Fatos e Dados

Estratégia de Investimento verde vai fomentar adoção de critérios ASG

Para o ministro Rogério Marinho, o compromisso com a sustentabilidade deve se sobrepor aos governos (Foto: Adalberto Marques/MDR)

O Sebrae participou, na tarde desta segunda-feira (30), do lançamento da Estratégia Investimento Verde para o Desenvolvimento Regional, resultado de parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Regional e um conjunto de associações do setor privado que atuam em projetos de saneamento básico, segurança hídrica e mobilidade urbana. O objetivo principal da iniciativa é fomentar a adoção de critérios ASG (ambiental, social e governança) para a execução das obras e políticas públicas realizadas no país.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destacou que a Estratégia de Investimento Verde irá estimular a resolução de diversos problemas sociais, atrelando o crescimento da infraestrutura com a sustentabilidade. “Essa é uma pauta que interessa ao Brasil de maneira geral, temos mais de 25 mil obras em andamento em mais de cinco mil municípios. Com essa novidade estamos fazendo esforços para reformular as parcerias com a iniciativa privada, alcançar a sinergia com a sustentabilidade, o respeito ao meio ambiente, a melhoria da governança, a racionalização dos recursos públicos de forma mais eficaz possível”, afirmou.

De acordo com Marinho, o Brasil necessita de políticas públicas como essa para aumentar a participação de parceiros da iniciativa privada nas obras de saneamento básico, mobilidade urbana e segurança hídrica. “Vamos trabalhar com mais modernização, previsibilidade e segurança jurídica, com objetivo de atrair a contribuição dos entes privados na execução de projetos que irão resolver questões como o acesso a água tratada, a gestão de resíduos sólidos, apoio a população ribeirinhas, construção de sistemas de esgoto, iluminação pública, entre tantas outras”, adiantou.

O potencial da capilaridade de atuação do Sebrae no incentivo ao empreendedorismo por todo país foi destacado pelo diretor técnico, Bruno Quick, como uma das principais contribuições para a Estratégia Investimento Verde para o Desenvolvimento Regional. “O Sebrae está junto com o MDR nessa iniciativa. Trabalhamos incansavelmente para desenvolver as capacidades de produção de cada município brasileiro, respeitando as vocações de cada região, unindo esforços das instituições públicas e privadas para o desenvolvimento das diversas cadeias produtivas que são contempladas pelo desempenho dos micro e pequenos negócios”, ressaltou.

Bruno Quick reforçou, ainda, que o compromisso com a sustentabilidade é algo fundamental, inclusive quando se trata de micro e pequenas empresas. “Falar em desenvolvimento sem falar em sustentabilidade é ilusão”. O diretor citou o exemplo do programa Cidade Empreendedora, que conta com um viés de sustentabilidade dentro dos eixos de desenvolvimento dos projetos. “Estamos com mais de mil municípios inscritos e vamos trabalhar com cada particularidade para que os micro e pequenos negócios possam prosperar, gerando mais empregos e renda para o país, respeitando o meio ambiente e os recursos naturais”, completou.

Compartilhe:
Relacionadas
Fatos e Dados

Universidade Ancar Ivanhoe abre inscrições para cursos gratuitos voltados para varejo

A UAI conta com uma experiência 100% digital de fácil acesso, além de conteúdos interativos desenvolvidos por especialistas do ramo. Compartilhe:
Fatos e Dados

Serviços estão 5,4% acima do nível pré-pandemia, mostra IBGE

A queda de 0,2% no volume de serviços prestados no País em fevereiro ante janeiro fez o setor de serviços funcionar em patamar 5,4% superior ao de fevereiro de 2020, antes do agravamento da crise sanitária no País. Em janeiro, os serviços estavam 5,6% acima do pré-covid. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Compartilhe:
Fatos e Dados

Três a cada cinco brasileiros temem o vazamento de dados em compras on-line

De acordo com levantamento realizado pela PSafe, empresa de segurança digital da América Latina, e divulgado no portal da CNN, três a cada cinco brasileiros têm medo de ter os seus dados vazados ao realizarem compras na internet. Das pessoas consultadas (mais de 8.600), 59% apontaram o vazamento de dados como sendo um medo real nessas transações. Além disso, também foi mencionado como alarmante o roubo de dados bancários (52%) – os respondentes podiam escolher mais de uma opção. Na sequência, estão como principais preocupações ter o cartão clonado (48%) e o não recebimento de produtos (48%). Apenas 4,5% relataram não ter nenhum tipo de receio. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.