Movimento Varejo

Final do ano aquece mercado pet com cuidados extras para animais de estimação

A chegada dos últimos meses do ano, com férias e festas, traz boas expectativas para a retomada das atividades econômicas dos pequenos negócios no país. Com a previsão de aumento do turismo nesta época, muitas pessoas querem viajar e precisam deixar seus animais de estimação sob os cuidados de uma hospedagem especializada ou os serviços de um profissional, como um petsitter. Há ainda aqueles que vão preferir levar seus bichinhos consigo na viagem e procurar locais petfriendly, considerada uma tendência no mercado pet.

Com a pandemia da Covid-19, esse segmento foi um dos que menos sofreram com os efeitos da crise. De acordo com pesquisa recente realizada pelo Sebrae, com base em dados da Receita Federal, houve um aumento do número de negócios voltados para o mercado Pet de 39% entre as micro e pequenas empresas e 46%, entre os microempreendedores individuais.

O gerente de Competitividade do Sebrae, Cesar Rissete, explica que o segmento pet além de ter resistido à pandemia, por causa da maior proximidade dos tutores com seus animais em casa, também tem aproveitado tendências do mercado petfriendly, que impacta todos os pequenos negócios. “Existem um movimento recente para que cada vez mais os estabelecimentos admitam pets e ofereçam um espaço e condições adequados para recebê-los. Isso inclui hotéis, pousadas, restaurantes, farmácias, ou seja, qualquer ambiente que vá receber o turista que está acompanhando do seu pet poderá oferecer esse diferencial”, ressaltou.

Para ajudar os donos de pequenos negócios do segmento petcare a aproveitar melhor a temporada de final do ano, o especialista do Sebrae preparou algumas dicas e orientações. Confira abaixo:

  1. Ofereça comodidade para o seu cliente
    Diante de um dia a dia cada vez mais corrido, as pessoas procuram por facilidade e comodidade. Então, se você vai oferecer um serviço de hospedagem para pets, fique atento neste quesito. Seja para buscar o animal na casa do cliente, tratá-lo e depois devolvê-lo, seja para oferecer produtos que possam ajudá-lo no transporte do pet, como uma caixa adequada nos padrões exigidos pelas companhias aéreas ou até mesmo kits prontos com produtos para higiene, limpeza, alimentação ou medicação, se for o caso.
  1. Demonstre segurança e confiança
    Hoje em dia, os animais de estimação já são considerados membros da família e isso se reflete nos cuidados que os tutores têm com seus pets. Por isso, saiba que segurança e confiança são essenciais para o seu cliente. Demonstre que sua hospedagem oferece um local seguro, onde o pet terá o mesmo cuidado como se estivesse na própria casa, com espaços condizentes com o porte do animal, além de higiene e limpeza. Aproveite para oferecer serviços complementares durante a estadia, como banho, tosa e medicamentos necessários.
  1. Ofereça acesso remoto para que o tutor possa ver o animal pelo celular
    Tenha uma comunicação aberta e facilitada para que o tutor fique tranquilo enquanto viaja por períodos mais longos. O ideal é que ele receba diariamente informações sobre o bem-estar do animal, seja por mensagens com fotos ou até mesmo pelo uso de videochamadas pelo celular. Avalie se é possível investir em um sistema que permita o acesso a imagens do animal remotamente. Esteja preparado para responder prontamente aos questionamentos do seu cliente.
  1. Disponibilize serviço de cuidados na própria casa do cliente, se for o caso
    Muitas pessoas também preferem deixar o animal em casa sob a guarda de terceiros, mas ainda sim procuram um serviço de um profissional especializado para os cuidados mais específicos relacionados à saúde e higiene do pet. Neste caso, você pode oferecer esse serviço em casa por meio de visitas periódicas, principalmente se já é um cliente que conhece seus serviços no petshop, por exemplo.
  1. Esteja ativo nas redes sociais e atento à reputação virtual
    Não importa se você já oferece serviços de hospedagem ou cuidadores em casa, saiba que a sua reputação na internet, principalmente nas redes sociais, pode influenciar na hora que o cliente vai escolher ou não a sua empresa. Por isso, aproveite para divulgar o seu negócio e produza conteúdos que possam atrair o seu cliente neste final de ano, com dicas e sugestões. Também interaja com seus clientes, demonstrando que se preocupa com o feedback e que está sempre procurando melhorar. Quanto mais avaliações positivas, mais chances do seu negócio se destacar da concorrência.
Relacionadas
Movimento Varejo

Movimento em bares e restaurantes deve crescer 30% na Copa, diz associação

Abrasel avaliou que alguns fatores contribuem, como temperaturas mais quentes, liberação do 13º salário e horários dos jogos à tarde
Movimento Varejo

Meta e TikTok lançam iniciativas para ajudar MPEs a venderem mais no final do ano

Desde insights sobre o comportamento dos consumidores nesse mesmo período dos anos anteriores, até créditos para anúncios, Meta e TikTok criaram uma…
Movimento Varejo

Conheça o passo a passo para abrir um pequeno negócio

Apesar das recentes conquistas para quem deseja ingressar no empreendedorismo, o ambiente de negócios no Brasil, que engloba o custo e a burocracia envolvida na abertura e gestão de uma empresa, é apontado como um dos mais adversos do mundo. Um relatório do Banco Mundial, de 2019, mostrou que para abrir um negócio o empreendedor levava, naquele ano, 17 dias em média. Além disso, eram necessários 11 procedimentos que envolviam instâncias federais, estaduais e municipais. A boa notícia é que essa situação tem mudado nos últimos anos. O balanço feito pela Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim) indica que, em junho passado, o país alcançou o tempo médio de 1 dia e 7 horas para abertura de um novo negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.