16 jun, 2024
0 ° C

Rodada de Negócio reforça o empreendedorismo feminino

O Núcleo da Mulher Empreendedora (NME) da CDL-NH irá realizar, no dia 11 de novembro, sua primeira rodada de negócios.

Graziele Jung, da CDL-NH (esq); Raquel Bomm Tomm, diretora NME; Susana Ströher, gestora de Projetos do Sebrae; e Josi M. Zimmerman, embaixadora NME (dir)

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo (CDL-NH) está dando um grande passo rumo ao desenvolvimento do empreendedorismo feminino na cidade. O Núcleo da Mulher Empreendedora (NME) da entidade irá realizar, no dia 11 de novembro, sua primeira rodada de negócios.

O evento será presencial, das 8 às 11 horas, na sede da entidade, e os ingressos são limitados a 50 participantes. As inscrições podem ser realizadas pelo Sympla no valor de R$ 50 para associados da entidade e R$ 80 para não sócios.

Para Raquel Bomm Tomm, coordenadora do NME, o networking ajuda a oportunizar novos negócios. “É uma forma de ampliar a rede de contatos e, ao mesmo tempo, apresentar sua empresa”, destaca. No evento, cada participante terá alguns minutos em cada rodada para apresentar seu negócio a outras empresárias.

A operação das rodadas de negócio ficará a carga do Sebrae, que é apoiador da iniciativa. A entidade disponibilizará um software para a organização da rodada e interação das empreendedoras.

Conforme Susana Ströher, gestora de Projetos do Sebrae, a iniciativa pode ir além das vendas. “Devido à diversidade de segmentos participantes, esta também será uma oportunidade para o surgimento de parcerias”, destaca.

Como funciona a rodada
Cada empresa fará um pitch (breve apresentação) sobre o seu negócio e seus objetivos de compra, venda e parcerias. Essa troca será realizada com todas as participantes presentes. “Após o final das rodadas, teremos um espaço de interação individual com as interessadas em aprofundar alguma negociação no próprio evento”, pontua Susana.

A gestora do Sebrae sustenta que, em um ambiente cada vez mais competitivo, essas conexões são fundamentais para o desenvolvimento dos negócios. “Principalmente para o universo do empreendedorismo feminino, que precisa se fortalecer e ganhar mais presença no mercado”, sentencia.

Fonte: CDL-NH