Opinião

A era dos que nascem online

*Por Leonardo Mencarini

Não é segredo para ninguém que o mundo, e a sociedade como um todo, está em constante evolução. Desde o descobrimento do fogo até o desenvolvimento do primeiro smartphone, gerações e gerações estão inseridas numa linha do tempo infinita, a qual a ciência ainda estuda o seu verdadeiro começo.

Recentemente, presenciamos algumas discussões entre a Geração Z e os Millenials na internet, mas o que talvez eles não tenham percebido é que ambos estão ligados. Afinal, características e comportamentos que aos poucos tornam-se “coisa do passado” têm muita influência no que hoje é algo contemporâneo.

É verdade que as próximas gerações contarão com um mundo muito mais adaptado e preparado. Mas enquanto o processo está acontecendo, os ajustes para que tudo fique perfeito lá na frente começam aqui.

No comércio, por exemplo, o conceito de e-commerce, assim que surgiu, tornou-se algo inovador. Agora, já não é a única aposta do mercado online. Vindo do inglês Digitally Native Vertical Brand, o termo DNVB, ou marcas digitais digitalmente nativas, em tradução direta, tem chamado atenção de muitos investidores por ser mais que um canal.

Baseado numa política de vendas na qual a empresa, nascida no meio digital, controla todo o processo de produção de um item, desde a fabricação de peças até o atendimento ao cliente final, o conceito busca criar um conexão ainda maior com seu público, principalmente nos últimos meses em que, por conta da pandemia, o contato real ficou ainda mais difícil.

A estratégia não só possibilita mais economia como também garante uma certa contribuição do seu consumidor. É como se o negócio fosse uma publicação nas redes sociais na qual o cliente, sentindo-se parte daquilo por identificação, interage. E você, como investidor vertical, tem controle de todas as etapas, desde a criação da arte e da legenda até a conversão em venda. É a experiência do cliente ganhando força no universo digital em que a empresa pode visualizar não só as duas pontas da linha como ela inteira.

*Por Leonardo Mencarini é CEO e co-fundador da Veroni, marca de vinho chilena-brasileira. A vinícola possui certificação Fairtrade, organização que busca proporcionar melhores condições de trabalho para produtores de países em desenvolvimento.

Compartilhe:
Relacionadas
Opinião

Em 2022, já pagamos R$ 1 trilhão em impostos. Mas cadê o retorno?

Do dia 1º de janeiro a 3 de maio deste ano pagamos mais de R$ 1 trilhão em impostos. Compartilhe:
Opinião

O estigma dos profissionais com mais idade

Estudo realizado na plataforma da Gupy, empresa de tecnologia para Recursos Humanos, mostra que de janeiro a setembro do ano passado, o número de contratações de pessoas entre 40 e 50 anos cresceu 95%. Isso é reflexo das corporações procurando montar times com diversidade, além de ser estratégico para as equipes. Compartilhe:
Opinião

Varejo e o seu importante papel na proteção de dados do consumidor

O advento da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) deixou claro que o Brasil embarcou definitivamente na tendência mundial de reconhecimento à privacidade como direito fundamental do cidadão. Entretanto, muitas empresas e – principalmente – as que integram o ecossistema do varejo ainda não perceberam o papel fundamental que este segmento da economia possui na proteção de dados dos seus clientes. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.