24 jul, 2024
0 ° C

Demanda por crédito cresce 20% em 2021

No acumulado dos 12 meses, o destaque ficou com o segmento de Serviços, cuja alta foi de 92%. Varejo vem em seguida, com 36%; e Bancos e Financeiras, 8%.

A demanda por crédito registrou expansão de 20% entre janeiro e dezembro do ano passado. No acumulado dos 12 meses, o destaque ficou com o segmento de Serviços, cuja alta foi de 92%. Varejo vem em seguida, com 36%; e Bancos e Financeiras, 8%. É o que revela o Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC), que mede o número de solicitações de financiamentos nos segmentos de Varejo, Bancos e Serviços.

Em dezembro, houve aumento de 11% na busca por empréstimos na comparação com igual mês de 2020. Na base mensal, em relação a novembro, a alta foi um pouco mais modesta, de 2%.

O indicador mostra ainda que Serviços mantém sua uma trajetória de alta, com aumento de 106% em dezembro passado frente a dezembro de 2020. Na comparação mensal, porém, a contribuição do Varejo também pesou no índice, com crescimento de 22%, após três meses de quedas consecutivas. Os destaques ficaram por conta de Vestuário (81%), Lojas de Departamento (80%) e Supermercados (9%).

“Esse incremento da busca por crédito neste segmento é bem comum no mês de dezembro, com os consumidores aproveitando as promoções das festas de final de ano e gastando um pouco mais com os presentes de Natal”, afirma Kruzich.

Serviços, por sua vez, registrou expansão de 19% na comparação com novembro. Bancos e instituições financeiras tiveram desempenho negativo de 9%, na mesma base de comparação.

Para Kruzich, trata-se de um movimento sazonal esperado pelo segmento financeiro. “Estamos vendo a realidade bater à porta e a demanda se arrefecer, mas é esperada uma retomada a partir de janeiro, o que também é um movimento sazonal”, completa.

Frente a janeiro de 2020 – período referência antes da pandemia -, em dezembro foi mantida a trajetória de recuperação, com expansão de 47%, e desempenho positivo de todos os segmentos: Bancos e financeiras (8%), Serviços (358%) e Varejo (78%).

Fonte: JRS Digital