Movimento Varejo

Os 4 problemas mais comuns na logística de e-commerce

O e-commerce ganhou força em 2020, com um faturamento 47% maior no primeiro semestre deste ano em relação a 2019, segundo pesquisa da Ebit/Nielsen, feita em parceria com a Elo.  As vendas online bateram recorde na Black Friday. O faturamento do e-commerce somou R$ 4 bilhões, considerando quinta e sexta-feira, 27, um aumento de 25,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Com o aumento expressivo das compras online em tão pouco tempo, os problemas logísticos gerados pelo pouco conhecimento em gestão de e-commerce apareceram. Visando ajudar os lojistas em como resolver os problemas mais comuns no varejo, Stefan Rehm, CEO da Intelipost, empresa líder em tecnologia inteligente para logística e Frederico Menegatti, CEO da Getrak, maior provedora de tecnologia para rastreamento da América Latina, separaram algumas dicas importantes para quem deseja ter sucesso no e-commerce.

Processos logísticos online
“Diferente do que acontece no varejo físico, toda a gestão de estoque, reposição, venda, pré-venda e pós-venda, são processos realizados pela internet e muitas vezes de forma automatizada. Os problemas surgem justamente quando os lojistas não conseguem diferenciar que cada forma de vender necessita de estratégias e ferramentas específicas. Quando falamos de e-commerce, ter a visibilidade total dos processos, além de uma comunicação integrada e atualizações em tempo real ao seu alcance tornam-se grandes diferenciais para a qualidade do serviço oferecido. Assim, é necessário entender e aderir a tecnologias que simplificam os processos para que os problemas possam ser solucionados com mais agilidade”, comenta Stefan.

Atraso de entregas
Apesar do e-commerce no Brasil ter acelerado bastante o seu desenvolvimento em 2020, quando falamos de otimização e experiência de compra, a realidade ainda é desafiadora. E isso se deve a diversos fatores, desde erros de planejamento de estoque, ineficiência na gestão de frete e transporte, para citar alguns.

“Nesse caso, o ideal é sempre buscar alternativas inteligentes, ágeis e que mudem este cenário para ajudá-los a se preparar para o próximo período de muitas compras online. Além disso, é preciso entender o mercado para o qual você está vendendo, o Brasil é um país de território muito extenso, com dificuldades peculiares. Não adianta tratar a entrega nacional de forma única, é essencial segmentar e trabalhar regionalmente com a realidade que cada cidade ou Estado necessita”, conta o CEO da Intelipost.  

Segurança no transporte dos produtos
Segundo dados divulgados pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), em parceria com a empresa Tracker, o segundo quadrimestre deste ano apresentou uma redução de 18,82% das ocorrências de roubo e furto em relação ao mesmo período do ano passado, onde foi registrado uma diminuição de 27,10%. Porém, a pandemia do COVID-19 impulsionou as vendas pela internet e esse número até o final do ano com certeza sofrerá alterações.

De acordo com Frederico Menegatti, CEO da Getrak, maior provedora de tecnologia para rastreamento da América Latina, uma das alternativas para corroborar com a redução desses crimes de cargas em época de alta demanda como a Black Friday, por exemplo, está no investimento de dispositivos de rastreamento. ”O final do ano é considerado a época onde mais ocorre esses incidentes nas estradas nacionais e mesmo que se tenha registrado uma redução, com esse número pode aumentar consideravelmente já que a expectativa que mais pessoas irão comprar pela internet. Ao apostar em tecnologias inovadoras para o segmento logístico, é possível evitar que ocorra maiores prejuízos, e ainda ter informações importantes quanto ao status da mercadoria, podendo tranquilizar o consumidor final”, explica.

Monitoramento do trajeto
“Outro ponto está ligado ao monitoramento do trajeto a ser percorrido. O consumidor final quer saber onde está o seu produto e sabemos o quanto isso é importante, mas ainda mais essencial é garantir que o condutor esteja seguro, independentemente do local. Por isso, há no mercado ferramentas que permitem acompanhar em tempo real a locomoção da carga, interpretar situações de roubo ou furto e, assim, agir de forma assertiva diante do crime, disponibiliza alertas caso o condutor precise acionar a central de rastreamento, seja por ter percebido alguma ação suspeita no caminho e até mesmo caso ele não se sinta bem. Essa comunicação constante e a telemetria têm sido imprescindíveis para garantir que as entregas sejam precisas e dentro do prazo combinado, proporcionando mais informações sobre as rotas realizadas, a condução dos motoristas e, até mesmo, o consumo de combustível”, finaliza Frederico.

Compartilhe:
Relacionadas
Movimento Varejo

Brasil reduz para 3 dias o tempo de abertura de negócios em todos os estados

Pela primeira vez, todos os estados brasileiros e o Distrito Federal reduziram o tempo de abertura de empresas e negócios no nosso país para menos de três dias. Os dados são do painel da Receita Federal, gestora do sistema integrador nacional. O último estado a bater este recorde foi a Bahia. Esse é o resultado do trabalho coletivo da REDESIM nas esferas federais, estaduais e municipais, marcando conquistas que desburocratizam a abertura de empresas no Brasil e beneficiam o empreendedor brasileiro. Compartilhe:
Movimento Varejo

Precifica organiza 1ª Pricing & Revenue Masterclasses

A Precifica, especialista em soluções de pricing, em parceria com Fabiano Coelho, PhD em Business Administration pela Florida Christian University e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), vai realizar a primeira edição das “Pricing & Revenue Masterclasses: à frente na digitalização exponencial”. As aulas acontecerão nos dias 2, 9, 16, 23 e 30 de agosto, das 19h às 20h30, e a inscrição pode ser feita por meio do site da Precifica (clique aqui). Compartilhe:
Movimento Varejo

Quais setores podem se beneficiar das tendências logísticas ao longo deste ano?

As empresas de entregas rápidas, por serem as encarregadas de chegar com os pedidos até os clientes, precisam ser capazes de entender os sentimentos deles, definindo as tendências logísticas do setor e agindo como um elo crucial dessa cadeia. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.