Movimento Varejo

Open banking: entenda as mudanças que impactam o mundo dos negócios

O conceito vem modificando a forma como as instituições financeiras e empresas se relacionam com os clientes

As inovações movem o mundo dos negócios e motivam empresários a investir em novas tecnologias para atender às demandas do mercado. Isso não seria diferente no segmento varejista, em que ferramentas tecnológicas permitem às empresas alcançar novos públicos e acelerar a entrega de novas experiências.

O conceito de open banking é amplo e abrange as inovações e a criação de novos negócios, principalmente na área digital, ligados às instituições bancárias, à integração de sistemas e ao compartilhamento de dados entre empresas.  

Nele, as instituições financeiras disponibilizam informações sobre seus clientes a outras empresas, por meio de Application Program Interfaces (APIs). O compartilhamento de dados e informações permite uma melhor integração, agilidade e uniformidade na prestação dos serviços, para oferecer ao consumidor final uma ampla gama de produtos financeiros em um mesmo ambiente digital. A intenção do open banking é que as instituições financeiras possam focar nas principais atividades da área, além de permitir às empresas especializadas em tecnologia a criação e o desenvolvimento de aplicativos para atender às outras necessidades dos clientes.

Dentro desse cenário, as fintechs ganharam destaque. Essas empresas, já conhecidas pela facilidade de oferecer serviços que envolvem diversas tecnologias, assumiram o papel de integrar o sistema financeiro aos clientes finais, criando um ecossistema favorável tanto às instituições financeiras quanto aos usuários.

Ricardo Taveira, CEO da fintech Quanto, explica os benefícios do open banking. “Em tese, permite que o usuário monte sua própria plataforma financeira com produtos variados, que são agregados em uma única interface digital”, ressalta.

O executivo destaca também as vantagens para os lojistas: “É uma tendência para o varejo e o atacado no próximo ano: incorporar produtos considerados bancários, como contas digitais, para facilitar a interação com os usuários e outras instituições”.

A empresa foi criada em 2015 e se apresentou ao mercado como a primeira plataforma ponta a ponta de open banking do Brasil. A Quanto conecta bancos, fintechs e usuários de forma ágil e segura. Para isso, disponibiliza ferramentas e soluções para a construção de produtos e serviços financeiros inovadores que possam ser controlados pelo usuário, por meio de um aplicativo de fácil acesso.

O executivo ressalta que a Quanto é uma plataforma segura de gestão financeira para pessoas físicas ou jurídicas e preza pela informação dos usuários. “Atuamos como procuradores de nossos clientes, sempre por sua conta e ordem. A Quanto é o futuro dos serviços financeiros: customizados, automatizados e com o usuário no controle, sempre”, explica.

Compartilhe:
Relacionadas
Movimento Varejo

Logística reversa: 10 ações que reduzem as devoluções no e-commerce

Segundo dados de uma recente pesquisa da Ebit|Nielsen, atualmente quase 30% das compras online são devolvidas ou trocadas no Brasil. Compartilhe:
Movimento Varejo

O algoritmo está mudando a maneira de consumir e produzir conteúdo?

Com o aumento considerável de opções ao dispor do consumidor, implementar tecnologia e análise de dados nos processos criativos se tornou obrigação das marcas. Compartilhe:
Movimento Varejo

Shoppings estão otimistas e fazem investimentos

O segmento brasileiro de shopping centers aposta na retomada da economia e planeja faturamento de R$ 150 bilhões e a inauguração de mais oito centros comerciais ainda este ano. Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.