Movimento Varejo

Impulsione o engajamento e venda mais

Presença nas redes sociais não é mais um diferencial; é mandatório, para qualquer marca nos dias atuais, ter uma estratégia voltada para o ambiente digital. Mas não basta estar presente, é preciso se esforçar para gerar engajamento. No fim, mais importante do que engajar é converter esse engajamento em vendas. Uma estratégia robusta e consistente pode determinar o sucesso nas vendas a partir do engajamento nas redes sociais.

Muito além da linguagem publicitária tradicional, uma estratégia certeira pode resultar em alcance orgânico, embaixadores espontâneos da marca, recomendações e vendas. É preciso fazer com que seus fãs realmente comprem o seu produto ou serviço e incentivem outras pessoas a fazer o mesmo.

Para ajudá-lo nessa missão, nosso mascote traz dicas valiosas. Confira!

Conheça e esteja junto do seu público-alvo

Para ter sucesso em qualquer estratégia de comunicação, uma empresa deve saber quem é o seu público-alvo. Além de informações como sexo, idade, profissão, grau de instrução, entre outras, ela deve saber detalhes a respeito do comportamento e da personalidade das pessoas. Ao conhecer o seu público-alvo, você entenderá quais são as redes sociais mais usadas por ele e qual é o seu comportamento dentro de cada plataforma. Assim, saberá também em quais canais sua marca deve estar e como ela deve se comunicar com essas pessoas para ganhar sua atenção.

Tenha uma estratégia e personalize o conteúdo

Para ter êxito nas redes sociais, é preciso fazer um planejamento do conteúdo que será publicado. Quando se cria uma rotina e se tem processos, o material tende a ter mais qualidade. A proposta de conteúdo da marca deve ser original, bem como instigar o público a tomar uma ação. Além disso, a comunicação da empresa deve ter tom pessoal, como se um indivíduo falasse com o outro – tanto que algumas marcas chegam a usar personagens para tornar a interação mais próxima.

Para engajar de verdade, interaja

Esteja preparado para atender às diferentes demandas do consumidor. Se uma empresa tem perfis em redes sociais, será inevitável que um seguidor utilize esses canais para falar sobre a marca, esclarecer dúvidas, elogiar ou reclamar. Não deixe de responder às interações – inclusive, às negativas. Muitas vezes, com um atendimento rápido e gentil nas redes sociais, é possível desfazer uma percepção ruim do cliente em relação à marca.

Monitoramento

Nem sempre os usuários se comunicam diretamente com a sua marca para fazer elogios ou reclamações. Muitas vezes, os comentários aparecem em seus perfis pessoais, que ganham um alcance significativo em sua rede de contatos. Por isso, é importante monitorá-los, especialmente no caso de reclamações. Existem softwares (pagos ou gratuitos) para isso, que permitem monitorar as menções e respondê-las. Além disso, você pode classificá-las como neutras, positivas ou negativas para ter uma percepção de como está a reputação da sua marca na internet.

Relacionadas
Movimento Varejo

WhatsApp no meio empresarial: o poder da mensagem para engajar o cliente

A pandemia acelerou o processo de digitalização das empresas e causou mudanças visíveis no relacionamento entre cliente e marca. Alguns exemplos são o aumento das compras online, o fortalecimento do atendimento omnichannel e a busca pela melhora contínua da experiência do cliente por meio de ferramentas digitais. Nesse contexto, o WhatsApp, aplicativo de mensagens mais usado no Brasil, ganhou destaque.
Movimento Varejo

Transformação digital já é real para mais da metade das PMEs

Segundo estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV), pelo portal Terra, dentre as micro e pequenas empresas (MPEs) do país, a transformação digital já está presente em 66% das organizações, conforme o Mapa de Digitalização das Micro e Pequenas Empresas Brasileiras, da FGV, em conjunto com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Ressalta-se, ainda, que as PMEs são responsáveis por 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e por 50% dos postos de trabalho criados no Brasil.
Movimento Varejo

Burocracia na hora de consumir é empecilho para 8 em cada 10 brasileiros

Os brasileiros ainda sofrem com um entrave bem antiquado na hora de comprar bens e serviços: a complexidade para provar quem são. Soluções para agilizar o atendimento ao cliente e finalizar uma compra como biometria, que usa a identificação da digital, ou o reconhecimento facial – também chamada de biometria facial, ainda são pouco utilizadas por empresas de varejo e serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.