Movimento Varejo

Atendimento humanizado é a tendência de mercado e gera mais lucro

Anastasia Gepp/Pixabay

A resolução de problemas no atendimento humanizado é a garantia
de boas vendas e fidelizações de clientes

Em tempos de pandemia, o atendimento virtual foi uma opção para uma grande parte das empresas para continuarem operando, no entanto, a ausência de um cuidado maior com o cliente pode ser determinante não apenas para concretizar a venda como também para estabelecer uma boa relação com quem consome produtos e serviços.

Para se ter uma ideia desse impacto, um levantamento realizado pela empresa de consultoria empresarial americana McKinsey & Company, mostrou que 70% da experiência de compra de um cliente se baseia na forma com que ele é tratado, onde algumas vezes o produto em si e seu preço acaba ficando em segundo plano.

Humano e tecnológico
De acordo com a Cofundadora do Reclame Aqui e CEO do Instituto Cliente Feliz Gisele Paula, hoje, o grande desafio das empresas é manter um atendimento humanizado usando tecnologia. Ela lembra que o princípio básico do atendimento humanizado é a personalização e a empatia. “Quando a gente personaliza, chama o cliente pelo nome, entende a necessidade dele, se coloca no lugar dele e dá um tratamento de maneira humanizada para ele, nós estamos fazendo um atendimento humanizado”, reforça.

A analista de Marketing Digital Priscyla Caldas salienta que o atendimento humanizado exige a habilidade de saber ouvir, acolher, respeitar opiniões, buscar a todo custo ajudar, apoiar, oferecer o que tem de melhor, querer que o outro de fato esteja satisfeito com o que a empresa tem a oferecer, além de despertar emoções positivas. “Esse tipo de relação com o cliente desperta o sentimento de fidelidade, entre o cliente e a empresa. Ao se sentir realmente acolhido e perceber que aquela empresa não quer simplesmente empurrar um produto e serviço, mas sim, quer ajudá-lo, apoiá-lo na sua decisão, aquele cliente passará a ser um defensor daquela marca, daquela empresa e a indicará para seu ciclo de relacionamento”, completa.

Tendência
Priscyla defende que esse tipo de relação se transformou na grande tendência dos novos tempos porque as pessoas estão cansadas de atendimentos baseados em relações individualistas, pautadas apenas em tirar proveito. “Quando se tem uma relação mais fundamentada na ajuda, no apoio, estabelecida através de uma comunicação genuína, certamente terá mais força”, defende.

Para a analista, não há como estabelecer esse tipo de atendimento com o cliente se não houver sinceridade e respeito. “Se estamos sendo verdadeiros e temos respeito para com o outro, a comunicação fluirá e o objetivo será alcançado. Com o tempo, não haverá mais espaço para outro tipo de relação empresa X cliente que não seja baseada nesses princípios”, enfatiza Priscyla.

Gisele Paula defende que para garantir um atendimento humanizado, é necessário mapear os pontos de contato com o cliente e definir, usando a empatia e o olhar do cliente dentro da empresa, quais são os momentos que a gente deve falar com o cliente e quais são os momentos em que se pode deixar o autosserviço atuar. “O ideal é que se ofereçam opções para o cliente”, conclui.

7 dicas para adotar o atendimento humanizado:

  1. Identifique no seu negócio onde estão os pontos de contato com a clientela;
  2. Ofereça ao cliente a possibilidade de contar com o atendimento digital e o humanizado;
  3. Trate o consumidor com o máximo de respeito e transparência;
  4. Ofereça soluções reais;
  5. Prepare sua equipe para realizar o atendimento humanizados;
  6. Crie canais de escuta para o público alvo;
  7. Dê respostas às solicitações e anseios.

Fonte: Correio 24hs.

Compartilhe:
Relacionadas
Movimento Varejo

Logística reversa: 10 ações que reduzem as devoluções no e-commerce

Segundo dados de uma recente pesquisa da Ebit|Nielsen, atualmente quase 30% das compras online são devolvidas ou trocadas no Brasil. Compartilhe:
Movimento Varejo

O algoritmo está mudando a maneira de consumir e produzir conteúdo?

Com o aumento considerável de opções ao dispor do consumidor, implementar tecnologia e análise de dados nos processos criativos se tornou obrigação das marcas. Compartilhe:
Movimento Varejo

Shoppings estão otimistas e fazem investimentos

O segmento brasileiro de shopping centers aposta na retomada da economia e planeja faturamento de R$ 150 bilhões e a inauguração de mais oito centros comerciais ainda este ano. Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.