24 jul, 2024
0 ° C

FCDL/MG realiza encontro com novos presidentes das CDLs mineiras

A FCDL-MG realizou na manhã desta terça-feira (15/11) um encontro online com os novos presidentes das CDLs mineiras que assumiram o cargo para a gestão em 2022. Pelo segundo ano consecutivo, o evento foi realizado de forma virtual, em função da pandemia de Covid-19. Participaram da reunião 21 presidentes, que puderam conhecer um pouco mais sobre o funcionamento e a atuação do Sistema CNDL.

Foto: divulgação/FCDL-MG

A FCDL-MG (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais) realizou na manhã desta terça-feira (15/11) um encontro online com os novos presidentes das CDLs mineiras que assumiram o cargo para a gestão em 2022. Pelo segundo ano consecutivo, o evento foi realizado de forma virtual, em função da pandemia de Covid-19. Participaram da reunião 21 presidentes, que puderam conhecer um pouco mais sobre o funcionamento e a atuação do Sistema CNDL.

“Para a Federação é fundamental conhecer e dar as boas-vindas a esse novo time, que chega para somar forças ao nosso movimento. E mais: é importante que todos saibam que estar à frente de uma CDL é um grande presente, uma oportunidade ímpar de fazer a diferença”, destacou o presidente da FCDL-MG, Frank Sinatra, durante a abertura.

Associativismo: a essência do movimento lojista
Dando início à programação do encontro, o vice-presidente da Federação, Fúlvio Ferreira, falou sobre o associativismo e sua importância para o movimento lojista. O dirigente destacou as vantagens desse modelo colaborativo, que proporciona a defesa mútua de interesses, conquistas conjuntas e vantagens econômicas. “O associativismo é o melhor caminho para que um grupo se destaque e tenha mais expressão social, política e econômica. Uma CDL forte se faz com boas conexões”, frisou.

Em seguida, Fúlvio falou um pouco sobre as atribuições dos presidentes e diretores frente a uma CDL. “Como bem diz nosso presidente Frank Sinatra, o presidente de CDL é uma espécie de secretário municipal sem pasta. Ou seja, estar à frente de uma entidade é a oportunidade chave de trabalhar, não apenas para a causa lojista, mas também pelo seu município. Se as empresas estão fortes, a cidade fica mais forte”, destacou.

O papel do presidente na gestão da entidade
Na sequência, o consultor de entidades e diretor da CDL Paraguassu, José Benedito, aprofundou a questão do papel dos presidentes nas entidades e como seu comportamento e liderança influenciam no desempenho da CDL. “Precisamos subir o sarrafo do entendimento do nosso papel à frente da entidade. Temos que estar dispostos a aprender, desaprender e reaprender. Tem que haver inquietude permanente para refletir e agir sobre o rumo que se quer dar à sua CDL”, analisou.

O consultor também falou sobre os três pilares que considera essenciais para uma boa gestão, que são a representação, ou seja, ser relevante, necessário, indispensável para a classe empresarial; a visão sobre o que os associados, parceiros, comunidade podem esperar da entidade e os rumos que se quer dar a ela; e o apoio gerencial, ou seja, envolver os diretores e executivos nas ações, trabalhar de forma alinhada com a equipe.

Encerramento
Após essa apresentação, os participantes puderam fazer suas perguntas e comentar a respeito do encontro. Para a presidente da CDL Itabirito, Zilda Santos, “as colocações foram desafiadoras e enriquecedoras. Muito bom! Aprendizado sempre”.

O presidente da CDL Pará de Minas parabenizou as apresentações e destacou: “Muito motivador esse encontro. Agregar valor ao nosso trabalho para fazer diferença. Esse é o recado”.

Já o presidente da CDL Unaí, José Ney, afirmou: “Teoria e prática têm que caminhar juntas. Obrigado pela oportunidade de participar do encontro e por darem um tratamento tão respeitoso e atencioso aos novos presidentes”.

Para encerrar, o presidente Frank Sinatra desejou sucesso a todos e ressaltou: “Contribuir com o crescimento de cada presidente, proporcionando um novo olhar sobre o seu propósito e liderança é o que nos motiva. Muito obrigado a todos pela participação”.

Fonte: FCDL/MG