21 jul, 2024
0 ° C

Inclusão digital já chegou a 100% dos pequenos negócios no país

Pesquisa inédita do Sebrae aponta que a pandemia da Covid-19 e a chegada do Pix aceleraram a digitalização entre os MEI e as micro e pequenas empresas

O uso de celular já é uma realidade na vida dos donos de micro e pequenas empresas do país e está presente em praticamente 100% dos empreendimentos. Ao assumir posição de relevância para os negócios, destrona o computador como principal instrumento de inclusão digital. De acordo com a pesquisa Transformação Digital nos Pequenos Negócios, realizada pelo Sebrae, 87% dos empreendedores entrevistados consideram o aparelho altamente importante.

O levantamento também mostrou que 100% dos pequenos negócios acessam a internet, sendo que 42% deles utilizam redes de acesso gratuitas. A ferramenta é considerada fundamental para a sobrevivência dos empreendimentos para 94% dos entrevistados. Um total de 41% da amostra tem o hábito de utilizar a internet há mais de 15 anos. Outro dado revelador da transformação digital dos empreendedores é o aumento do percentual de empresas que utilizam softwares de gestão – porcentagem que praticamente dobrou nos últimos quatro anos, alcançando 50% dos pequenos negócios.

“A edição 2022 da pesquisa demonstrou que alguns comportamentos foram incorporados aos pequenos negócios. Parte dessas mudanças tem como ponto de partida as restrições impostas pela crise sanitária provocada pelo coronavírus”, analisa o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles.

De fato, 65% dos empresários concordam que a pandemia acelerou a estratégia de vendas digitais.

Mercado digital e Pix
Outra mudança incorporada aos pequenos negócios diz respeito aos meios de pagamento em que o Pix superou as demais modalidades, posicionando-se como o principal meio aceito pelos estabelecimentos. A pesquisa mostra que o Pix conquistou os empreendedores e é a forma de pagamento mais utilizada: 84% das empresas entrevistadas aceitam. O dinheiro em espécie (73%), o cartão de crédito e o débito via maquininha (ambos com 61%) também continuam sendo bastante aceitos.

Além disso, para 65% das empresas pesquisadas é comum a emissão de notas fiscais eletrônicas. O uso de serviços bancários on-line também é alto, sendo a preferência de 64% dos empreendedores. A pesquisa de preços é altamente frequente para 48% na hora de comprar insumos e mercadorias.

“Acompanhamos as transformações digitais que se dão de forma cada vez mais aceleradas, e os pequenos negócios precisam estar preparados para serem competitivos nesse cenário tão desafiador”, acrescenta Melles.

Metodologia
Ao todo, 6.345 empreendedores foram contatados via telefone entre os dias 25 de julho e 27 de setembro de 2022, entre eles, microempreendedores individuais (MEI) e donos de microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EP) de todas as regiões do Brasil, atuantes no segmento de comércio, construção e serviços.

Fonte: ASN