o ministro Welligton Dias

A reunião teve um caráter de cortesia e de apresentação do Sistema CNDL ao ministro. O presidente José César destacou a importância da aproximação institucional entre as CDLs, FCDLs, a CNDL e o ministério.

Da esquerda para a direita, Pedro Failla, José César da Costa, ministro Wellington Dias e Sávio Normando (Foto: Humberto Viana/CNDL)

Os presidentes da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), José César da Costa, e das FCDLs (Federações das Câmaras de Dirigentes Lojistas) do Piauí e da Bahia, respectivamente, Sávio Normando e Pedro Failla, foram recebidos, na tarde desta quarta-feira (15), pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), Wellington Dias.

A reunião teve um caráter de cortesia e de apresentação do Sistema CNDL ao ministro. O presidente José César destacou a importância da aproximação institucional entre as CDLs (Câmaras de Dirigentes Lojistas), FCDLs, a CNDL e o ministério.

“Somos uma entidade privada de livre adesão que, além das questões intrínsecas à nossa natureza, também realiza diversas ações de cunho social que podem ter convergência com o ministério”, disse José César.

O presidente lembrou que o Sistema CNDL é formado por 1 milhão de pontos de venda e mais de 2 mil CDLs. “Estamos presentes em todo o Brasil e sempre dispostos a ajudar nossas comunidades, principalmente com apoio logístico ou mesmo de divulgação de campanhas de cunho social ou assistencial”, falou José César ao ministro responsável pelos programas Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida.

Sávio Normando disse ao ministro que o movimento lojista estaria aberto a apoiar políticas públicas que possam, ao mesmo tempo, beneficiar os cidadãos mais carentes e os pequenos e médios empresários. Nesse sentido, o dirigente falou das oportunidades de incremento no programa Minha Casa, Minha Vida. “Sugeri ao ministro estudar uma forma de usar o programa Minha Casa, Minha Vida para ocupar imóveis abandonados nos centros urbanos e revitalizar os centros comerciais que hoje vivem uma crise muito grande”, contou.

Wellington Dias prometeu estudar a proposta e afirmou que o setor privado e o governo podem, sim, desenhar uma alternativa para o programa. “Uma das vantagens é que os imóveis abandonados dos grandes centros já possuem infraestrutura, o que oportunizaria uma operação de criação de moradias de baixa renda”, apontou Sávio.

Outro ponto tratado na reunião foi a possível utilização do atual cadastro único, o banco de dados que reúne as famílias de baixa renda no Brasil, para identificar profissionais que já possuem alguma qualificação profissional e inseri-los no mercado de trabalho.

“Seria uma inciativa conjunta da iniciativa privada com os programas do Governo Federal que poderia reencaminhar milhões de brasileiros que hoje estão prontos para assumir postos de trabalho, mas que estão invisíveis no cadastro único”, destacou Normando.

José César e Sávio Normando também aproveitaram o encontro para formalizar um convite para o ministro participar do VI Fórum Nacional do Comércio, evento da CNDL que acontece entre os dias 24 e 25 de outubro, e da 27ªConvenção Lojista do Piauí, maior evento empresarial do estado, que vai ser realizado no dia 26 de maio.