Economia e Finanças

Pronampe flexibilizará prazo de pagamento para até 72 meses

Nesta quinta-feira (27/10), foi publicada a Medida Provisória nº 1.139, que flexibiliza e regulamenta, para até 72 meses, o prazo de pagamentos das operações do Pronampe — Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Antes, prazo estava fixado em 48 meses, sendo admitida uma prorrogação por até 12 meses.

Com a medida, os bancos poderão também ofertar, às empresas que já contrataram o Pronampe com prazos inferiores, a prorrogação dos créditos, e aliviar o caixa dessas empresas, ou mesmo abrir margem para novos financiamentos.

O prazo que aumentou para 72 meses, no máximo, vai beneficiar aproximadamente 500 mil empresas que poderão se habilitar a renegociar os créditos do Pronampe. As taxas de juros não foram alteradas e passam a ser reguladas pelo Ministério da Economia.

Para o presidente a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), José César da Costa, a medida é uma excelente notícia para o setor de comércio e serviços.

“Esta é uma medida importante que vem ao encontro das aspirações do setor de comércio e serviços, um dos mais afetados durante a pandemia. As empresas ainda estão se recuperando daquele período e a ampliação do prazo do Pronampe abre caminhos para os empreendedores obterem recursos para alavancar seus negócios, gerando emprego, renda e ajudando na recuperação econômica do país “, diz o presidente da CNDL

De acordo com a Sepec/ME — Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, que coordena as ações propostas pelo programa, “a redução da capacidade de pagamento dos tomadores – em boa parte consumida pelos financiamentos já contratados e cujos recursos foram utilizados no custeio das atividades durante o período de pandemia – impedia que o Pronampe tivesse maior efetividade no auxílio das empresas na retomada econômica. Por isso, deixar que o tomador e banco credor ajustem o prazo da operação, no limite de até 72 meses é uma mudança importante, pois dará maior flexibilidade no atendimento de diferentes tomadores”.

Para o Ministério da Economia, “a edição de novas regras sobre o Pronampe auxiliará a preservação das empresas de pequeno e médio porte afetadas pela Covid-19, preservará empregos e reduzirá a demanda de amparo por trabalhadores desempregados. Com as mudanças, as empresas contribuirão para uma melhor velocidade na retomada econômica pós-Covid-19”.

Renegociação
Os contratos em aberto poderão ser beneficiados com a nova medida. A MP possibilita a renegociação com o novo prazo sem obrigar as instituições financeiras, cabendo a estas a renegociação dos novos prazos, inclusive os contratos inadimplentes.

Com informações do Ministério da Economia.
Edição: Fernanda Peregrino

Relacionadas
Economia e Finanças

Consumo nos Lares Brasileiros encerra o ano em alta de 3,89%

Resultado é o maior dos últimos 15 meses e foi puxado pelo pagamento de benefícios sociais AbrasMercado: carne bovina, açúcar, óleo de soja, leite longa vida registram deflação no período.
Economia e Finanças

61% dos donos de MPEs recorreram a empréstimos pessoais para financiar a própria empresa

Segundo levantamento do Sebrae, o porte do empreendimento e o nível de escolaridade do empresário são fatores que influenciam na hora de solicitar crédito aos bancos.
Economia e Finanças

Compras online atingem quase R$ 170 bilhões no Brasil em 2022

Pesquisa da ABComm confirma previsão de crescimento de 5% em relação a 2021 e atribui o equilíbrio ao retorno dos consumidores às ruas.