Movimento Varejo

Iona Szkurnik: “Não tenha medo de ser protagonista”

Na terceira matéria da série “Dicas para ser uma empreendedora e uma líder de sucesso”, Iona Szkurnik, fundadora e CEO da Education Journey, compartilha seu conhecimento e vivência como empreendedora e mentora de negócios

“Lugar de mulher é onde ela quiser! Este é um clichê que precisa ser repetido como um mantra. Se o lugar que você escolher for no mercado de trabalho, não peça licença ou espere para ocupar o seu espaço. Sente-se à mesa junto com os outros profissionais e não tenha medo de ser protagonista”, afirma Iona Szkurnik, fundadora e CEO da Education Journey.

A equipe da Varejo S.A. conversou com a Iona e pediu para ela indicar cinco práticas que fizeram a diferença na sua carreira como empreendedora e líder de sucesso. O objetivo é compartilhar conhecimento e experiência para inspirar e nortear outras mulheres na jornada do empreendedorismo, criando um círculo virtuoso de autonomia feminina e geração de renda.

“A presença da liderança feminina no ambiente corporativo ainda está longe do ideal. Mesmo com desafios impostos, nós, mulheres, continuamos conquistando o mercado de trabalho e cargos de liderança”, destaca a CEO da Education Journey.

Iona Szkurnik é a fundadora da Education Journey, startup que reúne em uma única plataforma as soluções educacionais mais inovadoras do mercado para desenvolvimento profissional. Depois de conquistar seu mestrado em Educação e Tecnologia na universidade de Stanford e ter trabalhado como executiva no Vale do Silício, ela resolveu dar um novo passo. Mulher e mãe de dois filhos, Iona vive na pele os desafios de construir uma startup enquanto balanceia a vida profissional e pessoal.

Este conteúdo faz parte da série “Dicas para ser uma empreendedora e uma líder de sucesso”, que apresenta dicas e ensinamentos de cinco empresárias de sucesso. A série faz parte da campanha Mulheres que Constroem o Varejo, iniciativa da CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas em homenagem às mulheres brasileiras.

Confira as dicas:

Foto: Divulgação/Education Journey

Iona Szkurnik
Fundadora e CEO da Education Journey

1. Preze por uma liderança multidirecional
A liderança vertical é um modelo que atrela a hierarquia como premissa fundamental. Eu tento trazer um olhar mais dinâmico para a gestão, olhando para todos os lados porque eu acredito que ser líder não é uma via de mão única. É preciso ter escuta ativa e troca.

Quem trabalha comigo sabe o quanto eu prezo por esse modelo. Afinal, uma startup se constrói com várias mãos, e idealmente, com pessoas que sabem mais do que nós para liderar cada área. Portanto, reconhecer isso é um dos segredos de times fortes que entregam sucesso.

2. Nossos desafios não são óbvios
Os desafios de uma líder e empreendedora mulher não são sempre óbvios. Enfrentamos situações invisíveis e imprevisíveis e lidamos com obstáculos muitas vezes improváveis, por exemplo, um certo viés inconsciente.

Para quem é mãe, os desafios têm um tempero adicional: o da culpa, que pode ser perversa. Eu já chorei no táxi no final do dia por estar em viagem de trabalho no Dia das Mães ou por não conseguir chegar em casa antes dos filhos irem dormir.

Meu aprendizado é estar inteira no aqui e agora. Senão você fica em casa pensando no trabalho e no trabalho pensando em casa.

3. Lugar de mulher é onde ela quiser
Este é um clichê que precisa ser repetido como um mantra. Se o lugar que você escolher for no mercado de trabalho, não peça licença ou espere para ocupar o seu espaço. Sente-se à mesa junto com os outros profissionais e não tenha medo de ser protagonista.

Recentemente, estive em um almoço com investidores e empreendedores, e eu era a única mulher em uma mesa com 24 homens. Ao chegar, fiquei surpresa – eu sou otimista e sempre acho que terão outras mulheres! Foi uma responsabilidade ainda maior por ter a oportunidade de abrir o caminho para mais empreendedoras serem convidadas nos tantos almoços, jantares e happy hours de trabalho que acontecem e são muitas vezes fundamentais para network e credibilidade.

4. Empatia é palavra de ordem
Acredito que um bom líder deve exercer uma influência positiva em quem está ao seu redor. Eu pratico isso estando atenta às experiências dos meus colaboradores e me comprometendo em dar o suporte que eles precisam. A empatia faz parte das características que considero importante em um líder. Em momentos difíceis isso se tornou ainda mais relevante.

Hoje, já falamos inclusive em ir além de apenas ‘sentir com’, mas também ter a intenção de agir. A pergunta é: o que os meus colaboradores precisam e como posso dar suporte? Essa combinação de empatia e suporte é combustível para cada um do time sentir no nível individual que pode e deve fazer sempre o seu melhor.

5. Abrace a vulnerabilidade
Aprendi que para ser uma boa líder precisamos estar em paz com a nossa vulnerabilidade. Afinal, errar é uma das poucas certezas que temos e é o que nos torna humanos. Nós, mulheres, queremos dar conta de tudo e nos cobramos muito. Queremos ser as melhores profissionais, mães, amigas, esposas. Mas nem sempre a gente consegue – e está tudo bem!

Com o aumento de doenças contemporâneas e ocupacionais como o burnout, talvez isso tenha se tornado ainda mais importante. Aqui na Education Journey, a gente dá um dia de folga por trimestre para os nossos colaboradores poderem usar como preferirem: para desestressar, resolver pendências pessoais ou mesmo porque faz bem tirar um dia de descanso durante a semana.

Compartilhe:
Relacionadas
Movimento Varejo

Como a locomoção dos brasileiros impacta o varejo?

Confira algumas ideias para incrementar a sua loja e aumentar as vendas, com base nos dados da Pesquisa de Mobilidade Urbana 2022, da CNDL e SPC Brasil. Compartilhe:
Movimento Varejo

Compras públicas já podem ser realizadas de forma 100% digital por aplicativo

Empreendedores de todo o país já têm na palma da mão acesso fácil e eficiente às compras públicas do governo federal. Isso porque o app Compras.gov.br permite que todo o processo de compra na modalidade dispensa de licitação seja realizado de forma 100% digital. Compartilhe:
Movimento Varejo

Abertura de pequenos negócios continua em alta no país

No mesmo período de 2019 e 2020 foram abertos, respectivamente, 762 mil e 843 mil pequenos negócios, respectivamente. Já em 2021, o resultado foi de pouco mais de 1 milhão de novos empreendimentos. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.