Tendências e Inovação

Sebrae quer fazer de outubro o mês da inovação

A instituição deve mobilizar cerca de 300 palestrantes oferecendo mais de 250h de conteúdo especializado e gratuito sobre inovação

O Sebrae promove uma iniciativa exclusiva e inédita em outubro: o Mês da Inovação. Pela primeira vez será realizada uma vasta programação de eventos com objetivo de falar sobre como adotar novas tecnologias para aumentar o lucro e a competitividade nos micros e pequenos negócios. A iniciativa quer reforçar para os empreendedores brasileiros a compreensão de que inovação não é algo restrito ao universo das grandes empresas, que não implica – necessariamente – em grandes investimentos de recursos e nem se restringe apenas à tecnologia.

A abertura do Mês da Inovação acontece no dia 1º/10, em um evento com a participação do diretor-técnico do Sebrae, Bruno Quick, e da jornalista da Globo News Maria Prata. Durante os 31 dias do mês, cerca de 300 palestrantes vão oferecer seus conhecimentos e apresentar casos de sucesso ao longo de mais de 250 horas de conteúdo gratuito, que deve alcançar pelo menos 30 mil pessoas interessadas em inovação. A iniciativa conta com mais de 50 parceiros entre eles, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Facebook; Mercedes Benz; Ambev; Dell; BossaNova; Porto Digital; Randon; Get Net; entre outros.

No dia 16 de outubro, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, vai conversar com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, o astronauta e engenheiro Marcos Pontes, sobre como a inovação pode alavancar a economia brasileira.

Marco Legal da Inovação; Biomimética; Aumentando a produtividade com inovação; Desvendando ecossistemas de inovação; Cidades como plataformas de inovação; O turismo do amanhã; Pesquisa, desenvolvimento e exportação; Inovação na beleza pós-pandemia; Criatividade à mesa; Inovação no varejo e Futuro da moda, são alguns dos temas que serão debatidos em diferentes painéis. O Mês da Inovação contará ainda com a realização da Case Startup Summit 2020, do Desafio Like a Boss, de batalhas de pitches, além de outras atividades interativas.

O gerente de Inovação do Sebrae, Paulo Renato, afirma que o grande objetivo da iniciativa é mostrar como a inovação pode potencializar o crescimento das empresas. “Estamos trabalhando para que todas as pessoas que participem dessas atividades entendam o quanto a inovação pode transformar a economia do nosso país. A inovação é um dos vetores para turbinar a retomada do desenvolvimento. Nesse contexto, o Sebrae funciona como um indutor da inovação e dos pequenos negócios brasileiros. Vamos apresentar cases de sucesso, exemplos reais e muito conteúdo em diversos segmentos, mostrando que a inovação é real e pode ser aplicada em qualquer área de negócios”, comenta.

De acordo com Paulo Renato, há algumas outras temáticas sobre inovação que serão desmitificadas durante o evento. “Muitas pessoas pensam que inovar é sempre uma coisa cara, onerosa para a empresa. Veja bem: o custo da inovação depende de cada caso. Se pegarmos um exemplo de uma loja de roupas, que ainda não tem sua presença digital nas redes sociais. Quanto custa para essa empresa inovar, estabelecendo uma rotina de postagens virtuais? Se o proprietário buscar conhecimento com o Sebrae, esse custo é praticamente zero. Ele consegue criar os perfis e administrá-los do próprio celular. Com certeza essa proximidade com o público irá refletir nas vendas, aumentando o faturamento. Isso é inovar. Outro mito em relação à inovação é que ela precisa estar necessariamente ligada à tecnologia. Nós podemos inovar com novas técnicas de vendas, um novo jeito de apresentar o produto”, afirma.

Confira a programação completa do Mês da Inovação e faça sua inscrição gratuitamente aqui.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

Os segredos para ser um líder de sucesso

Para entender as habilidades que um líder precisa para realizar uma boa gestão, a Revista Varejo S.A. conversou com Caio Cunha. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Três aplicações eficientes e modernas que podem melhorar a competitividade do varejo

A tecnologia é capaz de tornar o modelo de varejo mais competitivo e lucrativo, além de garantir que os negócios se atualizem e não sejam excluídos do mercado por falta de inovação. Não à toa, sua aplicação em torno da automação de processos em busca de mais eficiência foi batizada como Quarta Revolução Industrial. E, após tantos avanços, ainda há o que ela pode contribuir para melhorar a competitividade das empresas que compõem o ecossistema do consumo e, também, o setor como um todo. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Brasileiros querem comprar mais do comércio local

Levantamento da Plataforma Gente, da Globo, aponta que 71% dos consumidores brasileiros pretendem comprar mais de negócios locais porque querem que eles permaneçam abertos. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.