Economia e Finanças

Bancos oferecem crédito mais barato para mulheres empreendedoras

Darwin Laganzon/Pixabay

Ao menos duas instituições bancárias e uma cooperativa lançaram no último mês linhas de crédito focadas em empreendedoras.

O Banco do Povo, de São Paulo, por meio da linha Empreenda Mulher, o Banco do Nordeste, com a Crediamigos Delas, e a Sicredi Campos Gerais PR/SP se juntam a outras iniciativas que reduzem as taxas de juros e ampliam o prazo de pagamento para empréstimos tomados por mulheres donas de negócios.

Nenhum programa tem abrangência nacional, e a prioridade, em geral, reside no microcrédito assistido, que condiciona a liberação de capital à realização de cursos de qualificação e à orientação de especialistas. O teto para cada operação depende do perfil da beneficiária e da instituição financeira, porém não ultrapassa os R$ 21 mil.

Tanto no histórico do Banco do Povo quanto no do Banco da Mulher Paranaense, ligados a órgãos estaduais de desenvolvimento econômico, predominam os pedidos de empréstimo de baixos valores, mesmo antes do surgimento das linhas exclusivas para mulheres.

Na instituição paranaense, por exemplo, o ticket médio do microcrédito em geral foi de R$ 11,3 mil por solicitação atendida em 2020. Já no programa feminino, iniciado 19 meses atrás, a média está em R$ 12,19 mil.

No Banco do Nordeste, as mulheres correspondem a 65% da carteira ativa do Crediamigos, e a expectativa é que esse percentual cresça graças às vantagens da linha Crediamigos Delas.

Entre os bancos particulares, há aqueles que incentivam o desenvolvimento de negócios geridos por mulheres, como o Itaú, que há sete anos colocou de pé o Programa Itaú Mulher Empreendedora. A iniciativa, porém, não contempla linhas de crédito.

Com exceção ao Pronaf Mulher, destinado a investimentos agrícolas, até três anos atrás o mercado de crédito nacional não dispunha de nenhum tipo de financiamento específico para mulheres que querem ter o próprio negócio.

A situação começou a mudar quando o BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) colocou em campo o projeto Empreendedoras de Minas, em março de 2018. “As mulheres são bastante empreendedoras, porém encontram mais dificuldades para obter crédito e manter suas empresas abertas a médio e longo prazo. Então resolvemos atacar essa questão”, diz Sergio Suchodolski, presidente do BDMG.

Segundo o executivo, que também preside a ABDE (Associação Brasileira de Desenvolvimento), a taxa de inadimplência costuma ser menor entre o público feminino do que na população em geral.

O BDMG estima que, em três anos, o Empreendedoras de Minas já atendeu cerca de 2.500 micro e pequenas empresas em mais de 330 municípios do estado.

“Todos os empreendimentos que geram valor e desenvolvimento são interessantes para nós. O que fazemos é analisar o histórico das empresas e impulsioná-las a dar o próximo passo”, afirma Suchodolski.

Conheça as linhas de crédito planejadas para contribuir com o empreendedorismo feminino . Todas elas estão sujeitas à análise cadastral. Banco do Povo

Por meio do Empreenda Mulher, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo promove a qualificação e o acesso a empréstimos a empreendedoras formais e informais. Para as capacitações, a parceria é com o Sebrae e com a Aliança Empreendedora.

O programa existe há dois anos, porém a linha de microcrédito foi lançada somente agora, em março.

Fonte: Estadão

Compartilhe:
Relacionadas
Economia e Finanças

Startups podem obter crédito para acessar soluções tecnológicas

O Serpro, estatal do governo federal que é a maior empresa pública de tecnologia do mundo, está com edital aberto para apoiar o modelo de negócios de startups brasileiras do setor de inovação. O programa Serpro Booster seleciona empresas nascentes de tecnologia e oferece créditos para que elas acessem algumas das melhores soluções tecnológicas de administração de dados públicos do país. Compartilhe:
Economia e Finanças

Empréstimo pode ajudar pequenos empresários, mas precisa ser bem planejado

No final de abril, o governo editou uma medida provisória que vai oferecer R$ 23 bilhões em crédito para pequenos negócios. Segundo o Ministério da Economia, a expectativa é que os recursos sejam disponibilizados em até 2 meses em mais de 40 bancos. Compartilhe:
Economia e Finanças

Em tempos de inflação alta, maior variedade de produtos vira trunfo no e-commerce

Mais uma vez, o Mercado Livre mostrou um volume de vendas totais difíceis de superar. Foram US$ 7,7 bilhões no primeiro trimestre, crescimento de 26,5%, em dólar, e de 31,6% em moeda constante na comparação com o mesmo período de 2021. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.