Economia e Finanças

5 em cada 10 clientes mulheres do Nubank dizem ter alto controle financeiro

O Nubank bateu em março deste ano a marca de 35 milhões de clientes em sua base, com operações no Brasil, México e Colômbia, sendo que 62,1% têm até 35 anos. Desse total, 48,2% se autodeclararam mulheres. Elas estão se beneficiando ainda mais da conta digital e dos serviços da fintech em relação a seus pares, como mostra uma pesquisa conduzida pela BSD Consulting sobre os impactos sociais do Nubank no Brasil.

O público feminino vem aproveitando as facilidades que a fintech oferece – e que outros também já passaram a oferecer – em três dimensões: sentiu um aumento na autopercepção de controle financeiro pessoal; vê uma clara contribuição a sua independência financeira o acesso aos serviços; e, no caso das empreendedoras, quase metade das clientes pessoas jurídicas teve acesso pela primeira vez a serviços financeiros para seus negócios, o que vem contribuindo para seu crescimento.

Quando perguntadas sobre sua sensação de controle financeiro, houve um aumento de 22 pontos percentuais nas faixas de respostas do público feminino entre “médio”, “alto” e “muito alto” desde o momento que se tornaram clientes da instituição financeira (de 71% do total para 93%). Os homens, por sua vez, tiveram um aumento menor, de 16 pontos percentuais na autopercepção de controle financeiro.

Do total de mulheres, o percentual de “muito” alto saltou de 5% para 9% e de “alto”, de 20% para 38%.

Sete em cada dez (71%) das mulheres entrevistadas afirmaram que ter acesso aos serviços do banco contribui para seu processo de independência financeira. Além disso, a porcentagem dos clientes do sexo feminino que avalia que o Nubank impactou positivamente sua vida financeira foi de 78,2%, de acordo com dados obtidos na pesquisa.

Bancarização
Segundo dados de pesquisas internas, chega a 11% o percentual desses usuários que é novo no sistema financeiro, ou seja, estão usando serviços financeiros pela primeira vez, o que mostra que a fintech tem contribuído também para a bancarização dos brasileiros.

Quando observadas as empreendedoras, clientes PJs, é interessante notar que 49,6% delas tiveram acesso pela primeira vez ao mercado financeiro corporativo pela fintech (responderam que não haviam adquirido algum produto financeiro para a empresa antes de se tornar cliente do Nubank), ante 43,1% dos homens.

Empreendedorismo feminino
Dos clientes empresariais, que são, em especial, pequenos empreendedores, 70% disseram que o Nubank teve impacto positivo no desenvolvimento de seus negócios. Como parte dos clientes PJs do Nubank são mulheres, ainda que seja a menor proporção (32,3% do total), elas vêm se beneficiando do serviço para melhorar a gestão de seu negócio também. Das empreendedoras que responderam que tiveram impacto positivo, 63% delas confirmaram que ganharam mais controle financeiro, o que permitiu expandir o negócio.

Achados gerais
Nove em cada dez clientes (87%), de todos os gêneros, disseram que nos últimos 12 meses conseguiram manter as finanças sob controle e sem grandes dívidas. Quando perguntados se, em caso de despesa alta e imprevista, ter acesso ao crédito da fintech lhe ajudaria, 53% concordou totalmente, e 27% parcialmente. Mas, considerando apenas os que não tinham antes acesso a crédito, os que concordaram 100% representaram 64% do total e parcialmente 22%.

Ao todo, 67% do total de clientes, ou cerca de 23,4 milhões de pessoas, afirmam que economizaram dinheiro com a ajuda de seus serviços.

Fonte: Valor Investe

Compartilhe:
Relacionadas
Economia e Finanças

BC projeta crescimento de 1,7% do PIB para 2022

O Banco Central (BC) projetou, para 2022, alta de 1,7% do Produto Interno bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. A previsão anterior, divulgada em março, era de um crescimento de 1%. A revisão foi apresentada hoje (23) pelo diretor de Política Econômica do BC, Diogo Abry Guillen, em coletiva de imprensa que contou com a participação do presidente do BC, Roberto Campos Neto. Compartilhe:
Economia e Finanças

Turismo brasileiro cresce 47,7% em abril

Os feriados de Sexta-feira Santa, Tiradentes e os desfiles de carnaval contribuíram para o crescimento, considerado significativo, em abril deste ano e que a variação do mês demonstra sólida recuperação do turismo no Brasil. Compartilhe:
Economia e Finanças

CNDL divulga Panorama do Comércio de junho

As vendas no comércio varejista no mês de abril deste ano cresceram em 4,5% comparadas ao mesmo mês do ano passado. Com relação a março de 2022, o aumento foi de 0,9%. As vendas no varejo ampliado também cresceram em 1,5% e 0,7% comparadas, respectivamente, a abril do ano passado e março deste ano. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.