Movimento Varejo

O que é intraempreendedorismo? Especialistas explicam

Termo se refere a ter um comportamento empreendedor como colaborador dentro de empresas e organizações.

Quando o assunto é empreendedorismo, uma das dúvidas que mais aparece nas buscas do Google se refere ao intraempreendedorismo e seu significado.

Intraempreendedorismo é ter um comportamento empreendedor dentro de empresas e organizações.

“São iniciativas dentro de corporações em que pessoas passam a desenvolver negócios dentro de outros grandes negócios”, explica Edson Barbero, professor e coordenador do Centro de Empreendedorismo da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP).

É um processo que ocorre dentro das empresas e contribui para a formação de novos líderes, segundo o gerente de relacionamento com o cliente do Sebrae, Enio Pinto.

“Você não é o proprietário daquele negócio, você é o colaborador, mas tem uma atitude empreendedora. Neste tipo de ambiente de negócios, os funcionários são incentivados a desenvolver uma postura inovadora e ousada”, explica Enio.

As empresas que adotam essa prática buscam ampliar as competências de seus profissionais levando em conta características que vão muito além do diploma acadêmico e das experiências técnicas. Essas empresas trabalham para que suas equipes tragam soluções criativas para os seus problemas e sejam proativas.

“O desenvolvimento do intraempreendedorismo exige o comprometimento da diretoria, dos gerentes e de todos os colaboradores da empresa. É preciso entender o ambiente, ser visionário e flexível. Também é essencial criar opções administrativas, estimular o trabalho em equipe, incentivar a discussão aberta e construir um grupo de defensores do negócio”, diz Enio.

O professor Edson explica que o intraempreendedorismo também pode acontecer dentro de programas de startups, quando empresas apoiam ideias de negócios de seus funcionários.

“Empresas que incentivam o intraempreendedorismo procuram dar a seus colaboradores a chance de desenvolver um potencial criativo. São organizações que querem superar as culturas mais tradicionais, visando modificar seu modelo de negócios, produtos e serviços”, afirma.

Fonte: G1

Relacionadas
Movimento Varejo

WhatsApp no meio empresarial: o poder da mensagem para engajar o cliente

A pandemia acelerou o processo de digitalização das empresas e causou mudanças visíveis no relacionamento entre cliente e marca. Alguns exemplos são o aumento das compras online, o fortalecimento do atendimento omnichannel e a busca pela melhora contínua da experiência do cliente por meio de ferramentas digitais. Nesse contexto, o WhatsApp, aplicativo de mensagens mais usado no Brasil, ganhou destaque.
Movimento Varejo

Transformação digital já é real para mais da metade das PMEs

Segundo estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV), pelo portal Terra, dentre as micro e pequenas empresas (MPEs) do país, a transformação digital já está presente em 66% das organizações, conforme o Mapa de Digitalização das Micro e Pequenas Empresas Brasileiras, da FGV, em conjunto com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Ressalta-se, ainda, que as PMEs são responsáveis por 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e por 50% dos postos de trabalho criados no Brasil.
Movimento Varejo

Burocracia na hora de consumir é empecilho para 8 em cada 10 brasileiros

Os brasileiros ainda sofrem com um entrave bem antiquado na hora de comprar bens e serviços: a complexidade para provar quem são. Soluções para agilizar o atendimento ao cliente e finalizar uma compra como biometria, que usa a identificação da digital, ou o reconhecimento facial – também chamada de biometria facial, ainda são pouco utilizadas por empresas de varejo e serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.