Movimento Varejo

Como a orquestração logística resolve as principais dores do e-commerce?

Por Ricardo Loch*

Não é de hoje que o comércio eletrônico no Brasil cresce de forma consistente, mas a pandemia de covid-19 acelerou o processo de transformação digital que já estava em curso. Mesmo os brasileiros mais reticentes tiveram que comprar online e, de uma hora para outra, vários negócios precisaram migrar a operação para os canais virtuais. É uma realidade que veio para ficar: somente no primeiro semestre de 2021, houve crescimento de 31% no e-commerce nacional em relação ao mesmo período de 2020.

Esse boom trouxe inúmeras vantagens, sem dúvida, mas também carrega desafios importantes que precisam ser resolvidos pelos gestores o quanto antes. O principal deles é a logística, ou seja, os procedimentos necessários que fazem o produto comprado do consumidor sair do estoque da loja até sua casa. Há uma demanda cada vez maior por velocidade na entrega com preço justo. Mas como chegar a isso? A resposta passa pela orquestração logística realizada por soluções tecnológicas. Veja por que:

1 – Integração de pedidos
O primeiro passo para otimizar a logística é garantir que os sistemas conversem. Isto é, quando um pedido é realizado, ele precisa chegar rapidamente à solução de entrega para dar andamento ao processo. Isso parece fácil para uma loja virtual individual, mas imagine o fluxo em uma empresa com diferentes canais de vendas. É fundamental integrar as compras com o ERP e a plataforma logística, permitindo que a cotação de frete aconteça em tempo real com os transportadores em diferentes modalidades, como fracionado, lotação e last-mile.

2 – Seleção inteligente de transporte
O preço do frete é um dos principais fatores que influenciam na decisão de compra do consumidor. A percepção de valor do usuário precisa estar alinhada à quantia cobrada pelo serviço. Isso faz com que as lojas virtuais utilizem diferentes transportadoras para encontrar as melhores opções. Contudo, é necessário contar com uma solução que selecione os melhores parceiros para cada pedido, obtendo em tempo real o valor e o prazo de entrega para o despacho – permitindo que o cliente escolha o melhor para sua necessidade.

3 – Rastreamento e monitoramento
Uma das formas de garantir transparência nas compras realizadas no e-commerce é possibilitar que o usuário acompanhe todas as etapas de seu pedido após o pagamento. As transportadoras oferecem o serviço de rastreamento, mas cada uma possui características próprias. É preciso que o comércio eletrônico mantenha uma comunicação unificada e padronizada com seus usuários, independentemente do frete escolhido, permitindo o atendimento em diferentes canais e capturando feedbacks sobre a experiência de compra.

4 – Auditoria de frete
O procedimento que envolve a logística do e-commerce merece atenção especial dos gestores. Qualquer descuido pode trazer um grande prejuízo que coloca em risco toda a operação. Assim, é preciso controlar todos os custos e pagamentos referentes a esse serviço. Poucos sabem dizer se as transportadoras estão cobrando a mais pelo frete dos produtos. Dessa forma, as melhores soluções de orquestração logística oferecem um recurso de auditoria, capaz de controlar todos os gastos, comparar a cotação com a cobrança e configurar regras que fixam valores e até estipulam frete grátis em determinadas ocasiões.

5 – Dados, dados e mais dados
Por fim, a gestão logística de qualquer e-commerce, grande ou pequeno, passa pela análise acurada das informações que toda essa operação proporciona. É por meio dela que os profissionais analisam o desempenho e tiram os insights necessários para melhorar no futuro. A orquestração logística tem a capacidade de trazer os principais indicadores e métricas sobre o processo de entrega, auxiliando na tomada de decisões estratégicas e controlando a logística com a eficiência necessária.

*Ricardo Loch é o head de vendas (CSO) da Equilibrium, plataforma de orquestração logística.

Compartilhe:
Relacionadas
Movimento Varejo

NRF 2022: Conceitos inovadores, comércio alternativo e metaverso no varejo

O varejo e consumo no metaverso, que começam a ser testados, serão muito mais desenvolvidos num futuro próximo. Estima-se que até 2030, as gerações digitais vão representar 50% do total. Compartilhe:
Movimento Varejo

MEI: 150 alternativas para quem quer empreender em 2022

Sebrae produz guia para quem busca uma atividade empreendedora rentável em 2022 Compartilhe:
Movimento Varejo

Bem-estar e autocuidado seguem pautando o mercado

A indústria de moda e beleza está cada vez mais ligada à ideia de bem-estar e autocuidado. Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.