20 jul, 2024
0 ° C

47% das empresas brasileiras planejam expandir para novos mercados com operação online

Quase metade das empresas brasileiras (47%) planejam expandir os negócios para novos mercados com operação online, segundo o Relatório Varejo 2023, estudo realizado pela Adyen, plataforma de tecnologia financeira preferida de empresas líderes, em parceria com a Opinium Research LLP e Censuswide.

Estudo realizado pela Adyen mostra as expectativas dos varejistas brasileiros em expandir seus negócios para outros países

Quase metade das empresas brasileiras (47%) planejam expandir os negócios para novos mercados com operação online, segundo o Relatório Varejo 2023, estudo realizado pela Adyen, plataforma de tecnologia financeira preferida de empresas líderes, em parceria com a Opinium Research LLP e Censuswide. Para este estudo, foram entrevistados varejistas e consumidores brasileiros de diferentes regiões do país entre fevereiro e março deste ano, para identificar as tendências que estão transformando o setor de varejo online e lojas físicas, comportamento do consumidor, fraudes e expectativa para expansão dos negócios para outros países.

Os dados mostram que este movimento está em uma crescente, já que o Relatório Varejo de 2022 havia registrado uma intenção de internacionalização de 37%. Além do modelo de operação em ecommerce, 33% planejam expandir abrindo lojas físicas em um novo mercado, índice 4% maior do que ano passado. Os destinos mais visados são: Argentina (39%); Portugal (35%); Estados Unidos (35%); Chile (22%) e Canadá (21%).

Adaptar a operação e como as empresas lidam com os métodos de pagamentos aceitos é um passo crucial na expansão dos negócios para o exterior. O estudo diz que os compradores priorizam familiaridade e flexibilidade. Cerca de 30% só comprariam em sites de outros países se pudessem usar seus métodos de pagamento habituais. Outros 32% relataram fazê-lo se os varejistas convertessem automaticamente os preços em sua moeda local.

“É necessário planejar os métodos de pagamentos como um ponto estratégico no ciclo de venda e ir além do cartão de crédito. Antes de expandir para outro país, é preciso entender as formas de pagamento mais utilizadas pelos consumidores de lá e fazer as adaptações necessárias para não perder clientes e oportunidades de vendas”, explica Thais Fischberg, presidente da Adyen América Latina.

Um em cada quatro consumidores que fazem compras em sites sediados em outros países busca produtos exclusivos que não estão disponíveis localmente. Quando se trata de custo de frete, quase metade dos compradores online (43%) disse que só compraria produtos do exterior se as taxas de entrega fossem razoáveis. Além disso, um quarto evitaria compras transfronteiriças se fossem taxados com tarifas alfandegárias, além dos custos de entrega.

Em 2022, a Adyen e a Oracle ajudaram a Melissa, marca de produtos icônicos da calçadista gaúcha Grendene, a expandir suas vendas no ecommerce para a Europa, depois de já vender online no Brasil e nos EUA.

A Grendene tinha como objetivo acelerar todos seus negócios online de forma sólida e horizontal e precisava de uma infraestrutura de ecommerce e de pagamentos estável e robusta. “Como a Adyen é uma empresa global, presente em mais de 19 países, conseguimos viabilizar a internacionalização da Melissa muito mais rápido. Além disso, com nossa solução de Comércio Unificado, as marcas conseguem ter acesso centralizado a todas as vendas feitas, seja na loja física, app ou ecommerce. Isso garante uma visão completa dos clientes e dos locais onde a compra foi realizada, tendo acesso aos produtos e modelos mais vendidos em cada país que a marca está estabelecida”, comenta Thais.

O Relatório Varejo 2023 foi realizado pela Adyen, em parceria com a Opinium Research LLP e Censuswide, e reúne respostas de 36 mil consumidores em 26 países e mais de 12 mil comerciantes de 24 países entre fevereiro e março de 2023. Os entrevistados foram incentivados a participar.