Economia e Finanças

Consumo nos Lares Brasileiros cresceu 1,97% em novembro

*Da ABRAS

A Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) anunciou nesta quinta-feira (13) o Consumo nos Lares Brasileiro de novembro de 2021, que manteve sua trajetória de crescimento com alta de 1,97% na comparação com o mês de outubro. O resultado é ainda mais acentuado quando comparado com o mês de novembro de 2020, com uma alta identificada de 4,43%.

Os dados da associação apontam ainda que de janeiro a novembro de 2021 o consumo se manteve positivo, acumulando 2,88%.
“As ações promocionais dos supermercados em novembro, a diversidade de marcas como alternativas para os consumidores de menor poder aquisitivo conjugadas com o pagamento do 13º terceiro aos trabalhadores assalariados contribuíram para o aumento do consumo nos lares”, explica o vice-presidente Institucional da ABRAS, Marcio Milan.

Segundo a ABRAS, a leve retração no valor da cesta nacional em novembro também pode ter contribuído para o aumento do consumo. Em novembro, a cesta Abrasmercado, composta por 35 produtos de largo consumo nos supermercados, elaborada pela GFK em parceria com a ABRAS, apresentou recuo discreto, de -0,32%, em novembro em comparação a outubro, fechando o mês de novembro em R$ 697,80. Na comparação com novembro de 2020, o indicador cresceu 13,1%.

Os itens com as maiores altas em novembro na comparação com outubro foram cebola (25,2%), extrato de tomate (22,3%), café torrado e moído (10,0%), biscoito de maisena (6,5%) e sabão em pó (5,8%).

Entre as maiores quedas em novembro ante outubro ficaram carne dianteiro (-4,6%), queijo muçarela (-3,1%), leite longa vida (-2,7%), batata (-2,6%), queijo prato (-2,1%).

Principais cidades
Dentre as principais cidades que apresentaram maior queda no preço dos produtos da cesta Abrasmercado em novembro, na comparação com outubro, estão Brasília (-3,0%), Grande Porto Alegre (- 0,95%), Interior do Rio Grande do Sul (-0,75%), Grande Rio de Janeiro (-0,70), Grande Belo Horizonte (- 0,38).

As maiores altas ficaram com as cidades de Natal (2,96%), Curitiba (2,61%), Fortaleza (1,79%), Goiânia e João Pessoa (1,39%).

Compartilhe:
Relacionadas
Economia e Finanças

BC projeta crescimento de 1,7% do PIB para 2022

O Banco Central (BC) projetou, para 2022, alta de 1,7% do Produto Interno bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. A previsão anterior, divulgada em março, era de um crescimento de 1%. A revisão foi apresentada hoje (23) pelo diretor de Política Econômica do BC, Diogo Abry Guillen, em coletiva de imprensa que contou com a participação do presidente do BC, Roberto Campos Neto. Compartilhe:
Economia e Finanças

Turismo brasileiro cresce 47,7% em abril

Os feriados de Sexta-feira Santa, Tiradentes e os desfiles de carnaval contribuíram para o crescimento, considerado significativo, em abril deste ano e que a variação do mês demonstra sólida recuperação do turismo no Brasil. Compartilhe:
Economia e Finanças

CNDL divulga Panorama do Comércio de junho

As vendas no comércio varejista no mês de abril deste ano cresceram em 4,5% comparadas ao mesmo mês do ano passado. Com relação a março de 2022, o aumento foi de 0,9%. As vendas no varejo ampliado também cresceram em 1,5% e 0,7% comparadas, respectivamente, a abril do ano passado e março deste ano. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.