Movimento Varejo

Os segredos para empreender

Foto: Shutterstock

Por Eduardo Santinoni

Neste texto vou trazer um conceito voltado para quem está começando os negócios e está pensando se tem o recurso necessário para iniciar. Sempre falo que, para começar a empreender, em qualquer momento, é preciso ter uma combinação de conhecimento e capital. Óbvio que o ideal é ter muito conhecimento e muito dinheiro, nesse cenário o negócio tende a andar bem, mas essa não é realidade para a maior parte dos empreendedores.

E tem o outro extremo, no qual se tem pouco capital e pouco conhecimento sobre aquilo que está buscando empreender. Neste cenário, o risco aumenta demais, primeiro porque é preciso de muito aprendizado no meio do caminho e é necessário capital para poder sustentar o período de aprendizado.

Nós mortais temos que buscar algum lugar no meio. Não em um extremo de pouco capital e pouco conhecimento, e sabemos que não vivemos em um mundo de muito capital e muito conhecimento. Normalmente, se tem pouco capital, é melhor empreender em algo que se tem muito conhecimento, já que é possível compensar essa ausência de capital com muito conhecimento.

É preciso entender como o mercado de empreendedorismo funciona, as estatísticas revelam que acima de 50% dos negócios fecham antes de completar cinco anos. Isso é reflexo da falta de capital ou de conhecimento, ou até mesmo dos dois. Então, no processo de escolher em qual setor empreender, é melhor optar por aquilo que sabe, a chance de dar certo é imensamente maior já que existe entendimento do setor.

Quando um empreendedor tem muito dinheiro e pouco conhecimento, é possível ter uma sobrevida do negócio até o momento necessário para aprender e adquirir o conhecimento. Se há um financiador e o empresário está disposto a pagar o preço, literalmente, para adquirir o know-how, é um caminho possível. Não há nada de errado em fazer assim, o importante é entrar em campo sabendo que estará em processo de aprendizado e construção e isso vai consumir caixa.

A relação entre capital e conhecimento é sempre complexa. Se pensarmos nos últimos dois anos, a maior parte dos negócios que não aguentaram passar pelos momentos turbulentos, fecharam por falta de caixa. Então o dinheiro é muito importante, mas, se eu pudesse destacar um, eu destacaria o conhecimento.

Vou dar um exemplo extremo, digamos que a Ambev quebre, por algum motivo. O Jorge Paulo Lemann, dono da empresa, construiu um conhecimento tão vasto sobre o universo de cervejas que, com zero capital, ele consegue construir tudo de novo.

E o capital não é infinito, então, se eu tivesse que escolher um dos dois, eu iria para o conhecimento. E, para quem está buscando empreender, dá para começar a empreender no CNPJ dos outros, como costumamos falar. E como? É possível adquirir conhecimento trabalhando nos negócios de outra pessoa, mirando em aprender, tendo atitude empreendedora em um negócio que não é seu, para quando empreender, entrar em campo com mais conhecimento.

Muitas pessoas sonham em empreender, mas não sabem exatamente onde ou como. Ter isso claro é fundamental, definir qual setor é o ideal pode ajudar na preparação do empreendedor. E, dá para exercer características empreendedoras mesmo trabalhando em outra empresa. Vendas, persistências, correr risco, todas essas atividades são extremamente enriquecedoras para empreender, e ganhar conhecimentos técnicos e de gestão, vão ser importantes para quando, você de fato, decidir abrir o seu negócio em paralelo ou romper com a empresa e seguir sozinho.

Eu tenho certeza de que a pessoa que entrega esse nível de dedicação à empresa do outro, está ganhando muito mais que o patrão. A pessoa tem o sentimento de dono, que entrega muito além, ganha muito mais que o chefe da empresa. É preciso olhar além da hora adicional feita hoje, mas para o que essas horas empilhadas e essa dedicação vão construir a longo prazo, que características vão ser adquiridas. Esse profissional vai ter um futuro muito mais promissor, seja trabalhando em uma empresa ou empreendendo.

Mas se for empreender, pense: que conhecimento é esse que eu tenho que vai compensar a minha ausência de caixa.

*Eduardo Santinoni é sócio fundador da Y Consultoria, especializada em crescimento de redes, formatação de franquias e implantação de OKR. Também é credenciado como instrutor de cursos da ABF e está presente nos principais eventos mundiais de Redes, Franquia e Varejo.

Fonte: A Crítica

Relacionadas
Movimento Varejo

47% das empresas brasileiras planejam expandir para novos mercados com operação online

Quase metade das empresas brasileiras (47%) planejam expandir os negócios para novos mercados com operação online, segundo o Relatório Varejo 2023, estudo realizado pela Adyen, plataforma de tecnologia financeira preferida de empresas líderes, em parceria com a Opinium Research LLP e Censuswide.
Movimento Varejo

Brasil registra geração de 220,8 mil empregos em agosto

O Brasil registrou saldo positivo de 220.844 empregos com carteira assinada no mês de agosto deste ano. No acumulado do ano (janeiro a agosto), o saldo é de 1,38 milhão de vagas.
Movimento Varejo

Beleza e Cosméticos: como melhorar a experiência do consumidor e conquistar visibilidade no e-commerce

Especialistas da Intellibrand e do Grupo NAOS se unem para indicar as principais estratégias para impulsionar as vendas online. A Bioderma, marca líder do grupo e reconhecida por sua popularidade, registra vendas a cada segundo