24 maio, 2024
0 ° C

Tecnologia: a protagonista no compliance do varejo

Atualmente, a tecnologia é a melhor amiga do compliance. Aliadas, elas conseguem evitar desde fraudes pequenas até golpes gigantescos.

Por Renato Ferraz
CEO da Easy B2B

A crise que abalou a gigante do varejo, Americanas, acionou o mais forte alerta para a importância dos programas de compliance nas grandes empresas. De acordo com um estudo recém-publicado por Alexander Dyck, professor de finanças e análise econômica da Universidade de Toronto, em parceria com Adair Morse, da Universidade da Califórnia em Berkeley, e Luigi Zingales, de Chicago, quatro em cada dez empresas cometem fraudes ou praticam violações contábeis. Apenas um terço dos casos vem à tona.

Fraudes não são um problema recente, como aponta uma pesquisa da Price Waterhouse Coopers (PWC), feita com 7.200 participantes de 123 países, que mostrou que metade das empresas respondentes já havia sofrido com alguma fraude ou crime financeiro. Os dados foram apurados em 2018, e mostraram um aumento de 36% em relação a 2016. No Brasil, os índices também subiram, de 12% para 50%.

Com receio dessas fraudes e golpes, empresários estão buscando medidas para evitar prejuízos futuros. É nesse contexto que a tecnologia chega como protagonista. Soluções que envolvem inteligência artificial estão revolucionando o mercado do varejo e garantindo mais segurança nas transações B2B (business to business).

Afinal, o que é compliance aplicado ao varejo?
Mas antes de entrar nos benefícios da tecnologia para evitar fraudes, é necessário entender o que é compliance. Na tradução literal, o termo significa estar em conformidade com a lei externa e interna. Essas soluções, que buscam evitar fraudes, ganharam destaque no meio corporativo após grandes operações policiais que desvendaram esquemas gigantescos de corrupção e lavagem de dinheiro.

Os programas de compliance buscam garantir que a empresa está seguindo as diretrizes dos âmbitos trabalhista, fiscal, contábil, financeiro, ambiental, jurídico, ético, entre outros. Tudo isso para impedir prejuízos financeiros oriundos de golpes.

No varejo, os problemas geralmente acontecem na área de compras. Conforme a pesquisa da PWC, as irregularidades neste setor somam 34% dos casos de fraude ou crime financeiro.

O estudo O Perfil Global do Fraudador aponta que os principais problemas ocorrem por influência externa, uma vez que os criminosos que agem sozinhos, costumam ser pegos em auditorias internas. Os dados demonstram a necessidade das soluções de compliance, que atreladas a tecnologia, entram como uma aliada para combater esses crimes.

Como a inteligência artificial evita fraudes?
Soluções inovadoras estão usando IA (inteligência artificial) para controlar operações de forma integrada e facilitar processos. Hoje, é possível comprar e vender suprimentos de forma automatizada, com processamento em tempo real e rastreio de operações.

Um exemplo é o trabalho realizado pela startup brasileira Easy B2B, que desenvolveu uma plataforma white label que conecta indústrias, franquias, varejistas, fornecedores e distribuidores para oferecer transações de compra e venda B2B com 100% de transparência.

Além dos processos de compra e venda, a plataforma tem funcionalidades que ajudam na gestão de estoque e inventário por meio de dados fornecidos em tempo real usando uma IA, o que garante um controle interno muito mais eficaz e preciso. Outro destaque da plataforma é a possibilidade de fazer o tracking dos pedidos tanto online, quanto de forma física no lastro do pedido em RFID.

Atualmente, a tecnologia é a melhor amiga do compliance. Aliadas, elas conseguem evitar desde fraudes pequenas até golpes gigantescos, que seriam capazes de tomar o noticiário. Nas transações entre empresas, o objetivo final sempre tem que garantir operações comerciais seguras, evitando contratempos e garantindo a prosperidade do varejo.