Economia e Finanças

WhatsApp libera função de pagamento para pequenas empresas no Brasil

Foto: ADVTP/Shutterstock

O WhatsApp liberou, na semana passada, o serviço de pagamentos para pequenas empresas no Brasil. O anúncio foi feito pelo próprio Mark Zuckerberg, em suas redes sociais. De acordo com a Meta, dona do aplicativo, o cliente poderá realizar uma jornada de compra completa, sem sair da tela da ferramenta de mensagens. Por enquanto, os adquirentes disponíveis para as transações são Cielo, Mercado Pago e Rede.

A Meta afirma que outras empresas estão em fase de testes e devem ser anunciadas em breve. Já os bancos e instituições financeiras participantes são Banco do Brasil, Bradesco, BTG Pactual, Caixa Econômica Federal, Inter, Mercado Pago, Neon, Next, Nubank, Santander, Sicoob e Sicredi. Em comunicado, a empresa afirma que cartões Itaú serão liberados “em breve”.

Todos os clientes já têm a opção habilitada, e a liberação para as empresas está sendo feita de forma gradual. O consumidor pode pagar pela compra com cartões de débito, crédito e pré-pagos das bandeiras Mastercard e Visa, emitidos por uma das adquirentes parceiras do projeto. Assim como em um aplicativo de e-commerce, o usuário insere os dados do cartão e utiliza sempre que fizer uma compra.

As empresas precisarão utilizar o WhatsApp Business, a versão profissional do aplicativo de mensagens, para ter acesso aos recebimentos.

“Estamos muito animados com o serviço que começamos a oferecer hoje aos consumidores e pequenos negócios brasileiros. Sabemos que trazer pagamentos com praticidade e segurança para os nossos milhões de usuários melhorará a experiência de compra que eles já têm no WhatsApp, e principalmente ajudará as pequenas empresas a aumentarem suas vendas e impulsionar a economia do nosso país. Trabalhamos lado a lado com os nossos parceiros — bandeiras, adquirentes e bancos — para oferecer um recurso simples e seguro que completará a jornada de compra dentro do WhatsApp”, afirma Guilherme Horn, head do WhatsApp na América Latina.

O serviço de pagamentos para empresas pelo WhatsApp foi autorizado no início de março pelo Banco Central, e a tecnologia foi desenvolvida como uma plataforma aberta, de acordo com a Meta, para a participação dos adquirentes e emissores de cartões. A empresa afirma que os números dos cartões são criptografados e armazenados de forma segura. Qualquer pagamento só é liberado mediante um PIN cadastrado pelo próprio cliente.

Foto: divulgação

Como receber pagamentos pelo WhatsApp
Se você for uma pequena empresa e quiser receber pagamentos pelo WhatsApp, siga os passos abaixo:

  • Abra o aplicativo WhatsApp Business e vá até a página “Pedidos”, no Android, ou em “Configurações” no iOS, depois clique em “Pedidos”;
  • Para aceitar os pagamentos com cartão, toque em “Aceitar cartões de crédito e débito”, na seção “Formas de Pagamento”;
  • Vincule sua conta selecionando qual é o adquirente que sua empresa utiliza. Se não tiver conta em nenhum dos que estão disponíveis, precisará criar uma ou aguardar a entrada dos demais;
  • Você precisará inserir o e-mail ou ID associado à sua conta no adquirente. Depois, receberá um código de confirmação no meio de contato estabelecido em sua conta;
  • Insira o código recebido e confirme as informações da tela, como nome da empresa, do proprietário, conta. Depois, conclua o processo de vinculação;
  • O prazo para a vinculação depende do adquirente, e pode levar alguns dias para ser concluído. Se houver algum problema, a orientação é entrar em contato direto com o adquirente;
  • Os clientes podem enviar mensagens sobre os itens disponíveis em seu catálogo ou já enviar o carrinho pronto. Com isso, você cria um pedido com os itens para que o cliente faça o pagamento;
  • No aplicativo é possível gerenciar todos os pedidos feitos e status dos pagamentos em tempo real. É possível até emitir reembolsos pelo WhatsApp Business, por meio do painel de controle do seu adquirente, se for o caso.

Fonte: PEGN

Relacionadas
Economia e Finanças

Copom reduz juros básicos da economia para 12,75% ao ano

O comportamento dos preços fez o Banco Central (BC) cortar os juros pela segunda vez no semestre. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa Selic, juros básicos da economia, em 0,5 ponto percentual, para 12,75% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.
Economia e Finanças

Campanha pelo parcelado sem juros ganha mais adesão

A Abad, Abrasel, Afrac, Anamaco e CNDL se uniram em defesa da modalidade de pagamento.
Economia e Finanças

Ignorados pelos bancos, 4 em cada 10 pequenos negócios usam o cartão de crédito para financiar a empresa

Modalidade com juros estratosféricos é utilizada atualmente por cerca de 40% do segmento, ante 7% que apontam empréstimos nos bancos privados e 4% nos públicos como formas de financiamento