Movimento Varejo

Uso do cartão de loja atinge maior patamar em dez anos

Movimento Varejo

Uso do cartão de loja atinge maior patamar em dez anos

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2016/10/2-movimento-cartao.png” ]

Levantamento da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio/RJ) revelou que os consumidores aumentaram o uso de cartões de lojas e supermercados e reduziram a utilização de cartão de crédito no momento das compras. As principais razões para este movimento são a maior restrição nas concessões de crédito e os juros altos por parte das empresas de cartões de crédito. Segundo o estudo, o percentual desses novos consumidores avançou de 25%, em 2015, para 28%, em 2016, o maior patamar registrado neste período em dez anos. Já o uso do cartão de crédito caiu de 42%, em 2015, para 40%, em 2016. O uso de cartões de estabelecimentos comerciais vem crescendo desde 2012. Os principais motivos para esse resultado são o aumento das parcerias do comércio com as instituições financeiras; a aprovação rápida do crédito; as menores taxas de juros; e o maior prazo de pagamento, o que reduz o valor das parcelas. Embora o uso dos cartões de lojas tenha aumentado no último ano, a fatia de inadimplentes desta modalidade recuou. De acordo com o levantamento, a taxa de inadimplência caiu de 9% em junho de 2015 para 6% em junho deste ano.

Relacionadas
Movimento Varejo

5 dicas para se dar bem nas datas comerciais

O nosso calendário está repleto de datas comemorativas e cada uma delas é uma oportunidade de vender mais e fidelizar clientes. Confira cinco dicas de como usar as datas comerciais para aumentar as vendas.
Movimento Varejo

Para vender, é preciso ritmo, rotina e ritual, diz João Adibe

O CEO do Grupo Cimed, participou do primeiro dia de Varejo Summit e ensinou como os lojistas podem vender mais.
Movimento Varejo

Participação das MPE nas compras públicas cresceu 93% nos últimos três anos

Cada vez mais, donos de pequenos negócios têm se tornado fornecedores de bens e serviços para o governo, participando de compras públicas. Dados obtidos pelo Sebrae apontam que há uma tendência de maior participação das micro e pequenas empresas (MPE) nesse mercado. Entre 2018 e 2021, os valores homologados pelas MPE aumentaram 93%, passando de R$ 21.261 bilhões para R$ 41.005 bilhões. Nesse período, as compras públicas movimentaram o total de R$ 493.997 bilhões, sendo que 26,20% desse valor corresponde aos pequenos negócios, ou seja, R$ 129.429 bilhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.