Economia e Finanças

Pix já responde por metade das transferências bancárias no Brasil

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Cerca de um terço dos adultos brasileiros já utilizou o Pix

Seis meses após ter sido lançado no Brasil, o Pix, sistema que permite transferências e pagamentos instantâneos, soma mais de R$ 1 trilhão em transações e já responde por mais da metade das transferências bancárias, apontam dados do BC (Banco Central).

O desempenho, que surpreendeu técnicos do BC, desenvolvedor da ferramenta, pode crescer ainda mais nos próximos meses, quando novas funções entrarão em operação. Entre as novidades, estão o Pix Saque e o Pix Troco, que vão, respectivamente, permitir que clientes façam saques em dinheiro ou, então, obtenham troco em moeda após pagamento por uma mercadoria com uso do Pix, por exemplo.

“Essa é uma funcionalidade que vai trazer muitos benefícios à população, principalmente às pessoas que vivem nas periferias das grandes cidades, onde as redes de ATM [caixas eletrônicos] não estão tão presentes, e nas pequenas cidades também”, explicou o chefe do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do BC, Ângelo Duarte.

Duarte informou ainda que a instituição trabalha para que o sistema passe a fazer transações offline, ou seja, sem que o cliente esteja conectado à internet. O objetivo é permitir que os brasileiros sem acesso permanente à rede também tenham condições de aderir ao Pix.

De acordo com o Banco Central, o Pix respondeu, em abril, por 51% de todas as transações bancárias do País. O restante das transações foi feito via TED, DOC, boleto bancário e cheque. Esse dado, portanto, não inclui as operações feitas por cartão de crédito, por exemplo.

Ainda segundo o Banco Central, cerca de um terço dos adultos brasileiros já utilizou o Pix ao menos uma vez. No total, entre novembro de 2020 e abril de 2021, os bancos cadastraram 404 milhões de usuários. A maior parte deles (94%) são pessoas físicas.

Fonte: O Sul
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Compartilhe:
Relacionadas
Economia e Finanças

BC projeta crescimento de 1,7% do PIB para 2022

O Banco Central (BC) projetou, para 2022, alta de 1,7% do Produto Interno bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. A previsão anterior, divulgada em março, era de um crescimento de 1%. A revisão foi apresentada hoje (23) pelo diretor de Política Econômica do BC, Diogo Abry Guillen, em coletiva de imprensa que contou com a participação do presidente do BC, Roberto Campos Neto. Compartilhe:
Economia e Finanças

Turismo brasileiro cresce 47,7% em abril

Os feriados de Sexta-feira Santa, Tiradentes e os desfiles de carnaval contribuíram para o crescimento, considerado significativo, em abril deste ano e que a variação do mês demonstra sólida recuperação do turismo no Brasil. Compartilhe:
Economia e Finanças

CNDL divulga Panorama do Comércio de junho

As vendas no comércio varejista no mês de abril deste ano cresceram em 4,5% comparadas ao mesmo mês do ano passado. Com relação a março de 2022, o aumento foi de 0,9%. As vendas no varejo ampliado também cresceram em 1,5% e 0,7% comparadas, respectivamente, a abril do ano passado e março deste ano. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.