20 jul, 2024
0 ° C

Por que a sua marca ainda não está no YouTube?

Top 5 entre as redes sociais mais utilizadas pelos profissionais de marketing, o YouTube está presente na vida do brasileiro durante 12 horas por dia

Acredite se quiser: o brasileiro gasta, em média, por semana, quatro dias inteiros conectados na internet, segundo um estudo realizado pela fornecedora de serviços de Virtual Private Network, NordVPN. A pesquisa revela ainda que, desse total de horas, os entrevistados passam cerca de 12 horas assistindo vídeos no YouTube e aproximadamente 11 horas nas redes sociais, como Facebook, Instagram e WhatsApp.

Em números, o relatório em questão fornece dados surpreendentes sobre o comportamento e o estilo de vida dos brasileiros acima de 18 anos: são quatro dias inteiros por semana, que se transformam em 197 dias por ano e, logo em seguida, tornam-se cerca de 41 anos, considerando a expectativa de vida de 75 anos.

O aumento do consumo de internet tem chamado ainda mais a atenção dos investidores, já que o relacionamento e a experiência do cliente intensificam-se dia a dia no ambiente digital e promovem uma revolução constante nas estratégias de venda e de fidelização, considerando desde o perfil do público-alvo até as alternativas propostas pelas ferramentas online para encantá-lo.

O YouTube, por exemplo, é um importante canal para ser utilizado no marketing digital da marca e vêm sendo notado pelos profissionais ligados neste ramo, conforme indica um relatório emitido pelo aplicativo de software para web, Buffer, que apontou esta rede social como a quinta plataforma mais utilizada pelas marcas no mundo, com 60,8% de presença nas campanhas de marketing, ficado atrás do Facebook (93,7%), Twitter (84,4%), Instagram (80,9%) e LinkedIn (70%).

Segundo a economista e especialista em inbound marketing, Lorena Al Aridi Duarte, muitas marcas têm utilizado o YouTube não só para criar conteúdos originais e relevantes que aumentam o engajamento com seus clientes, como também para prospectar novos leads por meio de anúncios em vídeo.

“O YouTube oferece uma série de ferramentas e recursos para marcas, como a possibilidade de criar canais personalizados e patrocinar criadores de conteúdo populares, o que pode ajudar a aumentar ainda mais a visibilidade e a credibilidade das marcas na plataforma”, inicia a profissional, que argumenta a necessidade de elaborar um planejamento estratégico focado no público e na criação de vídeos originais, consistentes e que sigam as tendências do momento.

Planejamento estratégico é primordial para campanhas de sucesso no YouTube
“Antes de começar a criar conteúdo para o YouTube, é importante entender quem é o seu público-alvo e quais são suas preferências e interesses. Além disso, recomenda-se a criação de vídeos únicos, informativos e envolventes. O conteúdo deve ser bem produzido e ter uma mensagem clara e objetiva. Para além, é importante manter uma programação consistente de postagens, para que o público saiba quando esperar por novos conteúdos. Promover os vídeos em outras redes sociais e por meio de campanhas de publicidade no YouTube também é uma boa saída, já que ajudará a aumentar a visibilidade do seu conteúdo e a atrair novos seguidores para o seu canal”, pontua Lorena Al Aridi Duarte.

Seguindo esta linha de raciocínio, a diretora de operações na Fri.to, Marina Dessotti Tumolo, frisa que a melhor estratégia de marketing para YouTube deve sempre estar associada a essência, ao budget e ao objetivo da marca: “é necessário entender o objetivo da marca. Estamos falando de construção de marca, construção de relacionamento ou performance de vendas? Com o objetivo alinhado, é possível desenharmos a melhor estratégia para o YouTube. Eu particularmente acredito que o ideal é sair da caixa e desdobrar ideias exclusivas para o canal, produzindo conteúdos diferenciados e que atraiam o consumidor pela informação que está no vídeo, criando dessa forma uma comunidade de interessados”, argumenta.

Contrariar políticas da plataforma está entre os principais erros no marketing para YouTube
Sobre o que não fazer no YouTube, Marina Dessotti Tumolo conta que os testes semanais mostrarão o caminho a ser traçado pela marca: “para construir um canal de relacionamento é importante testar os conteúdos, formatos e a duração dos vídeos. Não vejo problemas em não acertar de primeira, mas é fundamental analisar os números para propor novas soluções nas campanhas futuras”, revela a profissional.

“Para além disso, é válido ressaltar a necessidade de respeitar as diretrizes do YouTube. Esta plataforma possui diretrizes rígidas para o conteúdo e as marcas devem garantir que seus vídeos estejam em conformidade com elas para evitar penalizações em seus mais diversos âmbitos”, acrescenta Lorena Al Aridi Duarte.

Fechar parcerias com influenciadores é a cereja do bolo
Por fim, a dica de ouro para as empresas que desejam estar ainda mais alinhadas ao perfil do YouTube é o lançamento de parcerias com influenciadores, conforme exemplifica Lorena Al Aridi Duarte: “os influenciadores têm um grande número de seguidores fiéis que confiam em suas recomendações e opiniões. Ao colaborar com um influenciador relevante para a sua marca, você pode aproveitar essa audiência e alcançar um público que pode ser difícil de alcançar de outra forma”.

“As parcerias com influenciadores também podem ajudar a aumentar o engajamento do público com sua marca, pois os espectadores confiam na opinião do influenciador e podem ser mais propensos a se envolver com a marca. Além disso, estas colaborações podem ajudar a aumentar a credibilidade e a conscientização da marca, salienta a especialista em inbound marketing.

Partindo para os cases de sucesso, a entrevistada em questão relembra a campanha “Dove Real Beauty Sketches” (2013), que contou com a participação da roteirista e produtora de TV Shonda Rhimes: “a campanha consistia em um artista forense que desenhava retratos de mulheres com base em suas próprias descrições e em descrições dadas por estranhos. Os retratos finais foram revelados e mostraram que as mulheres tendiam a descrever a si mesmas de maneira mais crítica do que realmente eram”, explica Lorena Duarte.

“A Dove trabalhou com Shonda Rhimes, uma influenciadora conhecida por sua abordagem positiva e inclusiva para as mulheres, para promover a campanha. Rhimes ajudou a compartilhar a mensagem da campanha com sua audiência, que é composta principalmente por mulheres, e incentivou-as a se valorizarem e se aceitarem. Como resultado, a campanha ‘Dove Real Beauty Sketches’ se tornou um grande sucesso, gerando mais de 163 milhões de visualizações no YouTube e ganhando vários prêmios na indústria de publicidade”, ressalta.

No caso da Fri.tos, Marina Dessotti Tumolo explica que as parcerias são pensadas a partir da escolha de influenciadores que compartilham dos mesmos valores e objetivos da marca e alcançam resultados muito positivos: “já trabalhamos em parceria com alguns influenciadores para conteúdo de YouTube e nossa prioridade foi trabalhar apenas com uma lista de do’s e dont’s. Nesse sentido, todo o briefing foi construído em conjunto com os influenciadores, que tiveram a liberdade de criar os conteúdos dentro da sua própria linguagem, garantindo engajamento e ainda mais admiração com a marca”, finaliza a colaboradora.

Fonte: Consumidor Moderno