Movimento Varejo

Lab Moda Sustentável: a iniciativa consciente

O projeto contribui para o desenvolvimento de um conceito de moda sustentável e socialmente responsável

Moda sustentável, já ouviu falar? A tendência, que vem se consolidando e ganhando cada vez mais importância no mercado brasileiro, busca conciliar questões que envolvem a preservação do meio ambiente e os aspectos sociais e econômicos do setor de moda brasileiro.

No Brasil, o Lab Moda Sustentável, uma plataforma multissetorial, foi criado com o intuito de enfrentar os principais desafios relacionados ao setor de moda no país. Questões relacionadas à garantia de condições dignas de trabalho, à igualdade de gênero e ao uso sustentável dos recursos naturais possuem relevância nesse projeto.

A iniciativa surgiu de uma aliança entre a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (Abvtex) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), tendo como parceiro fundador o Instituto C&A, apoiada pelas Pernambucanas e executada pela Reos Partners, tendo sido responsável por mapear as lideranças que representam a diversidade de perspectivas do setor e convidá-las a participar da equipe.

A plataforma de colaboração e inovação é formada por cerca de 40 lideranças representativas da academia, indústria, varejo, associações setoriais, sindicatos, mídia, setor público e sociedade civil, que se propõem a trabalhar juntas para a transformação da realidade do mercado da moda no país.

O gerente de Desenvolvimento Institucional e Redes do Instituto C&A, Fábio Almeida, explica que a moda mobiliza diversos setores ao longo de sua cadeia e que a transformação de seus elos por meio de práticas mais justas e sustentáveis tem grande impacto para os trabalhadores – o setor emprega uma grande quantidade de pessoas, sobretudo, mulheres –, gera oportunidades de redução de desigualdades e minimiza o impacto ambiental do consumo, entre diversos outros benefícios.

“O Lab também contribui para o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da ONU, com destaque ao ODS 5 – Igualdade de Gênero, ODS 8 – Emprego Digno e Crescimento Econômico, ODS 9 – Indústria, Inovação e Infraestrutura, ODS 12 – Consumo e Produção Responsáveis, ODS 13 – Combate às Alterações Climáticas e ODS 15 – Vida Sobre a Terra”, complementa.

O Lab agora entra em outro patamar de colaboração, buscando ampliar o número de participantes e parceiros e a conexão com outras iniciativas, esforços e movimentos engajados na causa da moda sustentável, para alcançar um maior nível de transformação na sociedade e no mercado.

Para mais informações, consulte o site do projeto: www.labmodasustentavel.org.br.

Principais desafios identificados no mercado de moda no Brasil:

:: Educação, formação profissional, ciência e tecnologia.
:: Cultura e consumo.
:: Ciclo de vida do produto, uso intensivo de recursos e toxicidade.
:: Trabalho: condições, informalidade, migração, desigualdades sociais, raça e gênero.
:: Modelo de negócio e relação entre os elos da cadeia.
:: Políticas públicas. 

Fonte: Equipe Lab Moda

Compartilhe:
Relacionadas
Movimento Varejo

Nove em cada dez shoppings adotam ambientes pet friendly

O setor de shopping centers aderiu a tendência pet friendly e promoveu inúmeras ações e serviços com o objetivo de tornar os seus espaços cada vez mais adequados e harmônicos aos animais domésticos. Segundo o Boletim Tendências e Oportunidades, da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), 9 em cada 10 shoppings os pets são permitidos e podem passear na companhia dos seus melhores amigos. Compartilhe:
Movimento Varejo

AmPm aposta em novo conceito de loja e atendimento omnichannel

Com lojas mais eficientes e com um novo mix de produtos, a rede de lojas de conveniência AmPm está apostando no conceito de alimentação completa, com padaria, adega, minimercado e beer cave. A nova unidade foi lançada no bairro de Moema, zona sul de São Paulo. Compartilhe:
Movimento Varejo

Brasil reduz para 3 dias o tempo de abertura de negócios em todos os estados

Pela primeira vez, todos os estados brasileiros e o Distrito Federal reduziram o tempo de abertura de empresas e negócios no nosso país para menos de três dias. Os dados são do painel da Receita Federal, gestora do sistema integrador nacional. O último estado a bater este recorde foi a Bahia. Esse é o resultado do trabalho coletivo da REDESIM nas esferas federais, estaduais e municipais, marcando conquistas que desburocratizam a abertura de empresas no Brasil e beneficiam o empreendedor brasileiro. Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.