Economia e Finanças

Brasileiro pretende gastar, em média, R$ 225 com a ceia de Natal

De acordo com levantamento da pesquisa CNDL/SPC Brasil, mais da metade dos entrevistados deve passar a data em casa e 31% planejam dividir despesas com a ceia entre a família

Este ano, os brasileiros devem gastar, em média, R$ 225 com a ceia de Natal. É o que aponta levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas.

De acordo com a pesquisa, mais da metade (56%) dos entrevistados pretende celebrar a data em casa, um aumento de 13 pontos percentuais em comparação com o ano passado. Apenas 16% pretendem comemorar na casa dos pais. Além disso, 31% dos entrevistados planejam dividir as despesas da festa compartilhando os custos entre os familiares, enquanto outros 26% afirmaram que cada família levará um prato. Apenas 15% disseram que vão arcar com todas as despesas.

O presidente da CNDL, José César da Costa, destaca a importância das famílias planejarem os gastos para evitar excesso de despesa no fim do ano.

“Esse ano, diante da insegurança causada pela pandemia, as pessoas deverão comemorar as festas em grupos menores, entre os familiares. Além disso, em um cenário de incertezas é ainda mais importante que as pessoas tenham cautela com os gastos. Dividir as despesas é uma estratégia interessante, pois evita que os custos sobrecarreguem o bolso de uma única pessoa”, destaca Costa.

O levantamento revela ainda a intenção das pessoas em renovar o guarda roupa para passar o Natal. Em cada dez brasileiros que vão comemorar a data, seis (63%) disseram que vão comprar alguma peça nova de vestuário ou acessório. Os que não pretendem comprar roupa nova representam 26% da amostra e 11% não se decidiram. O gasto médio previsto deve ser de R$ 254.

Compartilhe:
Relacionadas
Economia e Finanças

Governo encaminha ao Congresso plano de redução de benefícios fiscais

Medida é fruto do compromisso firmado entre Legislativo e Executivo Compartilhe:
Economia e Finanças

Senado define ‘praça’ para cobrança do IPI

De acordo com o texto, “praça” é o município onde está situado o estabelecimento remetente, em caso de remessas de mercadorias para outro estabelecimento da mesma empresa ou de terceiros, ou ainda estabelecimento que opere exclusivamente em venda a varejo. Compartilhe:
Economia e Finanças

Projeto proíbe bancos de cobrar tarifa de PIX realizado por pessoas naturais e MEIs

Segundo o autor da proposta, o deputado Júnior Mano, a isenção deve ser aplicada em qualquer caso para esse público. Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.