Tendências e Inovação

Entregas na velocidade de um clique

Tendências e Inovação

Entregas na velocidade de um clique

As facilidades tecnológicas e a agilidade dos motoqueiros aceleram a entrega de seus produtos.

As exigências dos consumidores são cada vez maiores: querem o produto entregue o mais rápido possível. Foi inspirado nessa necessidade de rapidez que os sócios da Motoboy.com aliaram o uso da tecnologia a um serviço de entrega que é líder em logística em todo o Brasil: o motofrete.

Estima-se que, apenas em São Paulo, mais de 200 mil entregadores atuam na área. O Brasil tem, segundo o Sindimoto-SP, o maior número de profissionais de motofrete, com mais de 900 mil pessoas encarregadas de entregas rápidas.

Foi com esses números que os jovens sócios da Motoboy.com criaram, em 2013, o serviço de cotação e agendamento online de entregas rápidas. “O negócio nasceu pela constatação dos sócios do potencial que a tecnologia tinha para otimizar os processos de entregas, tanto para quem solicita como para quem oferece o serviço”, diz Rafael Perboni, co-fundador do serviço e responsável pelo marketing do negócio. O grupo de quatro sócios é diverso: são profissionais de tecnologia, logística, administração, psicologia e design. O atual CEO, Gustavo Barbosa, é especializado em Logística.

Hoje, mais de 500 empresas de entrega são associadas à plataforma Motoboy.com, algumas em fase de testes e outras são usuárias frequentes do sistema. “Disponibilizamos tanto soluções para profissionais autônomos como para empresas de entregas”, explica Rafael.

O modelo de negócio é semelhante ao do conhecido sistema de transporte Uber. “Ficamos com um percentual de cada serviço executado através da nossa plataforma. Oferecemos também um sistema de gestão operacional e atendimento on-line para empresas de entregas que busca trazer ganhos de produtividade, cortes de custos através da tecnologia e uma melhor experiência de uso para os clientes solicitantes”, detalha.

A Motoboy.com está presente atualmente em 14 capitais brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Curitiba, Brasília, Vitória, Porto Alegre, por exemplo – e em mais de 30 outras cidades em regiões metropolitanas, até em Lisboa, capital portuguesa. “Nosso plano é fortalecer a presença nestas cidades onde já atuamos e expandir para as maiores cidades de cada região até o final do ano. “Feira de Santana, na Bahia, por exemplo, já conta com o serviço.

Para os prestadores de serviço, a empresa oferece a oportunidade de ganhar autonomia e faturar a totalidade das corridas com menor custo. Segundo Rafael, o benefício é para todos: “Os motoboys podem ganhar mais e até cobrar menos de seus clientes”, diz.

Muitas vezes, o serviço da motoboy.com é direcionado para assessorar empresas de entregas em cidades menores. “Quase todas as empresas de entregas estão adotando sistemas digitais para diferenciar seu serviço”, diz Rafael.

Com o uso da tecnologia, os clientes também monitoram todo o trajeto do motoboy, garantindo maior segurança. O aplicativo está disponível no Google Play e na App Store.

Para conhecer esta solução, acesse o site feito pela CDL Jovem: http://www.inovavarejo.org.br

[sc name=”img-post-app” caminho=”http://revistavarejosa.com.br/wp-content/uploads/2017/01/caixa9.png” ]

Compartilhe:
Relacionadas
Tendências e Inovação

APAS Show: IoT e soluções conectadas diminuem perdas e melhoram experiência do shoppper

Dar inteligência aos dispositivos é a proposta da Inwave para revolucionar o setor trazendo mais segurança e atuando diretamente na redução de perdas e melhora da experiência do consumidor Compartilhe:
Tendências e Inovação

Índice de competitividade: importância e desafios do frete

A velocidade de entrega é um benefício percebido pelos clientes e, por causa disso, deve ser explorada ao máximo para maximizar os resultados. Compartilhe:
Tendências e Inovação

Indústrias relacionadas ao metaverso devem movimentar R$ 4 tri até 2024

Muito além do conceito, as indústrias que se formaram em torno do metaverso já movimentam números expressivos. De acordo com dados da Bloomberg Inteligence, segmentos como RV (Realidade Virtual) e de RA (Realidade Aumentada), games, cloud e outros, devem movimentar mais de R$ 4 trilhões até 2024. Compartilhe: