Tendências e Inovação

Rebranding: evolução e expansão dos negócios

Pesquisa do Google aponta crescimento na busca pelo termo rebranding;
empresas buscam caminhos para inovar e conquistar mercado

Rodolfo Carvalho: “Com o mundo dos negócios se desenvolvendo e com toda aparição de novas tecnologias, não tem como deixar de lado uma mudança, seja para a evolução da marca ou uma para a alteração dos propósitos”

Com o cenário desafiador, as empresas de pequeno, médio e grande porte estão buscando inovar e renovar suas marcas. Desde o final de 2020, as pesquisas no Google por rebranding dispararam: apenas na última semana do mês de novembro, o crescimento no número de buscas foi de 80%. Essas procuras foram feitas por empreendedores e gestores de empresas de todo o país.

“Muitas empresas querem evoluir ou expandir a sua marca e, por estarem envolvidas em um mundo de concorrências e para se manterem vivas, investem nas identidades visuais e no posicionamento da marca, desenvolvendo uma nova filosofia operacional, ou até no formato de se comunicar com seus clientes”, explica Rodolfo Carvalho, diretor da Incentivar, desenvolvedora de software para marketing de incentivo.

O rebranding ressignifica a imagem de uma marca, empresa ou produto. É uma boa maneira de mudar a percepção que a marca tem perante os clientes e potenciais consumidores. Geralmente o processo passa por mudança de cores, logotipos, slogans ou até mesmo do nome do produto.

“O rebranding é uma mudança gradual que exige um planejamento bem elaborado junto a equipe para tomar a decisão. O processo envolve muita estratégia e atenção”, alerta Carvalho.

Para entender como usar o rebranding para melhorar o desempenho do negócio, a Varejo S.A. conversou com Rodolfo Carvalho. Acompanhe!

O rebranding é um processo instantâneo?
O rebranding é uma mudança gradual que exige um planejamento bem elaborado junto a equipe para tomar a decisão. O processo envolve muita estratégia e atenção, então, você precisa saber quando é o momento ideal para realizá-lo. Não é necessário que a marca tenha 10 ou 20 anos de mercado. O processo de rebranding não se baseia no tempo que a empresa tem de mercado, mas sim com qual estratégia de negócio a sua marca quer se apresentar, seja por um novo posicionamento de evolução ou revolução do logotipo, mudança de nome ou de visão, ou na construção de uma nova identidade.

Nós, da Incentivar, planejamos essa renovação para a nossa marca já faz um tempo, e decidimos dar um novo sentido a nossa identidade, trazendo um software de incentivo mais moderno, no qual vamos introduzir em várias empresas a Campanha de Incentivo de uma forma mais prática.

Porque está havendo tanta demanda por rebranding?
Por causa da evolução. Muitas empresas querem evoluir ou expandir a sua marca e, por estarem envolvidas em um mundo de concorrências e para se manterem vivas, investem nas identidades visuais e no posicionamento da marca, desenvolvendo uma nova filosofia operacional, ou até no formato de se comunicar com seus clientes.

O que leva uma marca a mudar seu projeto visual e sua proposta? Isso não é arriscado? Não afeta clientes antigos?
Com o mundo dos negócios se desenvolvendo e com toda aparição de novas tecnologias, não tem como deixar de lado uma mudança, seja para a evolução da marca ou uma para a alteração dos propósitos. O risco só ocorre quando não há um planejamento e motivo claro sobre o que se pretende mudar. É preciso entender os objetivos, investigar o mercado, analisar os concorrentes e compreender a melhor forma de se comunicar com o seu público.

Nós da Incentivar criamos um projeto para que tudo ocorresse de forma natural e gradativa, o que não causará um grande impacto aos novos clientes. Para nós, significa um progresso para melhorar ainda mais o nosso relacionamento com o público e oferecer os melhores serviços.

Existe alguma diferença no rebranding para pequenas e médias empresas? Vemos esse tipo de estratégia mais em grandes grupos?
Nas empresas de pequeno e médio porte existe uma maior facilidade em implementar um processo de rebranding, pois conseguem efetivar essas mudanças em um período menor. Já nas grandes empresas, essas mudanças acontecem de forma mais demorada. Na Incentivar, estipulamos um prazo para que pudéssemos realizar este rebranding no momento certo.

As empresas podem realizar o rebranding em busca de um novo modelo de negócio e de modernizar a marca

É caro um projeto de redefinição de uma marca ou empresa? Qualquer um pode tentar essa repaginação?
Depende muito para qual finalidade a empresa deseja fazer um rebranding. Não existe uma regra, cada caso é um caso. Mas às vezes, como disse anteriormente, a empresa vai sentir a necessidade de mudar, especialmente, porque o mundo dos negócios se transforma a cada dia e a concorrência aumenta.

Eu posso citar alguns dos principais motivos que levam uma empresa a fazer um rebranding, como por exemplo: primeiro, querer ter um novo modelo de negócio, o que significa alterar toda a linha de atuação ou todo o público; segundo, modernizar a marca; e terceiro, fazer mudanças na empresa, seja estruturais ou organizacionais.

As marcas estão fadadas a mudar suas propostas para sempre?
A empresa sente o momento que deve fazer essa mudança, e a iniciativa deve estar alinhada às demandas de mercado. Não existe um tempo predeterminado para que isso aconteça, é algo que ocorre de acordo com o que a empresa pretende alcançar, seja novos clientes, mais credibilidade e visibilidade ou divulgar um novo modelo de negócio. (Também) não existe uma imposição para que ocorra o rebranding.

Quais são os sinais que uma empresa deve rever sua identidade?
Primeiramente, entender se a empresa internamente mudou de verdade, se tem algo novo a oferecer. Os principais pontos a se observar é se a conexão com os clientes está caindo, se a identidade visual está atendendo as expectativas, se o conceito de prestar um serviço mudou, se o momento atual do mercado está um ritmo mais avançado que a sua empresa, observar a concorrência e se a comunicação da sua empresa está alinhada com a marca. (É preciso observar) se realmente a identidade da sua marca diz o que a sua empresa oferece de melhor.

Como o propósito se encaixa no rebranding? Ele também tem que ser ajustado?
Com a realização do rebranding, a empresa aperfeiçoa o seu propósito, que está ligado à missão, valores e visão da empresa, a fim de atingir os resultados esperados através de uma nova estratégia operacional ou de comunicação.

Quando o rebranding dá errado?
Quando o seu público não se identifica ou não se acostuma com a nova forma de comunicação da marca. Por isso, ter um propósito muito bem definido é essencial para que o rebranding seja eficaz. Uma pesquisa da “Global Consumer Pulse”, da Accenture Strategy, mostrou que 83% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas que defendem propósitos alinhados aos seus valores de vida e que atendam às suas expectativas.

A Incentivar uniu esforços para que o rebranding atingisse o plano de trazer melhorias tanto para a própria empresa, quanto para os nossos clientes. Queremos mostrar a nossa evolução e que estamos caminhando no ritmo da tecnologia.

*Estagiário sob supervisão de Fernanda Peregrino, editora da Varejo S.A.

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

APAS Show: IoT e soluções conectadas diminuem perdas e melhoram experiência do shoppper

Dar inteligência aos dispositivos é a proposta da Inwave para revolucionar o setor trazendo mais segurança e atuando diretamente na redução de perdas e melhora da experiência do consumidor Compartilhe:
Tendências e Inovação

Índice de competitividade: importância e desafios do frete

A velocidade de entrega é um benefício percebido pelos clientes e, por causa disso, deve ser explorada ao máximo para maximizar os resultados. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Indústrias relacionadas ao metaverso devem movimentar R$ 4 tri até 2024

Muito além do conceito, as indústrias que se formaram em torno do metaverso já movimentam números expressivos. De acordo com dados da Bloomberg Inteligence, segmentos como RV (Realidade Virtual) e de RA (Realidade Aumentada), games, cloud e outros, devem movimentar mais de R$ 4 trilhões até 2024. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.