Movimento Varejo

Pix acelera o passo no varejo e pequeno negócio sai na frente

Transferência instantânea entre pessoas físicas e empresas cresce, puxada por pequenos negócios e comércio eletrônico. Nesse primeiro momento, Pix tem substituído o dinheiro em espécie, os boletos bancários e o cartão de débito. Transações entre uma pessoa física para um negócio subiram mais de quatro vezes de janeiro a maio deste ano, para 64,7 milhões.
Economia e Finanças

Circulação de dinheiro em espécie se reduz nos primeiros meses do Pix

Com pouco mais de seis meses de funcionamento, o Pix apresenta uma possível tendência: a redução da circulação de dinheiro em espécie. Em 16 de novembro de 2020, quando o Banco Central iniciou a operação do meio de pagamento instantâneo, o Brasil tinha R$ 358,04 bilhões em dinheiro circulando, enquanto em 10 de maio deste ano eram R$ 341,11 bilhões disponíveis, uma redução de 4,7%.
Economia e Finanças

Dicas de como as MPE podem usar o Pix com os seus clientes

Pagamentos em tempo real e a disponibilidade 24 horas por dia, em todos os dias da semana, são algumas das principais vantagens que o Pix oferece. Desde que o meio de pagamentos instantâneos foi lançado, há quase sete meses, o Sebrae propaga os benefícios dessa alternativa para os pequenos negócios. Para as micro e pequenas empresas, essa nova modalidade de pagamento, criada pelo Banco Central (BC), ajuda em vários aspectos, como no controle do fluxo de caixa.